segunda-feira, 4 de maio de 2009

da pesada


Há uns meses, o meu vizinho adolescente igual a tantos outros, iniciou-se nas aulas de música.
Viola. Clássica. Muito louvável.
Vem praticando no seu quarto, dia após dia. Bastante empenhado, diga-se.
Depois, ofereceram-lhe uma guitarra eléctrica. Muito louvável também.
E logo a seguir um amplificador. Aliás, um potente de um amplificador.
Mas neste feriado, 1 de Maio, não foi Santana que ele descobriu. Com enorme alegria e pujança, o mancebo despertou para o heavy metal.

Quanto a mim sinto, jamais serei a mesma.

31 comentários:

salvoconduto disse...

Cruzes! Já passei por uma cena idêntica, mas encontrei uma solução: encostei-lhe umas colunas à parede e pus o volume no máximo...Problema resolvido!

ematejoca azul disse...

Aceitas bem o heavy metal do teu vizinho, mesmo quando sentes, que jamais serás a mesma, Patti!
Um vizinho com tais dons musicais é um pesadelo, meu Deus!

Uma semana com boa música, Patti!

Pitanga Doce disse...

Ah não será mesmo. Eu só queria que me explicassem qual a lógica para se ter um amplificador num apartamento e mais ainda num quarto. Para mim isto me parece coisa de doido. Doido e muito surdo.

beijos e vai à convenção do condomínio antes que vire caso de polícia.

Luísa disse...

Se o entusiasmo do vizinho não esmorecer (ou se não houver, entretanto, nenhuma mudança domiciliária), posso confirmar, por experiência própria, os seus piores receios, Patti: não, nunca mais será realmente a mesma. ;-D

mjf disse...

Olá!
Não desesperes...ele vai evoluir :=))
eheheeh

Beijocas

Miepeee disse...

oh ceus!! Calma ainda nao esta tudo perdido, ele vai perceber que e melhor voltar aos sons iniciais....espermos!
Beijinho.

maria inês disse...

Amiga, tens sempre um quartinho lá por casa!!!

Gi disse...

Heavy headache, I presume!

Na vivenda ao lado da minha, toca-se bateria. Pronto!

paulofski disse...

Está a progredir o mancebo. E que tal dar-lhe potente acorde, não precisa ser musical, para que ele saia numa tournée mundial!?

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como desta vez regresso sem o habitual mau humor,a minha proposta é a seguinte:
-Grave um discurso do LFV e depois reproduza-o,seguindo as instruções do Salvoconduto. Se- caso improvável- o mancebo não for do SLB, então grave um discurso da Manuela Ferreira Leite.

Teresa Durães disse...

bom, eu ouço heavy metal, o meu filho tem uma bateria, para além da banda. pior são as músicas (infantis) da filha e o som dos Simpsons

de dentro pra fora.... disse...

Olha o meu(filho) adora fechar-se ne estaminé dele a dedelhar e com o som no maximo, não sei como consegue...ainda bem que estaminé fica fora de casa..

Pitanga Doce disse...

Ouvi dizer que há um concerto do Iron Maiden lá pelo shopping Amoreiras. Vai???? hehehe

bom dia e vou dando sugestões no decorrer do caso.

Luz disse...

Patti querida,

Creio que nunca mais será o mesmo.
Mas ainda há soluções. E aqui temos muitas delas e bem criativas!
No meu caso tentaria do diálogo com o vizinho quanto ao volume.Não conseguindo um acordo, chamaria o disk silêncio e reunião de condomínio!
Os limites e os direitos precisam ser respeitados.
Enquanto isso, sugiro tampões para o ouvido.
Beijinhos

1/4 de Fada disse...

A evolução vai continuar, sim. Quanto mais não seja daqui a uns anos ele fartou-se e já ouve outras músicas. É nestas alturas que nós agradecemos ao governo as muitas horas que eles passam fora de casa!

once disse...

hein? o quê? desculpe, Patti, mas pode repetir?

