segunda-feira, 11 de agosto de 2008

madalena

fotos minhas

Uma das minhas grandes amigas, mora no Alvor, vizinha de Lagos.

Numa casa linda, genuinamente algarvia. Típica. Das cores à chaminé. De um enorme terraço no topo da casa, desfrutamos o mar e o terreno que nos leva até lá, coberto de vegetação.

Herança de família, foi recuperada e reconstruída no meio de paisagem protegida, muito seca e árida, como os mouros gostam. Ainda ganharam de presente, dentro da propriedade, um pinheiro gigantesco que oferece de mão beijada, uma sombra de valor incalculável perto da piscina.

Assisti, acompanhei e participei de toda a fase do projecto de recuperação com mil regras, das obras infinitas e finalmente da decoração interior e exterior. Tiramos o curso juntas e das suas excelentes qualidades profissionais e humanas, só poderia sair um resultado brilhante.

Este ano, reunimo-nos de novo lá na sua casa, pusemos em dia mais uma das nossas multifacetadas e intermináveis conversas com sotaque, como só duas boas amigas sabem fazer, falando de tudo e de nada. E apercebemo-nos, que com o passar da idade, também surgem as histórias tristes de outros.

Mandriamos nas frases, alongamos as gargalhadas e esticamos o assunto; ficávamos ali eternamente. Desde o primeiro momento que nos conhecemos, que somos muito próximas.

O almoço é sempre excelente e este ano foi a vez de uma belíssima caldeirada, feita com seis diferentes tipos de peixe, escolhidos por quem sabe. Provei raia pela primeira vez e adorei. É uma espécie de bacalhau, mas pouco seca.

O resto da tarde, é para espreguiçar no jardim ao sol e ao vento, conversar outra vez e brincar, brincar e brincar com quem nunca se cansa: a Lua e o Gaspar.




Um dia como tantos outros?

Nem pensar!

São estes os grandes presentes que recebemos da vida, mas de tão simples que são, tendemos a relevá-los, dar-lhes pouca importância e torná-los como só mais um dia, igual aos outros.

Puro engano.

E eu já não os cometo com antes.

Tenho aprendido que a felicidade não é uma frase longa, demorada e bem estruturada, plena de figuras de estilo e de exaltações.

É só um vulgar, breve e momentâneo sinal de pontuação.

E as páginas do meu livro têm cada vez menos espaços em branco.




Lagos, 31 de Julho 08

21 comentários:

1/4 de Fada disse...

Tens exactamente a mesma noção de felicidade que eu. Que não é permanente, mas feita de momentos como os que descreveste tão bem. Também eu tenho duas amigas como a que tu referes, com maiúsculas, das que ficam genuinamente felizes com a minha felicidade, que é uma das características dos verdadeiros amigos, porque mostrar solidariedade quando estamos infelizes é fácil. O que tu mostras aqui é essa felicidade das verdadeiras amizades.

BlueVelvet disse...

Gostei dessa frase do vulgar, breve e momentâneo sinal de pontuação.
Que haja muitos!
E essas conversas com as amigas têm um valor incalculável.
Veludinhos azuis e boa semana

Ps: Agora que já experimentaste raia em caldeirada tens que provar "au beurre noir".
É uma receita belga absolutamente divina.

Fatima disse...

Lindo ese sentimento sobre a amizade e linda a casa!

D.Antónia Ferreirinha disse...

É uma bonita vivenda sim senhor.
Mas muito mais importante que o bom gosto que a vivenda ostenta,a sombra que o pinheiro produz ou a mais valia da piscina, é a bonita amizade que se mantém ao longo dos tempos.
Beijinho.

PDuarte disse...

a tua amiga tem bom gosto.
a raia nada tem a ver com o bacalhau. és uma querida.

Patti disse...

pd:
Olha que aquela minha raia tinha. Até se desfiava...

Ka disse...

E a vida é feita desses pequenos momentos :)

Cada vez mais me convenço que devemos aproveitar o que a vida nos dá todos os dias!

