segunda-feira, 7 de julho de 2008

hoje é dos grandes

chema madoz

Os blogs pessoais, como é o caso do meu e da maioria dos meus links, revelam para o exterior aquilo que sentem, pensam e vivem, sobre os mais variados temas. Quem nos lê, acaba por, lenta ou precipitadamente, pensar que já nos conhece. Mas até aqui nos blogs, existe uma fronteira, uma barreira que será sempre intransponível. Quem nos visita não nos conhece realmente.

Imagina-nos e tira-nos a pinta; até é verdade. Concordo. Mas não nos conhece mesmo.

Estas palavras porquê?

Porque durante estas últimas duas semanas, coincidência ou não, li e vivi situações, de autênticos julgamentos de comentadores aos donos de blogs e vice-versa e em posts tão diversos (literatura, trabalho, alimentação, política, filhos etc), como é o próprio blogobairro.

Inclusive, de blogs ditos VIP, que deviam ter mais do que fazer, como por exemplo dar polimento ao brilho que gostam de emanar no seu circuito de elite, em vez de andarem preocupados com posts sobre a educação dos filhos dos outros. Provavelmente, não foram aplaudidos nos seus blogs com a frequência do costume e precisam de se misturar com a plebe para angariar mais seguidores, mostrando-se de forma arrogante, nos comentários em jeito de graçola-humilhação. O que só prova que de VIP, não têm nada, porque a boa formação humana é uma questão de berço e nunca de lugares de destaque.

Eu, se tiver de opinar sobre alguém, repito, Alguém, é porque conheço pessoalmente. Sei quem é, como age, como pensa e o que diz. É alguém com quem eu convivo no meu dia a dia.

Emito a minha opinião, respeitando a do outro, mesmo estando em total desacordo. Quem não gostar, paciência. Corro o meu próprio risco. Mas frente a frente. Cara a cara. Prefiro isso a ser hipócrita. Apesar de também o saber ser, mas geralmente com quem não me interessa.

No caso dos blogs, limito-me a comentar, a favor ou contra, apenas e só acerca daquilo que os bloggers escrevem. Refiro-me ao texto, às frases, às fotos. Nunca acerca dos seus donos. E mesmo assim, há quem confunda as coisas e pense que nos referimos não ao post e sim à pessoa em si, o seu autor e devolvem imediatamente um contra-comentário agressivo.

Se eu disser que não mato insectos, pois tenho pena, não estou a chamar a LeniB de criminosa do reino animal, porque os mata à ‘toalhada’, pois não?

Mas para alguns parece que sim. Levam tudo ao pé da letra. O que vale é que ela além de ser loura é inteligente e se alguém lhe fizer tal comentário, ela fica na boa e ainda pergunta: queres alguns para a colecção? Já estão é emoldurados e presos com alfinetes. Mas estão já numerados e catalogados!

Mas nem todos são assim. E temos de nos habituar a isso. Gostemos ou não. Concordemos ou não. Há que pisar com cuidado. Pois não há regras. Só as nossas.

Não sei, talvez seja falta de estofo, demasiada sensibilidade, pouco hábito de serem contrariados, alguém que se dá muita importância, mania da perseguição, pouca confiança na sua própria razão ou ainda dificuldade de interpretação da Língua Portuguesa.

A mim aconteceu-me uma vez num blog, que por norma, não costumo concordar com quase nada do que lá se escreve e umas vezes até comento. Naquele dia, quem lá mora devia estar com os azeites. Levou a peito e entrou em observações de carácter pessoal. Para mim chegou-me. Devolvi a resposta e retirei-me. Aqui não entro em bate boca, nem reajo a provocações e a guerrilheiros sem cara. Temos pena! Não dou esse gozo a ninguém. E muito menos sirvo de alimento aos comentadores seguintes.

Alguém há-de ficar a falar sozinho e não serei eu.

Não faço julgamentos ou tiro conclusões definitivas sobre os autores dos posts, nos meus comentários. Não os conheço de lado nenhum. Não mando piadas ou indirectas. Portanto, se houver por aí algum blogger provocador, desista. Se só brincalhão, alinho.

