quinta-feira, 28 de agosto de 2008

cor-de-rosa, mas pouco

foto de olivimages

Sempre que desperto de manhã, não consigo comer logo. Circulo cinco minutos pela casa, com cara de esponja e só depois começo a pensar. Falo pouco e o pequeno-almoço é sempre igual. Quando me começo a arranjar, preciso de abrir a janela do quarto para ver de que cor é a luz do dia e ela me dizer o que devo vestir. Antes de sair para a rua, verifico sempre se tenho tudo na mala e arrumado nas bolsas e divisões respectivas. Não, a minha mala não serve de cliché para a típica carteira de mulher. Está mais organizada, ordenada e arejada que uma mesa de cirurgia. Sempre que atravesso a entrada do prédio nunca olho para o enorme espelho porque já o fiz em casa, mesmo antes de sair.

Quando chego à rua, coloco imediatamente os óculos escuros, Verão ou Inverno.

Quando me sento a este computador, nunca tenho a cadeira direita, está intencionalmente desviada para o lado direito porque é para lá que as pernas fogem. Tenho uma caneta ao lado do teclado e quase sempre é preta. Quando me interrompem o trabalho com telefonemas a perguntar se tenho internet ou tv cabo, respondo que os senhores estão no estrangeiro ou que o meu pai não me deixa dar informações de carácter particular a estranhos e do outro lado desligam-me o telefone na cara. Quando estou irritada, dá-me para fazer tarefas domésticas de maior esforço, porque me ajuda a descarregar as energias e as neuras. Quando estou contente, fico sempre mais calada e olho à minha volta com mais cuidado, como se precisasse de reparar em alguma coisa nova, que sempre esteve por ali, mas a que eu nunca tinha dado importância. Algo que devia ter merecido outra atenção.

A minha combinação perfeita de cores, é verde-lima com cinzento-antracite, também não me importo do preto com o beije. Tenho dias que sou cor-de-rosa. Outros, cor de mostarda. Da escura.

Quando choro a ver um filme, falo sozinha.

Quando não gosto de uma coisa ou de alguém, vê-se nos meus olhos. Ficam parados. Quando os olhos gostam, riem-se.

Sou apressada, rápida, bem-humorada, impaciente e refilo bastante por coisas parvas. De manhã, à noite.

A ler, pode tudo ruir à minha volta, que não se passa nada. Quando compro um livro, assino Patti e escrevo a data, na página imediatamente antes do início da história. Ligo a televisão sempre nos canais da Fox, raramente vejo um telejornal e gosto de desfrutar dos filmes deitada no sofá. Quando falo ao telefone com amigas, mesmo na altura em que aqui por casa é hora de ponta, nada fica em stand by ou mal feito, prendo o telefone entre o queixo e o ombro e circulo por todo o lado como se nada fosse. A(s) conversa(s) seguem o ritmo normal, assim como a vida.

Passeio sozinha e faço companhia a mim própria. E gosto. Porque tenho livros e música. E tenho-me a mim.

Em chegando o sono, luto ainda uns minutos contra ele, mas adianta-me de pouco. Vence-me sempre. Tenho sempre pijamas bonitos e engomados que me acalmam a chegada da madrugada, com a qual nunca simpatizei. Detesto dormir mal vestida ou esfrangalhada, seja lá o que isso for. A noite bule-me com os nervos. Vou ao quarto da filha apertá-la muito e dar-lhe trinta beijinhos. Passo pela casa-de-banho e olho para o espelho, talvez para me dizer adeus e reparar que o tempo passa. Deito-me sempre a ler e no fim guardo o livro ao lado da almofada. Bem perto de mim.

Só quem me vê continuamente repetir tudo isto, estes hábitos diariamente e da mesma maneira, é que me conhece muito bem e a fundo.

Apesar de nunca ter pensado que conhece tudo isto de mim, que eu afinal sou assim, porque sabe que detesto rotinas.

31 comentários:

Rocket disse...

uma cinematográfica exibição serena de ti. e muito íntima.
"a simple story" é um dos filmes que nunca me esqueço...
simples e logo belo.
belo e logo simples.

como o que li.

salvoconduto disse...

Temos algumas diferenças...não gosto do rosa em mim, por exemplo.

Temos a afinidade do livro à noite, com uma variante, cai-me sempre da mão sem dar conta, quando adormeço, mas de manhâ ponho-o de novo direitinho na mesa de cabeceira e lembro-me sempre onde ia, mais parágrafo menos parágrafo.

Patti disse...

Rocket:
Obrigada. Com a Romy?

