quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

há quem esteja só de passagem


Caminhou toda a existência de cabeça baixa, habituado a obedecer e servir sem reticências, nunca deu por nada, por coisa nenhuma, sequer deu por si.
Não soube que a vida é um momento breve, a felicidade um instante e a luz do dia um veloz clarão.
Quando o chamaram pelo nome que não sabia ter, nem ligou. Foi preciso insistir, para que acordasse os olhos das pálpebras e olhasse para quem lhe gritava.
Era a vida, que reparando finalmente nele, o vinha chamar para a cumprir.
Morreu de imediato, logo ali, em cinco ou seis segundos.
Chamava-se Efémero.

36 comentários:

bacouca disse...

Quantos efemeros andam por aí deixando passar a vida sem nada "fazerem" com ela e por ela!Como me deixa triste constatar tal facto quando também sabemos que haveria tanta gente a querer ter mais um minuto vivido em pleno da sua vida!

Luísa disse...

Está a falar de tudo e todos, Patti, embora alguns ainda não tenham percebido. ;-)

BlueVelvet disse...

E são tantos!
Alguns andam cá 80 anos e mesmo assim foram Efémeros.
Bjs

salvoconduto disse...

Quero lá saber se ele morreu, o que me interessa é saber que estou mais sossegado!
Safa!

Pitanga Doce disse...

Eu já penso que falas de sentimentos. Cada vez mais efêmeros, fugazes, fluidos.

boa noite, menina Patti.

O2 disse...

O efemero de todos nós...

Beijo quentinho com sabor a chá das cinco e scones... quem sabe um dia, para guardamos como recordação boa no lugar das recordações boas, beijo quentinho!

once disse...

de tudo e de todos como diz Luísa e bem :)
Pena que haja quem o constate tarde .. muito tarde.

Brilhante texto Patti *

Gi disse...

Oefémero é como um fogo fátuo, nem sequer caminha, enflasha-se e eclipsa-se.

Gi disse...

A imagem de marca do Ares, a sua cortina, de vez em quando também lhe dá para as efemeridades.

Hoje está de volta!

mjf disse...

Olá!
O melhor mesmo é viver a vida intensamente...

Beijocas

Justine disse...

Efémero é tudo o que é frágil e belo...

pedro oliveira disse...

Enquadra-se no ditado que diz, que tudo o que é bom acaba-se.

Álex disse...

triste a condição de Efémero, sobretudo se não tem consciência de si mesmo...

LORENZO MONSANTO disse...

E podia ter o nome de qualquer um de nós...por vezes.

Nina disse...

Ohhhh... Patti! Que bonito e triste ao mesmo tempo... é verdade, há tantos efêmeros por aí.

paulofski disse...

Esta vida é mesmo assim, passageira e tão fugaz, que quase não dá tempo de a aproveitar. É mais ou menos como o meu salário!

Pitanga Doce disse...

GI, para mim o cenário continua cinza. Não roupas, nem molas. Deve ser porque está a chover e a dona da casa não pôs a máquina a trabalhar.

beijinhos meninas

Teresa Durães disse...

parece que há bastantes assim mas ã vida não os chama

f@ disse...

Os que nascem e falecem no mesmo dia…como algumas borboletas de asas coloridas…
…tão plenamente como quem duram cem anos… o importante mesmo é a intensidade com que se salta a fogueira….
Olhar o vento nas labaredas da vida… a alegria e o sorriso, o beijo e o abraço numa tarde de chuva… tão efémeros quanto o arco-íris reflectido no lago dos sonhos….

Ou noutro assim belo como o da tua imagem...

Das nuvens beijinhos

ematejoca disse...

Olá Patti!
O "efémero" também pode ter um lado positivo... e a imagem é um sonho.

Sei, que a Patti nem quer desafios, nem prémios. Todavia, ao pedir para ir buscar o prémio, que tenho no "ematejoca azul" para si, é uma maneira de dizer, que gosto deste blogue.

O vídeo do portugues perdido em Berlim coloquei-o no "ematejoca"!

Cumprimentos de Düsseldorf!

Pitanga Doce disse...

Ora aí estão as molas e o varal. É sinal de que a dona da casa já ligou a sua Ariston.

Miepeee disse...

Acho que cada vez ha mais Efemeros.
Beijinho.

Patti disse...

Pitanga:
Olha que sempre cá estiveram. Isso deve ser o calor que te tolda a visão...:):):)

Rosa dos Ventos disse...

Estou com a Justine, no que concerne à beleza.
Tenho medo do que veio para ficar e que é triste, feio e nos faz sofrer!

Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O grande problema, é que muitos pensam que são eternos. Se assim não fosse, o mundo seria de certeza melhor

Flower of desert disse...

Quantos de nós temos muitos momentos assim, deixamos a vida passar ao lado e de repente quando nos damos de conta ela está a findar e tal como dizes aí pensamos fui efémero.

Mike disse...

Efémero soa sempre a inacabado, a desperdício. Curiosidade, Patti: Efémero era o nome ou o apelido do senhor?

Patti disse...

Mike:
Nome. Nem sequer teve tempo para ter apelido.

Violeta disse...

e foram tantos os efémeros...
gostei muito deste efémero momento.

Si disse...

Só tenho tempo pata um beijinho, amanhã comento...sorry, não deu para mais hoje, e estes posts não se comentam de qualquer maneira.
Beijnhos

Laura disse...

Agarremos o efémero, com unhas e dentes. Não é disso que vivemos, desse instante de tempo que inscreve nas nossas vidas o fugaz, o bom, o que nos marca a pele?

A minha pele tem muitas marcas dele.
Eu acho que a tua também.
E é nela que leio as tuas palavras.

Sónia disse...

Quantas vezes o efémero é o mais intenso. E quantas vezes não damos valor a esses breves instantes.

Si disse...

Não consigo comentar este texto. Já li, reli e tornei a ler.
A palavras fogem-me das mãos e não as consigo agarrar, ao dar-me conta que todos os dias são assim, passados em momentos fugazes que não voltam mais, e que, de repente, quando pensamos que ainda é ontem, afinal já é depois de amanhã.

Borboleta disse...

O tempo voa e as pessoas nem dão conta...

Todas as pequenas grandes coisas passam por efémeros acontecimentos que se não lhe dermos o devido valor...já era...já foi...

Beijos!

ana v. disse...

Há uma beleza nobre no efémero, Patti. Uma espécie de grandeza, embora raramente seja vista como tal. O que está de passagem tem sempre pouco peso, mas por outro lado é livre.

Filoxera disse...

E não somos todos efémeros???
Beijinhos.