Quem vai por aí, foi apanhado na armadilha. Deixou-se levar. Escorregou e caiu. Quer seja o comentador ou o autor do post.

Tento fazer o que acho correcto e natural; tirar algumas ilações sobre a pessoa, aperceber-me de certos traços de carácter, de personalidade e discernir no meio de letras, alguns sentimentos e maneiras de ser. Nuns mais que noutros. E só.

Ao falar assim, não estou a sujeitar as minhas palavras a nenhuma interpretação, até porque penso estar a ser clara como água. Opinar o post e não o seu autor, se não se conhece. E o autor que não fique ofendido pessoalmente, quando se discorda com o que ele escreve. É esta a minha postura e tenho o direito de a exprimir no blog que é meu.

Mas opiniões, venham elas. Todas.

Eu falo por mim.

Cada um que fale por si.



28 comentários:

LeniB disse...

Tal e qual...
Deparo-me muitas vezes com situações semelhantes às descritas por ti.
Cada um é dono de escrever o que bem entende: se o(s) tema(s) não são do nosso agrado, a solução torna-se óbvia: deixamos de comentar, deixamos simplemente de visitar esse blog.
Se o assunto nos interessa, logo comentamos. Porém, nunca devemos cair no falso pressuposto que conhecemos esse alguém. Como dizes, conhecemos tão somente o que essa pessoa publica. E, quanto ao estarmos ou não de acordo, a mim (e aqui falo por ti também) não me dá a veleidade de dizer que conheço essa pessoa: reitero as tuas palavras - comento apenas os textos, as fotos, as palavras, as frases.
Infelizmente há quem não pense assim: há quem se sinta atingido.
Aqui, tal como no mundo real, há que ter fair-play, bom-senso.
Outro aspecto importante que focaste foi a interpretação da Língua Portuguesa: quantas lacunas!!!
Provocações? Não obrigada. Vão bater a outra porta!!!
Por aqui me fico...
Toma lá um bj repenicado!!!!!

f@ disse...

Como ando nas nuvens ... !!
è triste este post... transparente tb mas um pouco agressivo na minha opinião... mas eu tb só comento textos e imagens e mesmo assim tb já fui atingida e de que maneira... mas é normal como na vida e resolvo isso como sei. Peço desculpas se não me faço entender ...
a quem servir o chapéu que o enfie até às orelhas... até dá geito agora no verão....
bj das nuvens

Gi disse...

Hoje é dos grandes ... ahahahaha. Hoje é dos longos, daqueles como os saris, com muito pano, com pouca manga.
Beijinhos, minha Querida.

Nina disse...

Tem razão Patti. Esse é um terreno mt delicado, ao mesmo tempo que quem escreve sobre si mesmo já está, ou pelo deveria estar, preparado para algumas adversidades que podem surgir, já que é um espaço público (mas este não é o tema por ti abordado e isso não é observado por mts). O que mais me incomoda, como vc já deve saber, é a falta de delicadeza de alguns em comentar. Tudo leva ao mesmo ponto que a Lenib falou aí em cima, precisa-se de bom senso ao ler, entendimento do que se lê e claro, mais educação no trato com as pessoas.

Um abraço querida e mt boa semana

Olá!! disse...

Reservo o meu comentário, mais completo, para mais tarde, mas já que aqui estou deixo escrito o seguinte:

- Mesmo já tendo olhado nos olhos das pessoas, muitas vezes caimos no erro de pensar que as conhecemos, quanto mais aqui...

Até já e parabéns pelo excelente tema que expuseste tão bem.

Beijosssss

Ka disse...

Patti,

Gostei muito deste teu Post comprido :)

E falando por mim, ando cá pelo blogobeirro para me divertir! E mesmo tendo já defendido causas em que acreditava e que eram polémicas, nunca tive necessidade de insultar ninguém nem de entrara em considerações pessoais.


