terça-feira, 6 de outubro de 2009

no confessionário aos 40 #2


Tenho andado de uns tempos para cá, com carteiras cada vez maiores. Cabe-me grande parte da vida lá no fundo e sinto-me precisar cada vez mais de andar com ela atrás. Não que receie que algo me fuja de repente, assim sem eu contar, mas com a vida nunca se sabe. Daí que prefira carregá-la em desafogadas bagagens de mão.

19 comentários:

Si disse...

Pois é, se a Sra. Presidenta não andasse sempre de saquinho azul atrás, não precisava de carteiras tão grandes, ah, pois não, mas como não passa sem os trocos que eu me esfalfo a angariar, é no que dá, e depois ainda lhe chama receios da vida.... pfffff!

P.S. E já anda a cortar na idade?? tsk, tsk, tsk, nem parece seu...!!

Luísa disse...

Passa-se o mesmo fenómeno comigo, Patti, das carteiras cada vez maiores. Só ainda não tinha percebido porquê. ;-D

de dentro pra fora.... disse...

Será o mal dos enta (quarenta)?..
eu também gosto deles assim, mas zango-me toda se não encontro o que quero, quando quero,
então as chaves do carro, parece que desaparecem por magia..

cristina ribeiro disse...

Se tivessem gavetinhas, para guardar, bem estanques, cada pedaço de vida...

Funes, o memorioso disse...

Pois eu invejo-vos. Sendo um bocado gay usar carteiras de senhora e não havendo carteiras grandes para homem, limito-me a perder tudo em toda a parte.
Também é verdade que se, para entrar em casa, tiver que procurar as chaves na carteira da minha mulher, prefiro ir dormir ao hotel.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Cada vez que ouço falar de carteiras grandes, ficologo arrepiado. Só de me lembrar daqueles Onze Minutos que descrevi no Rochedo. Livra!

O2 disse...

Caramba mulher, Como eu te entendo, queres vir tomar um chá? Hoje fiz scones e bem que precisava de alguém que me ajudasse com este peso que tenho praqui na mala... Beijo dos grandes.

BlueVelvet disse...

Nem me fales.
Às vezes dá-me umas fúrias tão grandes que a despejo toda, onde quer que esteja, para encontrar o que procuro.
Não me tinha era lembrado de carregar lá dentro a minha vida. Para isso acho que precisava de um baú, daqueles do LV com compartimentos.
Beijinhos

pedro oliveira disse...

eheheheh. viste isto, viste aquilo? está na tua mala. não está nada,já vi. então despeja tudo em cima da mesa. tinhas razão estava na mal.ok.
conversa tipica entre homem e mulher.
bjs

mjf disse...

Olá!
Malas grandes e desorganizadas???? É um dom de Mulher:=))))


Beijocas

Nina disse...

Patti, hoje mesmo sai pra comprar uma, me vi diante somente de grandes.. mas que coisa maluca isso menina! porque somos assim hein??

Gi disse...

São tão grandes, tão grandes porque se tornaram blocos de papel.

Blondewithaphd disse...

Idem, idem, aspas, aspas. Enfim, talvez dÊ para musculação e tonificação de bícepes e trícepes...

Rosa dos Ventos disse...

Devíamos aliviar a nossa "carga" mas vá-se lá saber porquê não o fazemos! :-)

Abraço

CNS disse...

Mesmo sem ordem, sabe bem ter esse pedaços de vida sempre à mão...

paulofski disse...

Nem sei porque o Homem insiste em olhar para o céu, partir pelo desconhecido em direcção às estrelas, quando na verdade lhe bastava mergulhar nesse misteriosa dimensão, espaço sideral de objectos perdidos e mundos paralelos que é a mala de senhora!

Filoxera disse...

Assim, podes sempre fazer como naquela canção "Um homem muito brasa, muito brasa, p'ra meter na mala e levar para casa"- lembras-te?

Laura disse...

As minhas também aumentam... quanto maiores são mais tralha lhes meto lá dentro...

bacouca disse...

Patti,
Pode ser dos "entas" e como estou já a algum tempo nos cinq, cheguei à conclusão de que "quanto maior é a nau maior é a tormenta" e eu não estou para isso!