quinta-feira, 3 de julho de 2008

poucas vezes....


. . . utilizo o meu blog para falar da actualidade deste país. Não sou masoquista. Para isso já me chegam os desgraçados dos telejornais, as gordas da imprensa escrita e os posts dos blogs do ‘ramo’, que visito com regularidade.

E, sinceramente, não tenho o blog para me chatear, mas quando vejo porcarias destas, passo-me da cabeça.

E lia eu no outro dia que a Universidade de Aveiro vai pagar os subsídios de férias de funcionários e professores com parte do dinheiro que se destinava à investigação (…) vai desviar 3,8 milhões de euros afectos à investigação. Este corte na investigação afecta todos os departamentos da universidade (…) o Governo admite que mais universidades podem cair nesta situação (…).

Não acham óptimo ter um futuro tão promissor para as nossas crianças?

Fico sempre tão feliz quando leio estas notícias, que me apetece logo ter mais bebés, na certeza de que os nossos filhos terão um futuro brilhante.

. . .

É do conhecimento geral que Portugal tem uma raça de cavalos nacional: o Lusitano.

Certo? Certo.

A Beatriz já me deu nuances suficientes para eu saber que o futuro dela, profissional ou como paixão para o resto da vida, passará pelos cavalos.

Existe um Curso Superior de Equinicultura, na Escola Superior Agrária de Santarém.

Telefono para lá.

Boa tarde, poderia dar-me informações sobre a licenciatura em Equinicultura?

Ai minha senhora, já vai para dois anos que não abrimos vagas para o curso.

Porquê?

Olhe, acho que vai acabar. É uma pena! Mas não temos o apoio necessário, passamos por algumas dificuldades e retiraram-nos também o espaço onde estavam os cavalos! Há qualquer coisa do género em Elvas, mas também deve terminar. Lamento dizer-lhe, mas penso que vai mesmo fechar este curso em Portugal.

Fiquei cinco minutos parada, sem pousar o auscultador.

É maravilhoso, não é?

Portugal, possuí uma raça nobre de cavalos, que é património nacional. Há outras raças; mas esta é nossa!

E sou eu que sou loura, ou uma das formas de a preservar não passaria por qualificar profissionais competentes à altura da conservação desse património?

Fazer o possível e o impossível para o garantir, preservar e o fazer crescer?

Penso que é no Brasil, onde actualmente, se criam os melhores lusitanos.

País triste o meu.

É com imensa raiva, que acredito cada vez mais que os nossos filhos chegarão longe neste país……. quando atravessarem a fronteira!

Eu não dou pérolas a porcos.

26 comentários:

de dentro pra fora.... disse...

Infelizmente é o país que temos..

LeniB disse...

Não me canso de incentivar os teus sobrinhos a irem estudar para fora: isto aqui já foi chão que deu uvas.
Aliás, até eu penso um dia bazar daqui para fora...

Coragem disse...

Querida Patti, tens toda a razão revolta pensar que o nosso Pais é verdadeiramente um triste no que toca a preservar o que ainda temos de melhor, ups não me referia ao futebol.

Há muito, que já penso na partida dos filhos, um deles vai ser uma realidade, aqui nao terá qualquer saida.
Saida terá daqui para fora, o que já me vai entristecendo o coração, eu até já tentei, que o miudo tente outro caminho, mas seria justo? Não!

Beijinho

PDuarte disse...

Dás, dás...sob a forma de IVA, IRS, IA, IRC, etc...

Rocket disse...

patti

saíu hoje a lume uma notícia sobre investigação por parte do estado aos fundos das universidades. não posso jurar, mas o que me pareceu que ouvi foi que há dinheiro, muito dinheiro, embora ele não circule nos canais devidos...
...os do ensino própriamente dito.

pareceu-me que era mais bolsos...

Pitanga Doce disse...

É verdade. Atrizes como a Regina Duarte e cantores sertanejos com muuuito dinheiro têm criação de cavalos lusitanos. E têm muito orgulho disto. Em contra partida deixamos que franceses patenteassem algumas espécies da nossa flora medicinal da Amazônia. O que é que queres????

bjs e ouve o canto dos pássaros no post abaixo que faz bem.

Gi disse...

Estás a ver porque é que toda a gente se "enxofra" quando se fala de raça?
Falasse-se e sentisse-se a RAÇA e isto não aconteceria.

Tenho cá para mim se os nossos filhos forem uns lambe-botas não precisarão de passar a fronteira ... nem sequer ter um curso.

Isto logo pela manhã, realmente também não me estava a apetecer :(

♥♫♪@nn@♫♪♥ disse...

tristeza mesmo :((((((((((((((

claudia disse...

BEATRIZ, CÁ TE ESPERO POR ESPAÑA!!!
bjos

Olá!! disse...

Pois é Patti, também tenho muito receio por eles, ainda há dias falavamos sobre o que pensa fazer no futuro e diz o H, "eu vou criar porcos para o Alntejo", diz o J "não vale a pena, pá, os chineses também já fazem isso"

!!!!!!!!!!!!!!
E eu a pensar que andavamos a copiar nuestros hermanos....

Um degredo...

Beijosssssssssssssss

Olá!! disse...

** falta aí um "e" no Alentejo, ficou em Évora :)

paulofski disse...

Num País em que o desemprego cresce, onde se importa-se quase tudo e não se produz riqueza suficiente, que desde há duas décadas recebe dinheiro da Europa e não se vê onde está, em que a convergência europeia é cada vez mais uma miragem e a base de uma nação está na miséria: deficiente sistema de saúde, um paupérrimo ensino, indústria inexistente e justiça medíocre, aí estão de volta as velhas malas de cartão.