E tal como a Olá retenho a frase :
- Mesmo já tendo olhado nos olhos das pessoas, muitas vezes caimos no erro de pensar que as conhecemos, quanto mais aqui...


Está tudo dito!

Beijosss e uma excelente semana

de dentro pra fora.... disse...

É dos grandes mesmo :)) mas é isso mesmo...então, se não podemos dar opinião verdadeira, porque havemos de a dar?
Ainda bem que TODOS temos direito á liberdade de expressão...sem falta de educação é claro

Aliás quem se sente ofendido pode sempre eliminar o comentario.

1/4 de Fada disse...

Gosto de uma boa polémica, com pessoas inteligentes, o que é completamente diferente de uma discussão, coisa em que raramente caio - aliás, com os anos desenvolvi uma técnica que raramente falha: quando alguém tenta discutir comigo, na pior acepção da palavra discutir, deixo a pessoa a falar sózinha..., muitas vezes dizendo-o claramente "a partir deste momento estás a falar sózinho(a)". Se o mundo "virtual" é suposto existir para me dar prazer, reservo-me o direito de não entrar em situações como as que descreves.

Rocket disse...

ooops... cheguei à blogocoisa em dezembro, nunca antes tinha ido a nenhum blog, ou, em mp3, nunca tinha lido um post ou um comentário até ao fim...
desde que comecei o blog (e o meu é apenas pessoal na forma como vejo a sociedade, o tema em si) espero nunca ter sequer melindrado, quer em post, quer em comentário, ninguém...

quando chego ao ponto de ler um texto destes num blog, apenas me ocorre... ter cuidado em tudo.

Rita disse...

Concordo com tudo o que dizes. Seria uma veleidade pensar que conseguimos conhecer sequer uma infima parte das pessoas cujos posts lemos por isso acho que o que nos resta é dizer a nossa opinião sobre o que a pessoa escreve e nada mais do que isso. Eu pessoalmente é o que faço, só há duas pessoas aqui no meu bairro da blogosfera que conheço pessoalmente, uma é uma boa amiga e a outra uma colega de trabalho e a essas digo o que sinto quando estou com elas aqui, é como se estivessemos a comentar trechos de um livro é o que está ecrito e não a pessoa...
Jokas

Coragem disse...

Pode até nem parecer, fiz questão de ser mais subtil (não devia)mas o meu post, refere-se a isso mesmo.

Deixei-o em meias palavras, mas deixei.

O meu basta, refere-se se não posso ser verdadeira no que digo, vou deixar de ser, seja o que for.

Sem querer, podemos até emitir opiniões mal recebidas, portanto, para não voltar a cair nesse erro, vou deixar de as dar, quando entendo que me poderia exceder.

grande mas em conteudo, em tanto pela extensão do mesmo.

Beijinho

claudia disse...

Concordo 100% contigo.
Uma das coisas mais motivantes de um blog é precisamente as diversas opinioes de quem comenta e que se podem ter sobre um tema. Nao há que " atacar " nem desrespeitar quem nao tem a mesma opiniao. E até em ti temos um exemplo de " educaçao " qd já algumas vezes te fizeram comentarios nao concordando com o que escreveste, e simplesmente tu " publicaste " esses mesmos comentários ( pelos vistos os que nao aceitam opinioes diferentes de certeza que nao o fariam ), e voltaste a explicar o teu ponto de vista.
Em alguma coisa essa " gentinha " tem de destacar: na má educaçao.

bjos

Break Silence disse...

Hmmm eu ainda nem tinha dado conta que havia blogs VIP (cof cof)...
Agora falando serio, entendo perfeitamente o que dizes no teu post, acho no entanto que te esqueces-te de um "genero" os pertendeentes a VIP que usam intrigas e esquemas para tentar mostrar que sao melhores que os outros.
Falando por mim, no meu canto escrevo o que quero, quando quero e sobre o que quero. Quem gostar gosta, quem nao gostar... Azar.
Beijos

DelfimPeixoto disse...

De absoluto acordo... assino por baixo
jnh

Pitanga Doce disse...

