terça-feira, 19 de outubro de 2010

outubro


Chega o dia do internamento. A mala está no canto do quarto, desde o dia do diagnóstico.
Quieta, ali. A encher-se de pó e de angústias. A mesma mala que tinha levado para sítios felizes e destinos expectantes. Nada como este agora, que apesar de possuir tudo de destino, pouco terá de felicidade. E ainda menos de expectação.
Glória pousa a mala na cama, sempre por fazer nestes meses, e tenta imaginar no que levar para um sítio donde não se sabe se se regressa.
Camisa de dormir? Talvez ... mas aberta à frente, ou nos lados? Discreta como o ambiente do quarto? Alegre para o contestar? Não sabe. Nunca fez isto antes.
E soutien? E porquê um soutien? Aliás, ri-se, ridícula, da sua gaveta repleta deles: pretos, cor de pele, brancos, com florinhas, riscas e corações, bolinhas e lacinhos. Não leva nenhum. Decidirá o que fazer com eles quando voltar. Se acontecer.
O telemóvel, não quer. Um livro para ler, não consegue. Papel e lápis, não precisa. Não aspira a deixar memórias.
E finalmente decide. Não leva mala nenhuma. Tantos meses ali no canto, para nada.
Mas nunca dispensará o frasco do champô. Tem uma adoração antiga com o seu cabelo comprido. Louro, como poucos. Glória quer tratar dele até ao fim, até ao último instante, até àquela data que sublinhou a encarnado na sua agenda. Onde publicou uma palavra longa que se recusa proferir.

E num ímpeto de sobrevivência, suprime da agenda aquela porção de futuro, determinada numa consulta de rotina, e anota-lhe por cima, a grosso: comprar mais champô!

Outubro - Mês de Prevenção do Cancro de Mama


16 comentários:

CNS disse...

A não esquecer. Muito bom.

Poetic GIRL disse...

Infelizmente a realidade de tanta gente, nem consigo imaginar passar por uma situação dessas, beijo

Dulce disse...

Um momento tão difícil a ser enfrentado por tantas e tantas mulheres...

paulofski disse...

Deixo num pequeno comentário escrito a rosa uma palavra dirigida a todas as mulheres, toca-te.

cancromama.blogspot

cancrodamama.com

ligacontracancro.pt

apamcm.org

cancronamama.blogspot

min-saude.pt

BlueVelvet disse...

Um excelente texto que deixa delicadamente entrever nas entrelinhas tudo o que se vai passar, ou não e as consequências.
Uma delicadeza habitual que faz com que os teus textos pareçam que flutuam mesmo quando tocam num flagelo de que todas nós mulheres só queremos fugir.
Beijinhos

Tite disse...

Nada como viver cada dia como se fosse último esperando que o não seja.

Beijossss solidários com quem padece desta doença

Reflexos disse...

ISto é o mundo real

Justine disse...

Texto subtil, insinuando um drama, para ler suavemente nas entre-linhas. No fim, a âncora da esperança!
Muito belo:))

Rosa dos Ventos disse...

Alertar é preciso!
E então desta forma tão subtil, deixa-nos sem fôlego...

Abraço

Nina disse...

Patti querida!
Qt tempo...
tenho tido pouco tempo pra usar a internet, meu filhinho só quer ficar no colo :(

Sobre o post, bem escrtio como sempre, acho que uma das coisas boas (entre tantas e tantas) de ser mae e amamentar, é o fato de a amamentacao proteger contra o cancer de mama, acho que já li isso em algum lugar, entao mulheres, vamos todas amamentar nossos babys :=)

Um bj Patti com carinho
ps. a gente escreve shampoo no Brasil, acho ridículo...

annie hall disse...

Obrigado .

disse...

Olá Patti,
...
Sempre tão especial quanto b elo o que sempre escreves... como o cheirinho do champô...

beijinhossssssssssssss

ematejoca disse...

O texto é belo e muito súbtil, contudo não é súbtil suficiente para que eu pare de chorar...
Acabo de perder uma amiga com um cancro, não da mama, mas isso não importa.

Laura Ferreira disse...

Tema que me é particularmente próximo e doloroso...

Gi disse...

E nos detalhes desarmamos a vida.

Turmalina disse...

A perda do cabelo com a quimioterapia acho que é umas das fases que mais fere o íntimo de uma mulher.É cruel demais...