domingo, 10 de março de 2013

conclaves



Só tenho inveja de um tipo de gente; dos que têm fé.
Daquele tipo de fé sobre alguém que existe e nos transcende, que nos criou, nos protege e ora por nós.
Não me faz qualquer sentido. Não encontro maneira.
Era tão mais fácil. Tudo.
Mas tudo mesmo.

10 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Primeiro, bem vinda!
Já tinha saudades destas molinhas penduradas no arame...:-))
Eu não é bem inveja, é mais admiração!
Como é que conseguem?

Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Olha, olha, deu um ar da sua graça!
Não tenho inveja, não... por vezes tenho mesmo pena.
Beijinho

Patti disse...

Pobres de nós, que não a temos, Rosa; cada vez creio mais nisso.

Saudades tb tenho eu muitas, de todos vocês.
Um grande beijinho

Patti disse...

Olá CBO, com que então um Papa Argentino!?! Pensei logo em si, e até disse à Beatriz!

Olhe que eu pena não tenho, a sério; gostava eu de voltar a ter a fé de outros tempos.

p.s vou escrever um post sobre isto mesmo para breve. Fiquei emocionada com este Francisco (de Assis)

Beijinhos

Justine disse...

Inveja não direi, mas que uma "muleta" ajuda muito nos momentos difíceis, ah isso ajuda!
Felizmente também há aqueles que, mesmo sem muletas, conseguem enfrentar as dificuldades!
Muito gosto em "rever-te", Patti:))
(algum livro à vista? escrito aqui nos arredores?)

Filoxera disse...

Faz como eu: fé em ti mesma :-)
Beijos.

Patti disse...

Justine muletas, desde que inofensivas, são sempre uma grande ajuda nas fracturas da vida.

Tenho só andado por aqui; outros afazeres.
Um beijinho grande.

Patti disse...

Filoxera, mais do que isso é vital que começemos a ter fé nos outros também. Sozinhos nada somos; cada vez mais acretito nisso.

mariam disse...

Gostei muito desses pensamentos!

... ainda vou tendo, fé!

Beijinhos e saudades de por aqui pass(e)ar :)

mariam

f@ disse...

Como eu entendo...
Saudades e beijinhosssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss