segunda-feira, 26 de outubro de 2009

dormir ao contrário


Uma semana, três insónias. Nem os carneiros contados me têm querido valer; ridículas ovelhas tosquiadas muito enfezadas, ovelhas tresmalhadas, ovelhas negras e ovelhas ronhosas a balir. Houve um pouco de tudo, saltando a custo velhas cercas tão ansiosas de descanso quanto eu. Mas aos carneirinhos gordos e alvos, pulando em fila, nem vê-los.
A insónia não passa de uma armadilha de desespero, com cara de falsa calma branca, iludindo-nos nos seus primeiros momentos numa espécie de sugestão à meditação. Leva-nos ao despertar total, forçando-nos a colorir o sono que não vem, com as tonalidades que nos esquecemos de pintar a vida durante o dia. Perdemo-nos em pensamentos, criamos olheiras lívidas e pregas fundas em lençóis de angústia acordada.
Fecho os olhos com força para não despegarem, na esperança vã de guardarem o sono lá dentro. Aferrolhado, preso no intrincado curvo das minhas pestanas, cosido na linha escura da noite. Mas não há forma, a insónia é matreira como aqueles livros maus de capa bonita, que nos forçam a ficar agarrados até à ultima página, numa interrogação aflita de sabermos quando vamos
finalmente começar a sonhar.

22 comentários:

Salvoconduto disse...

Carneiros? Já lhe perdi a conta. Quando assim é, leitor de MP3 e que se lixe. Às vezes resulta.

continuando assim... disse...

desesperante.... :(

gostei!

boa semana
teresa

fugidia disse...

Ohhh :-(

(hoje tem de anadar muito a pé ou fazer outro exercício para desgastar o corpo; à noite meio copo de leite morno...)

Boa semana, Patti :-)

Gi disse...

Nem sei como a este hrrível fenómeno se chama insónia; dever-se-ia chamar exsónia.

pedro oliveira disse...

Este fds não tive tempo para ter insónias...já não tenho 20 anos e Coimbra em festa,Latada, dá cabo de um gajo.
bjs
festa no vf

Rosa dos Ventos disse...

Como eu conheço esse desepero! :-((

Abraço

Dulce disse...

Patti

Tomo a liberdade de oferecer ao seu "Ares" um selo que poderá ser retirado, se o aceitar, no "Livro doa meus seloa.
<< http://em-prosa-e-verso-selos.blogspot.com >>

Obrigada e um bom dia.

Dulce

CPrice disse...

tão metafórica ! ;)

Adorei. É tal e qual. E em algumas delas não há remédio que nos ajude; só mesmo alguma paciência*

Beijinho e votos de boa semana
Cat

Si disse...

Fossem as insónias sempre assim tão expressivas, e até me aguentava com algumas, regularmente...

P.S. Não será do stress provocado pelo inquietante vazio do saco azul?????

Pitanga Doce disse...

Olcadil nela! Não há outro jeito. E ao rapaz daqui de cima, o Pedro, tive pena de não ficar para a Latada. Não ia haver insónias. É sempre a andar! Ou a beber, sei lá eu! Quem sabe ao som do Quim, o Barreiros! hehehe Ai não, que este é só na Queima.

beijos Patti (deixei recado lá na árvore)

drengo disse...

quando me calham noites assim, refugio-me na televisão. ou está a dar alguma coisa interessante, e aproveito, ou o enfado de tanto zapping sem sucesso acaba por me desligar o neurónio que teimava em estar desperto...
que voltem a acontecer tão depressa, Patti, uma boa semana para si.
J.

Justine disse...

Quase me atrevia a dizer que vale a pena ter uma insónia de vez em quando, para nos presenteares com magnífico texto como o que ecreveste. Hoje já vais dormir como um bebé, tenho a certeza:))

paulofski disse...

Sorrateira, vem pela calada da noite, como quem não quer a coisa, e de mansinho vai marcando a sua posição, a cada pensamento, a cada momento, cravando-se na mente como uma tatuagem.

Um chá de camomila e assistir ao canal do parlamento, é remédio santo.

Laura disse...

Como eu compreendo... nem com 10 rebalhos e a contá-las às vezes eu consigo...

Tite disse...

Eu dessa matéria sei muito pouco mas hoje ouvi um médico dizer que uma ajuda poderá ser a ginástica (eu diria trabalho físico em vez de intelectual), ir para a cama a horas ditas normais e o sono vem... naturalmente.

Mike disse...

Abençoadas insónias, as suas, Senhora Presidenta, que lhe dão para escrever assim. Digo eu, um egoísta comentador. ;)
Patti, não há insónias imbatíveis. Dê-lhes luta e vença-as. :)

Luísa disse...

Conheço muito bem essa experiência, Patti. Fica-se mais «desperta» do que quando se está simplesmente acordada. Um horror! De há uns tempos a esta parte, combato a espertina com a leitura. Desperta por desperta, sempre trabalho para ficar um pouco mais esperta. ;-D

cristina ribeiro disse...

O desespero dos ponteiros do relógio. Ler é, para mim, o melhor remédio. Quando tenho de ler duas vezes a mesma frase para a entender, está na hora de apagar a luz.

Fatima disse...

O que tu precisas é de ir ao teatro e soltar uma valente gargalhada!

f@ disse...

Olá Patty,

sou uma pedra viva...

quando a !n sónia me "cha teia" ando na varanda descalço...

depois ao amanhecer paro o tempo e peço ao sol que venha tarde...

nunca me fez esse favor... mas eu não abro as cortinas...

infinito beijinho

Filoxera disse...

Tens de apurar a causa dessas insónias...
Cuida-te!
Beijos.

Blue Velvet disse...

Sei bem o que são insónias.Não há carneirinhos que nos valham.
Mas se é para ler um texto assim, então podes ter uma insónia por semana.
Bjs