segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

hoje não escrevinho nada

Escrevinhem vocês.


"A humanidade leva-se demasiado a sério. É esse o problema original do mundo. Se o homem das cavernas soubesse rir, a História teria sido muito diferente".

Lord Henry, in O Retrato de Dorian Gray, Oscar Wilde

27 comentários:

salvoconduto disse...

Eu bem sabia que alguém tinha a culpa...

Pitanga Doce disse...

Ah, eu tenho tanto para escrevinhar e ainda mais com essa música ao fundo! Mas este braço ainda não me deixa e hoje foi dos piores dias para doer! Talvez porque tenha me excedido um pouco.
Sinto falta de remexer minhas pastas com escritas antigas, meus papéis de cartas, folhas soltas amareladas de cadernos que se perderam no tempo, minhas fitas de cetim...e só se remexe com as duas mãos.

Tenho tanto para dizer com as mãos!

beijos, Patti e perdoa se desta vez não te fiz sorrir. Nem sempre dá pra coisa.

Pitanga Doce disse...

PS: ADORO ESTA MÚSICA !

mjf disse...

Olá!
Oscar Wilde...um sábio...por vezes incompreendido ...
Hoje também tenho uma citação dele no meu cantinho...
;=)

Beijocas
Boa semana

Nina disse...

Vc pode até não escrever, mas sempre dá o seu toque!
Wilde?? Deus meu! bela escolha :)

Gi disse...

Esse Dorian era muito grey, fosse ele mais gay (jovial, que eu não quero aqui mal-entendidos), saberia que o homem pré-histórico sorriu bastante, foi ele quem maor margem teve para a invenção... e isso faz-nos sorrir e rir. ;)

Patti disse...

Pitanguinha:
Não abuses da sorte... as tuas melhores e descansa. Beijinhos :)

once disse...

a smile a day keeps the sadness away ;)

Bela escolha Patti * Boa semana :)

Si disse...

Não sei se a humanidade se leva demasiado a sério. Até duvido e cada vez que penso nesta frase, aproximo-me de uma quase certeza. Se a humanidade se levasse mesmo a sério, não faria tantas tentativas infantis de se liquidar a si mesma.

de dentro pra fora.... disse...

O maior problema é não saber rir de si mesmo...

LORENZO MONSANTO disse...

Ainda hoje é o meu livro favorito. Já o ofereci vezes sem conta.

O "Príncipe dos aforismos" mostra bem porquê...

BlueVelvet disse...

Embora adore Oscar Wilde acho que se ele visse a humanidade hoje, não teria escrito isto.
Se a humanidade se levasse a sério não fazia tudo para se destruir.
Bjs e boa semana

Carlota disse...

É a crise instalada na blogosfera. Ou o resultado de um Inverno que custa a passar. Eu própria, tive de recorrer à republicação...

claudia disse...

Já diz o ditado que rir é o melhor remédio...
bjos

paulofski disse...

Ora aí está outra bela frase que daria muito boas razões para reflectir, mas hoje o meu problema é esse mesmo, estou demasiado sério. Quem sabe, agora que sair à rua, não ficarei mais risonho!

Ka disse...

è muito bom termos a capacidade de nos rirmos, principalmente se o soubermnos fazer de nós mesmos :)

beijinho e boa semana!

f@ disse...

Olá Patti,
Se a humanidade não se excedesse desta forma fútil... e tão presunçosa... talvez as nuvens não andassem tão cinza...
deve ser o homem das cavernas com um so(r)riso de escárnio...

Beijinhos das nuvens

1/4 de Fada disse...

Sabes que nunca li "O Retrato"? De Wilde só li os contos, o que é imperdoável, porque sei que tudo o que ele escreveu é maravilhoso.
Agora vou tentar descobrir se o homem pré-histórico se ria ou não :)
Acho que a partir do Homo Sapiens Sapiens já se ria de certeza.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Anda com preguiça e põe os súbditos do bairro a trabalhar, né? Qualquer dia candidata-se a PM, tou mesmo a ver...

Justine disse...

Concordo totalmente com Lord Henry, aliás os lordes têm sempre tendência para terem razão...:))
Rir pode ser uma arma, um acto libertador, uma subversão!

Precis Almana disse...

Só 1 ano? Pareces mais do que profissional disto...
Aqui ando eu, devagarinho, devagarinho. Tão cedo não poderei "perder-me" por aqui, mas não deixo de espreitar.
E a cada livro que abro penso nas devoradoras de livros que "conheço", sendo tu uma delas :-) Era tão bom que não houvesse mais para fazer! Recuperar seja do que for - desgostos de amor, doenças, cirurgias, etc. - é chato e pode ser depressivo. Mas não o é se se tiverem muuuuuuuuuitos livros. Dos bons, claro, daqueles que nos prendem e nos fazem não nos apetecer fazer mais nada senão tê-los à frente dos olhos. E tenho tido sorte porque têm todos sido assim. Serão os ditos, ou a minha alma que agora os vê assim — até por necessidade —, como a certa passagem n'"A sombra do vento" acerca da leitura?
Beijinhos amiga que partilha coisas boas como bolhinhas para rebentar :-p

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
cristina ribeiro disse...

O bom que podemos pensar é que em África as coisas são diferentes- não obstante todas as injustiças- porque lá as pessoas comuns não sabem não rir.

Mike disse...

Escrevinhem vocês? Humprfft! Hoje não vou levá-la a sério, Patti.

Teresa Durães disse...

eu fiz o mesmo... malditas segundas!

Marie Tourvel disse...

Patti, querida, é a Marie... vim lhe fazer uma visita. Adorei seu blogue. E seu texto no Porta do Vento está maravilhoso.
Ah, e Oscar Wilde vira e mexe enfeita meu bloguinho.

Um grande beijo

Patti disse...

Marie Tourvel:
Olá, seja bem vinda ao Ares e obrigada pelas palavras!