quarta-feira, 19 de outubro de 2011

e depois eu


Há uns séculos, quando este blog fez um ano, escrevi ali do lado direito, que "às vezes só me faltava eu".
Das muitas vezes que deparei comigo, assim frente a frente, do outro lado do passeio, num cara com espelho, foi quando me iniciei, aqui, sem querer, a escrever.
Aquilo, de que nós somos muitos ao mesmo tempo, e que vamos renovando, alterando e mudando estes eus todos, sabendo de outros, descartando tantos mais; é tudo verdade.
Mas acontecem-nos no caminho, eus mais atinados do que outros. Os eus em que estamos só nós...e eles.
Já alcancei, entretanto, mais um ou outro.
Mas um dos meus eus mais acertados, é este.
Tentar escrever. Só eu.

7 comentários:

Lucia Luz disse...

E digo-lhe: é lindo, lindo esse seu "eu".
Muito bom voltar aqui, ler e sentir cada palavra entrando no coração.
Você é especialista em tocar com a escrita e toca meu coração.
Beijo

Filoxera disse...

Que bom ter ese teu "eu" de volta a este espaço!
Que saudades da tua escrita...
Sê bem regressada.
Beijos.

Pitx disse...

(já não digo escrever como tu escreves. não tenho essa veleidade. mas...)

... gostava de ter sido eu a escrever este post.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E ainda bem que o reencontrou, PresidentA!

CNS disse...

Os eus que desdobramos nas linhas que escrevemos para além de nós. :)

Pitanga Doce disse...

Deixa te dizer que chegar aqui e encontrar a janela aberta, é um bem incrível! Quanto ao que dizes no texto, não há como fugir a tantos "eus" que moram cá dentro. Quem escreve e faz disso um descarte, um rio que deságua tudo o que é bom ou não, sabe o quanto é vital estarmos em sintonia com "eles", mas nos identificarmos, verdadeiramente, num só.

Escreve, Patti. Muito! Estamos aqui para ler.

Beijos!

Justine disse...

Agarra esse te "eu", que nós precisamos dele!
Abracinho