(não oiço nadica de nadica)

;) pois ..

bacouca disse...

Isso é que é um verdadeiro virus Patti!!!

Pepper disse...

Muito bom!

Tenho a certeza que ele nunca mais será o mesmo...

Qual Santana qual quê!!!

Bjos

RB disse...

Por trás de um grande músico está sempre um grande vizinho...

Mike disse...

Quiçá uma forma de rejuvenescer, Patti. (risos)
O meu mais velho tem uma bateria no quarto, mas é daquelas que ele põe os phones e se tiver a porta fechada ninguém o ouve. O caçula também já vai direito para o quarto do mano, quando chega da escola. Caramba, isto é um abuso, mais parece um post. E já estou como o Pepper, qual Santana, qual quê. (mais risos)

Marta disse...

Eu estou a rir! Confesso! Mas daria em doida, no teu lugar :)

cristina ribeiro disse...

E não pode ter uma conversinha de-pé-de-orelha com ele,Patti? Assim no género:a tua música ficaria um supra-sumo se a tocasses dois tons abaixo :)

Janaina disse...

Olá, Patti.
Aconselho que lhe apresente as musicas lentas do Metálica.
Nenhum outro estilo faz musicas lentas tão lindas quanto o heavy metal, diga-se.
E se, a evolução do adolescente vizinho seguir a passos lentos,
acaso não tens acesso ao gerador de energia? =]

f@ disse...

Shi Patti...
como é que eu ia conseguir escutar os pardais que cantam todas as manhãs nas heras dos meus muros....

tu sabes dar a volta a qualquer músico desses...

beijinhos

Violeta disse...

Patti
e s eele não evoluir rapidamente, em breve vamos ler pos muito mal humurados aqui pelos ares da minha (des)graça...
coragem e boa sorte!
quem não passou já por isso?
Em tempos tinha uma vizinha que às 6h, ligava a telefonia, em alto e bom som, no programa da Rádio Renascença "Olga cardoso e António sala". A sua cabeceira da cama dava com a minha, poucos centimetros me separavam daquela barulheira. E sim, não era a mesma!

annie hall disse...

não , não foi realmente a primeira e unica razão pelo que deixei Lisboa e vim morar de vez no campo , mas....foi uma razão que pesou muito:))))

Si disse...

Ó valha-me Deus!
Então nós temos um Bairro da Graça tão eficiente em fiscalização, levantamento de autos de notícia e cobrança de multas e no seu próprio condomínio deixa-se intimidar por um mancebo???
Lá diz o ditado: em casa de ferreiro, espeto de pau!

P.S. - Se necessitar dos meus serviços, já sabe os honorários...

mariam disse...

Patti,
rsrsrsrsrs
não é que vejo aqui uma copiazinha do que se passa cá por casa! o filhote (14 anos) está a fazer esse percurso, o que vale é que vivo numa vivendazinha... e sempre há o amplificador... que reduz o ruído rsrsrs e ainda assim, continua a tocar calminhas na g.clássica ...

olha, não resisti e vi o YSL L´Home! e quanto aos dilemas gráficos, cedilha antes ou após, também os tenho :)

um grande abraço e um sorriso :)
mariam

O2 disse...

Força camarada!

eheheh

Já sabes, sempre que precisares de um ombro amigo conta comigo.

BeijÔ

Sinapse disse...

lol!

costela de adão disse...

Como te compreendo! O adolescente do andar de cima também anda a dar uns toques de viola - mas acho que não é com aulas porque não toca muito, dedilha mais do que toca. Infelizmente, o pouco que toca é inversamente proporcional ao barulho que ele e os amigos resolvem fazer, com jambés e flauta (sim, flauta!!!) à mistura! Por acaso foi na madrugada do 1 de Maio que a coisa descambou: estavam em alegre festa às 5 da manhã!! Vou ter que falar com a mamã, quando ela por aí aparecer. Sim, os cachopos parecem passar demasiado tempo com a casa por conta deles.