1/4 de Fada disse...

Patti, eu sou professora, portanto nem vale a pena dizer-te como é que me sinto perante este tipo de notícias! Aqui estou à vontade para falar dos meus filhos porque eles não ouvem - tenho uma filha brilhante, portanto espero que, mais tarde ou mais cedo, se afaste do país para poder ser realmente o que vale! Só espero que ela perceba isto a tempo, porque é tão agarrada à família que poderá não o fazer...

Su disse...

È por estas e por outras, que venho para aqui de vez em quando dizer asneiras, como raio uma pessoa hade ser normal e calma... não sei, não sei mesmo o que se passa com muita gente.
Será que isto sempre foi assim, ou andamos a ficar doidos?

BlueVelvet disse...

Eu também não dei, mas pago um preço muito alto por isso: vejo um dos meus filhos 2 vezes por ano.
Espero também eu poder bazar daqui para fora o mais depressa possível.
Beijinhos

JOAO MARIA disse...

Sabes Patti?
Eu ja exportei muitos Lusitanos dos melhores para o Brasil.Tambem fui ha uns anos responsavel por conseguir mudar a lei de exportaçao/importaçao entre Brasil e Portugal e foi muito bom para muitas coudelarias daqui.
Tenho uma opiniao, julgo que aos Brasileiros apesar de comprarem do melhor aqui , falta lhes sempre muita coisa, que leva dezemas de anos a construir, a escola etc
por exemplo o ortigao costa so vende machos, e para fazer um cavalo com a linha do ortigao costa seriam precisas umas 15 a 20 geracçoes, ou seja muitas dezenas de anos.tive muito ligado a isso, e muitas coisas para contar
tua mae vai?hoje eu vou com joao

bjs

f@ disse...

Patti é com tristeza que lemos todos os dias coisas assim... A Univ de Aveiro é linda... tem quase todos os cursos... pena que não tenha o mais importante modo de andar de ir ainda mais além... quanto ao curso de Equinicultura... é que nem sei o que dizer ... é uma vergonha... dá vontade de ir Assb da Republica e começar lá aos gritos... ou pior... isto tá bom é para malandros e gatunos... desculpa...
é melhor ir para as nuvens!!! beijinhos

Borboleta disse...

Infelizmente é o que vai acontecer...a maioria das já vê nisso a melhor opção...passar as fronteiras!

É uma tristeza tanta coisa linda e poucas são as pessoas que vão fazendo algo por elas!

Pitanga Doce disse...

E prontos!!! Já está lá a resposta.

D.Antónia Ferreirinha disse...

Isto está bom para dar pão para malucos, para o verdadeiramente importante há cortes orçamentais.
Até à data, as turmas que integrassem crianças com necessidades educativas especiais, teriam uma redução no nº de alunos.
Eu sou a favor da integração destas crianças nas dias classes normais. No próximo ano lectivo não haverá mais essa redução. Uma turma com 25 não passará a ter vinte,
é rídiculo e desumano quer para com os docentes quer para com as crianças com n.e.e, assim como também para os restantes elementos da turma.
Cortes orçamentais, minha querida, cortes.
Beijinho.

Fatima disse...

Patti como eu te entendo!
Cultura.....!!! Artes....!!!
Em Portugal? Não é País para isso....há outros "futebóis" mais importantes......

ines disse...

AS pessoas que conheço e que "venceram" nessa aérea, foram para fora, de facto é uma pena!

Um xi coração grande!

miguelpontocom disse...

Não há dinheiro para os que falam quanto mais para os que relincham.

Mas acho que isso deveria ser uma prioridade governamental, aliás até sou a favor do amor livre e do casamento entre homens e animais, não me possam chamar de animafóbico.

mariam disse...

pois é Patti! que RAIVA!
e agora imagine só, ter uma filhota que acabou direito na passada 6ª feira... e saber que há "528000000000" de outros jovens com a mesma licenciatura a "olhar pró ar"! ou atrás de caixas de supermercado... e até aí terem que mentir nas habilitações senão não são aceites, por terem a mais! LOL
deprimente!
espero não acontecer à minha...vai tentar novas áreas... enfim!

tenhamos fé e esperança como dizia meu avô! as crises, como as modas, são cíclicas...

bom resto de semana
um sorriso :)

Anónimo disse...

Minha cara amiga,
por isso é que há quase 20 anos participei em todas estas manisfestações:

http://videos.sapo.pt/NqvA6Z37GALH0IzAyVqq .

Eu sei, é um tesouro,mas os tesouros são para partilhar...
Na altura diziam que as propinas eram para aumentar o nível de investigação em Portugal e que jamais eram para pagar as despesas correntes, eu e muitos,inclusive o Pedro Passos Coelho, fomos contra o principio das propinas, o tempo vei-nos a dar razão, mas o facto e´que pagamos os nossos impostos, mais a popina máxima e os nossos filhos têm uma educação de merda!Desculpem mas não tenho outra palavra para qualificar o que se passa.

Participei activamente contra esta situação,só me arrependo do facto de não termos conseguido mostrar ao país que estávamos certos. É da vida...

Beijos

Pedro
http://vilaforte.blog.com

Ka disse...

Cá no burgo a aposta é mais nos TGV's a ver se saímos todos de cá rapidamente...

Mais um triste exemplo da nossa falta de nacionalismo.

Beijos