quarta-feira, 6 de maio de 2009

contratempo


Se houve coisa, que até a uma dada altura eu sempre tive, foi tempo. Tempo para isto, tempo para aquilo, tempo para aqueloutro. Tempo para tudo e tempo para nada. No fundo, tempo.
E planeava porque tinha tempo, esperava porque tinha tempo, adiava porque tinha tempo e até desisti porque tive tempo. Por vezes, algo falhava com o passar do tempo, corria menos bem ou até acabava por não acontecer. Mas não tinha importância nenhuma, pois o que eu mais tinha era tempo.
E com tempo tudo se conseguia, tudo se resolvia, tudo se esquecia, tudo se curava.
Tudo ao sabor do tempo. Até mesmo o tempo.
Ah, isso passará com o tempo!
Mas dei demasiado tempo ao tempo e o tempo, também teve o seu tempo. E o tempo passou.
Hoje, já não tenho tempo de perder tempo, nem tão pouco tenho tempo, para deixar passar tempo.
Faço por ter tempo, por ganhar tempo e não ter tempo perdido. Não dou tempo ao tempo.
Eu e o tempo, já tivemos mais tempo. Mas ainda estamos muito a tempo.
É tudo uma questão de tempo.

38 comentários:

de dentro pra fora.... disse...

Sempre o mesmo dilema...o tempo e o que fazemos dele e com ele..

Mike disse...

E eu, desafiando o tempo, li e reli este magnífico texto sobre o tempo, sem dar tempo que o tempo me dissesse quanto tempo o tempo tem. E não foi por uma questão de tempo. Foi por ter gostado.

Patti disse...

Mike:
E eu, que raramente tenho tempo de responder aqui, também venho a tempo de lhe dizer, ainda bem que gostou e não perdeu tempo.

Anónimo disse...

um abordagem muito engraçada sobre tempo.

Leste a "Teoria de Einstein" sobre o tempo?

se for negativo aconselho ,vivamente!Fica bem

Paulo Santos
ppssantos@gmail.com

Luz disse...

E nós, ganhamos com o tempo que se dedica a escrever lindos post como esse.

Isabel Mota disse...

Bom dia Patti

Este texto é mesmo para ler com tempo... e não deixar que o tempo mande no tempo que temos para o ler... sim, esse senhor que se tornou um luxo para a maioria de nós!
Mas é bom perceber que há sempre tempo para andar pelos teus ares.
Um beijinho.

Hoje, vou parar um pouco o tempo e... vou "esbanja-lo" pela feira do livro...

maria inês disse...

Sabes o que sinto ultimamaente, é que eu até tenho tempo, e muito, mas muito mal ocupado, o que ainda me dá mais tempo de sobra.

Carlota disse...

Belo texto.
Eu, por acaso, ultimamente tenho tido outro tipo de tempo. Daí passar menos tempo em frente ao computador. :)

once disse...

"O Tempo é um ser responsável.
Sem sombra de dúvida.
Assim lhe deiamos o tempo necessário para seguir o seu percurso, fazer a sua estrada, corrigir aquela lomba ou saldar o buraco que alguém se encarregou de escavar seguindo em frente sem se preocupar com quem vem atrás.." começava assim um texto meu de há muito tempo atrás. Hoje vinha a pensar em tempo e como tenho de me desdobrar ser uma, mais que uma, mais que duas por vezes .. e chego aqui e leio-a Patti, sorrindo.
É fácil afinal.

:))

LORENZO MONSANTO disse...

O tempo não será aquilo que dele fazemos? Sim. Nesta "reflexão" perdia algum do tempo que fiz, moldei e determinei. Mas não foi tempo perdido. E tal como diz, é tudo uma questão de tempo...e de vontade?

PAS[Ç]SOS disse...

Correndo atrás do tempo e sem tempo para falar muito mais sobre o tempo, espero vir a tempo de dizer que tem de haver sempre tempo para ler quem tem tempo para escrever, assim, sobre o tempo!

annie hall disse...