Beijinhos e uma semana cheia de boas coisas :D

O2 disse...

"Tenho aprendido que a felicidade não é uma frase longa, demorada e bem estruturada, plena de figuras de estilo e de exaltações.
É só um vulgar, breve e momentâneo sinal de pontuação."

Meus deuses, hoje estás PODEROSAAA! ADOREI este bocadinho, de tal modo que vou copiar a frase para sempre... acho que sim, ás vezes passamos a correr pela vida, que não reparamos que o melhor dela, são os pequenos grandes momentos... a foto da Lua e do Gaspar, está linda, muito tu, como um simples gesto de tirar uma fotografia nos identifica tanto… a casa é um must... fizeste-me lembrar a minha amiga Patricia e as nossas intermináveis conversas, há pessoas que por mais nos afastemos continuam ligadas a nós para sempre, beijo na ponta do nariz.

f@ disse...

É sempre mto bom ler-te...
A feli cidade iluminada num estado de alma que somos nós a acender...
Original neste texto pleno de pa lavras "grandes" de sentido pontuado da tua graça e talento...
beijinhos das nuvens

Borboleta disse...

Pois é patti...a maior parte das pessoas julga que a felicidade é algo muito complexo, mas a realidade é que pequenos gestos vulgares e tão simples podem e são a felicidade disfarçada à espera de ser descoberta ;o)

Quem a descobre recebe a benção de senti-la!

Texto, fotos, sentimento...tudo 6 estrelas!!!

Beijinhos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A felicidade faz-se essencialmente de coisas a que nem sempre damos o devido valor.Para mim ela está nas pesoascom quem partilhamos bon momentos da vida.
Gosto de raia, mas passo a caldeirada.
A casa é uma delícia!

Coragem disse...

Ai patti, que paixão de casa, tão identica às maravilhosas que por aqui se encontram por este Alentejo.
Sou fanática por casas, há quem seja por roupa, livros, joias...Eu sou por casas, assumo!

A recuperação e decoração, então xi, nem te conto, a quantidade delas que mandei recuperar e vendi, bom mas isso agora não interessa nada...

É tão gratificante um encontro com a verdadeira amizade, aquela que não se apaga no tempo, nem na distância...São esses momentos que nos completam e têm gosto de único!

Beijo

claudia disse...

Chiquilla, estoy de vuelta!!!!
Que tal as tuas ferias? pelo que vi e li, nada monótonas!
Adorei as fotos de sexta feira...estao mto giras! ENHORABUENA! Vou dar uma vista de olhos pelos teus posts mas só comento neste.
Beijos e BIENVENIDA AL TRABAJO!
Claudia

Patti disse...

Claudia:
Qué tal tia?
E agora, já acabaram os diazinhos de juerga?
Manda-me fotos.
já fazias cá falta.

claudia disse...

Todavia es pronto para las fotos...no te imaginas el trabajo que tengo ahorita!!! Pero te las enviaré!
besitos

salvoconduto disse...

Pelas fotos vê-se que foi efectuado aí um belo trabalho, sem agressões.

A vida, essa, é um dia de cada vez, e um atrás do outro.

liamaral disse...

A casa é realmente extraordinária e de certeza que os momentos passados também! A Lua e o Gaspar são lindos!
:) Beijinho

Rocket disse...

que maravilha... e os cães, que possuem nomes lindos, e são lindos...mas olha: o que os mouros gostam mesmo é de água, em todos os grandes palácios do islão o culto da água encontra-se bem presente em fontes e repuxos e carreiros... salam aleikum...

paulofski disse...

Madalena, esse nome faz-me sentir bem por muitas e variadas razões.

Beijinho.

de dentro pra fora.... disse...

Sabe tão bem (re)encontrar estas velhas mas sempre renovadas amizades :))

mariam disse...

lindo! as palavras, essa amizade. a imagem
Parabéns!!!mesmo.

um sorriso :)