segunda-feira, 23 de novembro de 2009

exercício #2: suspense?


Precisava de se isolar. Deixou-se ficar para trás, naquela desordenada cozinha cheia de suja louça, encavalitada num exercício de equilíbrio pouco seguro. As luzes já estavam fracas, pastosas e arrastadas, como aqueles sonhos que não terminam, mas conseguiu distinguir num canto escuro, a solidão de uma única laranja ainda por descascar, esquecida à sangria de champanhe.
Retirou do suporte uma faca afiada, daquelas de lâmina luzidia e reflectora, que fazem suster a respiração se empunhadas com destreza. Pôs-se a observá-la com cuidado, subindo-lhe à ponta dos dedos uma tensão nervosa, rogando-lhe que a usasse.
Lapidou a fruta tímida e descolorada, primeiro de forma subtil e delicada, mas à medida que a acústica do silêncio fazia ouvir os silvos do facalhão na bancada de aço inoxidável, fazendo clara concorrência com as estridentes buzinas dos carros, lá fora no vendaval da noite, ele entusiasmou-se e em três golpadas certeiras, desfez carrascamente o aflito fruto em pedaços, provocando-lhe um desmaiar fatal de sumo escorregadio.
A inexperiência fê-lo falhar o último golpe. E no chão de mármore branco impoluto, misturaram-se numa dança lenta, a espessidão encarnada do sangue fresco da sua mão,
com a seiva doce da vítima.

22 comentários:

BlueVelvet disse...

Estou a começar a ficar preocupada. Não seria o caso de retirar dessa cozinha todas as facas e citrinos?
Um dia destes não irá ele confundir-te com uma suculenta laranja?

Pitanga Doce disse...

Óporamordedeus alguém chame o IMEM!

Pitanga Doce disse...

Olha, o susto foi tanto que errei nos Serviços. É o INEM, pá!

Dulce disse...

Patti
Nunca imaginei que o simples cortar o dedo ao descascar uma prosaica laranja pudesse resultar num texto desses... Maravilhoso...
beijos e bom dia para você.

Gi disse...

Deve ser assim que nasceu o sumo de toranja.
Credo mulher que tu andas tão de faca na liga. ;)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Começo a ficar muito preocupado com este crime. Espero que se fique pelos citrinos e não vitimize tambêm os pêssegos

fugidia disse...

Ui... (fugindo)
(lembrei-me de um post do meu amigo garfanho e arrepiei-me, de novo...)


Boa semana, com laranjas mais doces... :-D

Lúcia disse...

E a música de fundo? tem de ser algo mais... Pássaros:)

Luísa disse...

Preocupa-me aquele súbito entusiasmo dele, Patti. Diz que o «golpear», «retalhar» e «fazer em pedaços» é um gosto que se adquire... ;-D

CPrice disse...

vai em crescendo o sentimento que provocas nestas letras mais duras dos que as a que me habituaste, por aqui.

Impossível ficar indiferente.

paulofski disse...

Espremidinho, esprimidinho, exercitarás ainda outros cenários de uma voluptuosidade perturbadora dos desejos, hummm!

cristina ribeiro disse...

E tudo muito devagar para tornar maior o medo.

disse...

Olá Patti...

belo mto sempre o que escreves..

e senti...

amanhã volto...

parabéns

!nfinito beijinho

Mike disse...

O que essa laranja vibrou nas mãos dele. Por curiosidade (mórbida), de cor era o verniz das unhas dos pés da laranja?

Patti disse...

Mike:
Escarlate a a tirar para o azulado (mórbido também). :)

Andreia disse...

:) que sádico prazer!

Nina disse...

uau! eu tava lembrando que preciso me forçar a comer mais frutas, já que não sou grande fã delas... mas assim, aahh perdi o apetite Patti :)

Justine disse...

Ora aí está um excelente começo de um romance policial a escorrergar para o surrealismo. Vamos lá ao 2º capítulo:))

Si disse...

Ora então já cá cheguei.
A esta hora tardia, mas foi o que se pôde arranjar.
A ver se ponho ordem nisto:
Sr. Carlos Barbosa de Oliveira, o Sr. faça o favor de fazer o relatório pericial do crime.
Sra. Dna. Luísa, a seu cargo ficam as fotografias, e não esqueça que deve tirar mais do que uma de cada prova, ao lado do respectivo nr. e bitola de referência.
Sra. Dna. Pitanga, já que chamou o INEM, vai ter que constar do rol das testemunhas.
À Sra. Dna. Gi vai caber a tarefa de analisar todas as fotos tiradas pela Dna. Luísa.
Dna. Velvet, como é evidente, instruo-a como advogada de defesa.
E a principal suspeita, é claro que é a Dna. Fugi, apanhada em flagrante a pirar-se da cena do crime.
Está tudo, não está??
Ok.
Sra. PresidentA, à porta do seu blog vai ser colocada a tarja amarela que diz 'Crime Scene do Not Cross', por isso, considere o seu blog encerrado até ao final das averiguações.
Até logo!

pedro oliveira disse...

Ai presidentA que este seu eleitor anda numa roda viva que nem para a s reuniões de condominio , diárias, já consegue ter tempo. O vila forte reclama e os vizinhos também ,mas isto da crise que felizmente não é para todos.
Prevejo uma saga "crime disse ela" cheia de vitamina c, para salvaguardar a vizinhança de uma qualquer gripe que apareça.
bjs

Patti disse...

Si:
Oh assistentA, mas quem é que lhe deu liberdade, para se chegar à frente, assim dessa maneira?

Mas quais tarjas amarelas, quais quê!
Vá mas é lá para o seu cantinho escuro da Junta de Freguesia do Blogobairro, carimbar o que tem em atraso!

Filoxera disse...

Tchanã!
Clap, clap, clap.
:-)