O tempo que se passa aqui nunca é perdido.
Eu gosto imenso de ter tempo mesmo quando depois reparo que segundo critério de outros estive simplesmente a perder tempo:)

Teresa Durães disse...

também concordo que o tempo é para ser usado apesar de sentir que senão o fazemos mais vezes é porque o que temode de fazer não é importante

Gi disse...

Mas que destempero vem a ser este, hein?
Se agitares o tempo antes de o usares, vais ver que ele se espalha em pequenas partículas que poderás guardar.

Mesmo parecendo não teres tempo, noto que tens semp+re tempo para mim.

Cerejinha disse...

E com isto fizeste-me recordar a minha avó que me ensinou a lenga-lenga do tempo:
o tempo perguntou ao tempo, quanto tempo o tempo tem. o tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo o tempo tem.
:-)

Si disse...

Lembra-se disto?
http://de-si-para-si.blogspot.com/2008/12/contra-tempos.html
É uma luta desalmada e desigual.
Por mais que se corra, ele foge-nos sempre...
Beijinhos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Mal comecei a ler o post, lembrei-me da história que o meu avô me contava e que relatei há tempos aqui. Lembra-se?
http://cronicasdorochedo.blogspot.com/2009/01/quanto-tempo-tem.html

Ainda não consegui voltar a dominar o tempo, mas não vou deixar que ele me domine a mim.Quero desfrutar e dispôr dele, não quero ser escravizado por ele!
Outra coincidência: Estou a preparar dois artigos sobre o tempo, que uma revista me encomendou. Um sobre o aprisionamento do tempo e outro sobre as formas como civilizações e culturas encaram o tempo

R.Rosmaninho disse...

Com o passar do tempo vamos aprendendo a dominá-lo, a saber aproveitá-lo da melhor maneira, sem pressas exageradas, sem angústias.
Não falo ainda de mim, mas dos mais velhos, alguns que tanto admiro nessa capacidade que têm de saber conviver tão bem com o tempo.

Patti disse...

Si e Carlos:
Tive de ir reler os posts, mas depois identifiquei-os rapidamente.
Tudo anda à roda do tempo.

paulofski disse...

Provavelmente aconteceu o mesmo a todos mas houve um tempo em que eu pedia ao tempo que me levasse depressa. Agora peço ao tempo que tenha tempo para passar por mim. Existe um tempo que caminha ao nosso lado, a nosso belo prazer, e outro tempo em que o tempo passa por nós, tão rápido que nem damos por ele. É claro que é uma questão de tempo porque um único segundo faz a vida valer a pena. E está um tempo tão bom lá fora!

salvoconduto disse...

E foi por manifesta falta de tempo que hoje aqui vim mais tarde do que costume.

1/4 de Fada disse...

O teu tempo veio mesmo a propósito de um conselho que a minha mãe me deu há uns dias atrás. Dizia-me ela que passou a vida a deixar coisas para agora, que está mais velha e achava ela que teria mais tempo. Disse-me para nunca o fazer. Por motivos óbvios.

f@ disse...

Olá Patti,

de tempos a tempos dou um tempo a mim e ao tempo...
faço no pulso um desenho de relógio com os ponteiros quase invisíveis e parados nas oo horas....

tempo em pó... e beijinhos

Marta disse...

Sabes que mais, Patti? é a life e o teu blog...

Lindos!

...e esta questão do tempo, deixa-me nervosa! é um mistério e uma evidência! até me dá comichão! é o tempo e a memória!

gostei!

Pitanga Doce disse...

O tempo minha cara Patti, é uma "faca de dois legumes".

Se está doente de amor: o tempo cura.

Se planeja uma viagem: o tempo nunca chega.

Se está de férias: o tempo é curto.

Se espera pelas férias o tempo é looongo.

E se já passou dos quarenta e tempo é cruel!

Mas ainda tenho tempo de te dizer umas coisas bonitas:

Life is Beautiful!!!

cristina ribeiro disse...