E a quem vens dizer. Eu tenho tido sorte com esses "maus entendedores" mas uma vez me bastou e foi logo no começo do blog e eu não estava preparada para aquela sessão de "tiros". Na época ainda pensei: "mas blog é pra isso? Não me avisaram, não!" Resultaram aqueles dois posts que viste. A má compreensão das palavras é um veneno, e parece que puxa um cordão porque os que vêm atrás "entram na pílha" e vai tudo por água abaixo.
Ninguém conhece ninguém a fundo. Sabemos quem é mais pavio curto ou não e só. Quanto a discordarem de nós, é mais que normal. Ninguém pensa igualzinho, mas "chamar pra briga", isso não. Lá em casa, batem na porta errada. Viste pela resposta que dei ao post do Romeu.
Assim separei o joio do trigo.

É como dizes: quem não gosta que se vá, quando somos nós que não gostamos, quem não vai lá somos nós.


E vamos mas é atrás de uma romaria, com salpicão e sardinhas assadas que é Verão, pá!

Gui disse...

Huum! Alguém lhe fez chegar a mostarda ao nariz, e a resposta não podia ser mais dura nem mais elegante. Excelente. Só pessoas com classe sabem conjugar bem a dureza com a elegância. Gostei de ler e assino por baixo.

Pjsoueu disse...

Patti: Boa noite:)

Actualmente costumo "usar a estratégia da visita do olhar".

Entro nos blogs que normalmente me interessam; olho, leio: Se me agrada comento, senão contínuo a minha viagem:)

Uma semana cheinha de coisas boas , do Pj

gasolina disse...

Que acrescentar ao que dizes em bom português, simples e objectivo?!
De facto a blogoesfera é um baile de máscaras. Mas até o mais teatreiro se descai, revelando-se na essência do que não pode evitar: ser o que efectivamente é na vida real.
E quem não aguenta um discordância aqui, à distância de um singelo click, imagina o "feio" que será a três dimensões...

Passado que está mais de um ano a minha presença por estas lides, ainda hoje há gente pequena que se acha no direito de me vir tentar ferrar.
tststss...

Grandes palavras as tuas.
A minha vénia, Senhora.

Anónimo disse...

O mundo de lá,ou seja de cá,tem destas coisas.Não nos conhecemos e através de uns textos que prtendem ser o dar a conhecer a nossa opinião e/ou nossos sentimentos,muitas vezes,demasiadas,são aproveitadas para que os chamdos VIP's se dêm ao trabalho,fraco,de tecer considerações pessoais.
Então em blogues de cariz mais local, onde nos conhecem,porque assinamos,no meu caso, e nós não os conhecemos,normalmente anónimos,acontece de tudo.até proibirem de sermos falados em reuniões camarárias.

excelente "foto" da blogosfera.

pedro oliveira
http://vilaforte.blog.com

annie hall disse...

Gentinha pequenina e ralé miuda existe por ai aos molhos , são imensos :) e agora alguns têm um blog :)))))
Não existem na nossa realidade .
"Coitadinhos";) :))

O Pinoka disse...

100% de acordo. Acho que o mais importante sempre, é o post com o tema ou opinião lançada. Concordar ou fundamentar a discorda é o mais interessante, serve para aprender.
Atacar o autor é despropositado não se conhece quem escreve e se é inclusivamente aquilo que ele pensa. É perder tempo pura e simplesmente.
Beijocas

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Posso assinar este post por baixo?
Foi na "mouche". Sem papas na língua. Por isso é que gosto de vir cá.

mariam disse...

"chiça" ... grande coincidência mesmo!

acho que realmente disse tudo. subscrevo.

boa semana
um sorriso :)


PS. Obrigada!

sonia disse...

eu já desisti há muito de querer agradar a quem quer que seja. Passei a maior parte da vida fazendo isso e só me dei mal.Conhece a história do homem, do menino e do burro? Pois é! Uso meu blog para liberar tensões, emoções e acima de tudo para ter alguém com quem conversar, alguém que me entenda e me respeite: eu mesma! Use seu blog a seu favor e acredite que seu melhor amigo é você!

paulofski disse...

