terça-feira, 29 de janeiro de 2008

[2] vidas imaginárias...


Vou contar-vos daquela vez em que a Modesta, a sogra do D., foi no Carnaval visitar uns primos às Américas, a Newark.

'Táva uma felicidade naquela casa, que só visto.

Que inveja. A Beatriz e eu estamos desejosas de lá ir, estamos fartas de dizer ao D.

Oh mãezinha, não se esqueça, dos postais, nem das fotos da prima Milú, nem das fotos dos filhinhos dela, não se esqueça de levar a dentadura e os comprimidos p'ró colestrol e p'ró enjoo, olhe que pode 'fomitar"' no avião.

E a Modesta, de ar complacente e completamente atarantada, fazia tudo o que lhe diziam. 'Tava um bocadinho assustada, porque o mais longe que tinha ido, fora à excursão com o D. e a Sãozita a Badajoz, quando compraram a sevilhana, para cima da colcha de cetim, sim, aquela, do episódio [1].

Pronto, mas isso já lá vai.

Oh 'vó, traga-me uns 'ambúrgues' americanos! - pediu o Rúben.

Oh rapaz, que disparate é esse, isso é lá coisa que se peça - berrou-lhe o D.

Oh homem, deixa o miúdo, tadinho ele não entende.

Na brinca, vó. (O que é que ele disse?)

E eu quero um fato para levar à festa dos bombeiros, no Carnaval - grita a Elisete.

Já te disse que vou aproveitar a colcha de cetim que o teu irmão 'fomitou', tá toda lavadinha e não perdeu o brilho.

'Ganda pausa, mãe (O que é que esta disse, também?), até já 'tou a ficar enjoada.

E tu amori, coisinha fofa da mãezinha (E depois eu é que sou chata!), o que queres pedir à avó? - disse a Sãozita ao Ígor.

Tadinho, ainda 'tava fraquito desde o último episódio. Já se sabe que foi da figadeira.

(Pudera, coitado do miúdo, só come pratos transmontanos a toda a hora).

Mas a surpresa das surpresas ainda estava pra vir, então não é que o D. já tinha ido a Nova Iorque com o seu amigo B. ('Ca ganda lata, então já lá foste?), quando este andava no contrabando e tinham-se divertido à fartazana (Calculo) Sabia falar até muito bem e deu logo umas dicas à sogra. (Olha p'ra ele, armado em carapau de corrida).

O primo Á'gusto, vai buscá-la ao aeroporto, mas se acontecer alguma coisa, tem aqui a morada da casa e como se pergunta onde é o metro. A pronúncia é assim, ora ouça:

Plize, ué're ise da sabuei steichón?

Oh filho, diz lá à mãezinha como se pede comida, diz lá que tu sabes tão bem. Ouça, mãezinha, ouça só isto.

Se o primo se atrasar a ir buscá-la e tiver fome vai e diz assim:

Guimi a couque and a stéique, plize.
Oh paizinho, não sabia nada que falavas estrangeiro.

(Nem eu, nem eu. A minha alma 'tá parva).

A família embasbacada. Ele há cada surpresa. (Eu então, ainda nem me recompus. Estou pregadinha à cadeira).

Agora ouça, que isto é importante: se perder os documentos, procure logo um polícia, há lá muitos (A lóte of dem!) e diz bem alto:

Fók! Ai lóste mai fókin peipers e não se preocupe mais com o resto.

(Mas onde é que esta alma, soube disto tudo? Se até em Espanha ele diz logo,Vai lá tu, vai lá tu).

Foi o êxtase! A Modesta toda emocionada, guardou logo o papelinho com aquelas dicas preciosas, a Sãozita até derramou uma lágrima, a bem dizer o D. não tinha feito a escola até ao fim, mas era um homem a sério, (Ah valente) havia de contar tudo à Maricarmén, os filhos então só diziam:

Oh pai, diz lá mais coisas em americano, diz lá.

E chegou a hora de levar a Modesta ao aeroporto. Foi a família toda, claro está (Não se esperava outra coisa. Que lindo, deve ter sido cá uma festa. Ganda rambóia).

E depois de beijos, abraços, lágrimas, fungadelas e as últimas recomendações, (desgraçada da mulher) os netinhos gritaram em coro:

Áve a fókin ctei dére

(Sans óf a bitche).

4 comentários:

Claudia disse...

Genial... o raio da familia é mesmo Burra!
Do fundo do meu HEART, ao meu amigo D., só lhe posso gabar a paciencia! e a ti,...a IMAGINAÇAO!!!
bjos

Ba disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ba disse...

Sówri...Mái Masteique...IÓRE FÓKIN GREITE!!! :)

james stuart disse...

Nagyon Jó.
Gostei muto de ler este se texto.
Bom dia.