O tempo que vai esculpindo, e se não lhe fizermos frente nos vence em toda a linha...

Sinapse disse...

Partilho da angústia temporencial ... mas eu cá acho que já perdi tempo a mais ... e que já não estou nada a tempo ... é tudo uma questão de tempo. Ugh!Belo texto!

Pitanga Doce disse...

Ooolha! O tempo levou o meu comentário! buááá.

Patti disse...

Pitanga;
'Tá ali!

Pitanga Doce disse...

Ops! E não é que está? É que não tive tempo e ver e saí correndo. heheh

bom dia Patti. Aqui chove e acho que finalmente acabo o quadro do farol.

Fatima disse...

Ainda cheguei a tempo de comentar o teu tempo, mas se me distraio mais um bocadinho, já não tinha tempo de o fazer. Ufa!!!!

Diana disse...

Oh Patti!
Adoro esta música! É linda!
Mais uma vez obrigada por nos mostrar melodias serenas que ajudam a relaxar em tempos tão stressantes.
Esta ao menos faz-me imaginar que estou numa esplanda em frente ao mar, a beber um café com natas, com o cabelo esvoaçando empurrado por uma fresca brisa marítima noturna, um casaco agasalha-me no refresco da noite. As tochas acesas na areia acrescentam brilho às estrelas e à lua que está quase formando um circulo perfeito e se quer fazer notar. A companhia não sei quem é. Podia ser a Patti a contar-me uma das suas histórias fabulosas! =P
Obrigada!

Luísa disse...

Patti, um excelente exercício, um péssimo conselho. Porque quanto mais pensar no tempo, mais importância lhe der, mais arisco e caprichoso o torna. Sabe que mais, Patti? O tempo que se lixe!!! ;-D

Janaina disse...

E sempre arrumando um tempinho para coisas belas da vida, cá estou.

"Eu bem quis conter o tempo,
e o sol, o vento por todos os ares, mares, sem pressa...
E chover? Me inundei de querer!
Andei ligeiro, e o tempo vetou-me,
porque ele quis, e não se explicou.
Expirou, fugiu ao meu controle.
Dei tempo ao tempo,
amei o tempo que perdi!
Fora do tempo permaneci.
Quanto tempo perdi?
Nem vi o tempo passar!
Outrora quis não ter tempo algum.
Tormenta!
Projetei outro momento.
Deu-me a volta ao pensamento, decompôs, o tempo.
Num segundo muito lento
entrelaçou-me a eternidade... contou-me estórias,
disse verdades,
revelou segredos,
desvendou mistérios,
Atou-se-me aos cabelos;
fez de muitas horas um segundo,
engenhoso!
Marcou compasso,
determinou a cadência...
compôs silencio em tic-tac-tic-tac.
- Quanto tempo ainda tenho?"
(Por mim)

Patti,
Seus ares andam a inspirar-me!
;

Laura disse...

Mesmo sem tempo gosto muito de aqui vir.
Sinto-me "em casa".

BlueVelvet disse...

Como diz um amigo meu escritor, não é fácil brincar assim com as palavras.
Mas para ti, são peanuts:)
Bjs

bacouca disse...

Patti,
Sempre achei a questão "tempo" um enigma: olho para trás e penso - o quê já se passou este tempo?. Mas depois relembro o que fiz nesse período e volto a pensar: - o quê foi assim há tão pouco tempo?
Depois julgo que não devo ser a única a ter estas dúvidas metódicas e penso: afinal não sou eu que sou bacouca. O tempo é que me quer baralhar e eu não vou deixar. Caraças! Se o tempo tem pressa eu vou no meu "devagar" para saborear e tirar partido do que me interessa.

Nina disse...

Que máximo, o jogo das palavras...
e eu fico pensando no tempo que corre e a gente já nem percebe mais, tudo tao rápido... os meninos crescendo, a gente fazendo aniversário com intervalos que parecem mais curtos, o natal que parece ter sido ontem...incrível!

Bjs Patti querida