Subscrevo Patti, inclusive tenho já um texto alinhavado sobre esse tema que será publicado amanhã no gabinete.

Beijos.

Magucha disse...

O meu primeiro pensamento ao ler o post foi "quem foi a besta?". Mas não faz diferença, bestas há muitas e andam por aí a teclar.

Por acaso nos blogs ainda não tive chatices de maior, mas em mailing lists e fórums, ui! Quem escreve tem uma coisa em mente, quem lê outra completamente diferente. Apesar do texto ser o mesmo, as interpretações divergem, e as reacções têm tudo a ver com a formação da pessoa que as tem.

Enfim, entraram 2 de cada tipo na arca... =)

Anónimo disse...

Olá Patti,
foi preciso ser invadida por um enorme problema de saúde (que, aliado a um outro anterior, me obrigou a estar afastada do pc, dos blogs, do meu próprio blog) para poder ter calma e tempo de vir ao teu blog ler-te como gosto de ler blogs e posts.

Teria a dizer imensas coisas.

Não o direi para já, pois o tempo que me é permitido estar sem ser em repouso termina...

Mas não queria deixar de gritar aqui que... APLAUDO-TE DE PÉ.

O que eu já vivi na blogosfera já se tornou tão fora dos parâmetros da normalidade que me provocou fortes ataques de perplexidade. Não em relação a mim. Mas em relação ao que imagino ser possível passar-se no cérebro humano para tamanhas faltas de competência ao nível da interpretação textual, ao nível da formação pessoal e ao nível do descrédito que me merecem.

Invadiram a minha privacidade duas vezes. Deram-se ao despeito de me escrever, como se de amizades íntimas se falasse, falando mal de alheios. Uma vergonha. Uma pouca vergonha. Aliás, grande vergonha.

Sou como tu. Afasto-me. E fico a observar em silêncio.
Pouco ou nada demoro a compreender que cada vez mais gosto de ser como sou: tenho o vício de manter a distância entre mim e quem bem quero e entendo. Temos pena.

APLAUDO DE PÉ!!

Beijos fortes.

Lisa

(Tb te avisaram para teres cuidado comigo, não foi? É. "Diz" que mordo! Lá está... Como não me deixei lamber, acusaram-me de ladrar!)

(Dia 17 enviarei um beijinho especial a partir do suplício em que me encontro. Mas não me esquecerei, com toda a certeza de vos telefonar, via telemóvel da Olá)

Patti disse...

Lisa:
Eu penso que serás a Lisa do blog Lisa Mau Feio, certo?
Realmente se o que relatas se passou contigo, é verdadeiramente assustador e preocupante. Isso comigo nunca se passou, nem de perto.
Como viste, o que eu postei aqui é sobre um tema bem diferente. Eu falo na má interpretação da parte dos outros, a comentários que não lhes agradam, ao ponto de pensarem que é alguma afronta pessoal. Não falo em anónimos, em provocações subtis intencionais, perseguições ou alguma coisa do género. Acredito que tudo é possível e deve haver muito boa gente ocupada com isso. Não no meu caso. Muito longe disso, até. Felizmente.
Se és a Lisa, do blog Lisa Mau feitio, eu visitei-te umas duas ou três vezes, durante estes quase 6 meses que tenho o meu blog, não mais e devo ter deixado um ou outro comentário. E penso que me terás visitado talvez uma vez. Por isso a tua pergunta, se me avisaram para ter cuidado contigo, não faz para mim qualquer sentido. Nem sei do que se trata, porque praticamente nunca tive contacto contigo, por isso não vejo razão de alguém me avisar de coisa alguma sobre ti. No entanto, desejo que recuperes bem.
Pelo que me contas, neste mesmo comentário, resta-me desejar-te as tuas melhoras e que consigas ultrapassar esse mau período que atravessas e que tentes de alguma forma dar a volta ao teu problema, que acredito que seja difícil e que te tenha debilitado.
Um beijinho e boa sorte. Talvez umas férias ajudem.