Rocket disse...

straight story, do david lynch... confundo sempre, devido à simplicidade como essência do mesmo... enfim...

BlueVelvet disse...

É giro, todos temos as nossas rotinas.
Algumas das tuas são como as minhas:
também ando pela casa quando me levanto,
também uso óculos escuros, faça chuva ou faça sol,
a minha mala também está sempre arrumadinha
também leio sempre na cama
isso dos pijamas é que comigo é diferente rsrsrsrs
Veludinhos azuis

absconditum mentis disse...

Pois é.
O que acontece é que de uma forma, diria quase cruel, mas ao mesmo tempo, carregada de beleza pura, daquele tipo de beleza que emana da alma, não o que lá está escrito mas a maneira como o escreveste, despretenciosa, segura, indelevelmente sobrenatural.

Até breve.

Fatima disse...

Bom dia Patti. Excelente descrição. Fiquei a perceber mais um bocadinho de ti,mas confesso que não está longe do que imaginava.
Aposto que és incapaz de andar um dia de pijama lá por casa......

Vekiki disse...

Bom Dia:-)
Parecida contigo - óculos escuros, sempre!; trabalhos próprios de espírito irritado; os olhos que falam demais (se calhar é por isso que os óculos são indispensáveis); maneira de ser; quando compro um livro, escrevo o meu nome completo e a data e local onde foi comprado na página que antecede o início da história; maneira de falar ao telefone e fazer coisas ao mesmo tempo (por isso deixei de ter telefone sem fios, a conta aumentava!); os pijamas, como tudo o que uso, tem que ser bonito e bem engomado (eu adoro engomar e bem!); gosto de me ver ao espelho à noite antes de ir p'ra cama; detesto a rotina!
Diferente de ti - mala com mil coisas, desarrumada; acordo já com todos os sentidos a 100% e capaz de fazer as coisas mais impróprias (como dobrar meias...); gosto de notícias (sou fã da SIC Notícias); gosto de estar sozinha mas não durante muito tempo; não consigo ler à noite (as Fox's vencem os livros).
Um dia temos que nos encontrar :-)
Bjs

claudia disse...

Todos temos a nossa rotina diária, e a verdade é que de manha qd fecho a porta á chave para vir trabalhar penso: outra vez o mesmo, ainda agora cheguei a casa, nao fiz nada de diferente, tudo mto programado, e lá vou eu para o mesmo sitio...o tempo durante a semana é pouco para modificarmos os nossos hábitos. Só o fim de semana os modifica um pouco.
E existem os outros "hábitos" que já sao parte de nós e que nada muda: o 1º que faço ao despertar, além de uma boa espreguiçadela, é lavar os dentes! FUNDAMENTAL! E antes do pequeno almoço um bom café expresso ...

O2 disse...

Sim, eu sei que disse que basei do vicio, mas sabes comé, o teu blog, não faz parte do vicio, como direi, encaro sempre como uma boa conversa... e uma boa conversa, a gente gosta e precisa, n é vicio!
:)
beijo rosinha....

Ps: Adorei saber mais este bocadito de ti.

Tretoso Mor disse...

Patti,

Que descrição tão serena do teu dia!..

Parabéns.

Tretoso Mor

ღ♥ @nn@ ღ♥ disse...

gostei de ler
e acho que entendi enfim
os teus oculos escuros
e o facto de quase não teres falado porque estavas a ler a lista das bebidas

se os olhos estavam parados
por detras dos oculos não sei,
mas se calhar estavam ;)

mjf disse...

Olá!
Disses-te muito a teu respeito, ficamos a conhecer-te um pouquinho mais ;=9
Eu sou mais ... " desalinhada"...não ando na linha como tu :=(
Mas vou tentarrrr...melhorar!!!

Beijocas

Patti disse...

@nn@:
A luz agride-me os olhos, porque são claros e uso óculos escuros sempre. Só há isso para entender. Não há nada para ver por detrás.
No pouco tempo que estiveste por ali, porque a noite ainda foi longa e muito animada, falei tanto como tu. Aliás havia mais gente a falar imenso, que me divertiu bastante, que me fez rir e deu muita boa disposição à sua volta. Agrada-me muito ouvir primeiro.
Quanto aos meus olhos, eu nunca gosto ou deixo de gostar à primeira impressão, raramente faço juízos nas primeiras apresentações e não me deixo levar pela rasteira de achar muita coisa de alguém a primeira vez.
Acho que afinal não entendeste.

1/4 de Fada disse...

O teu relato vei ao encontro da imagem que faço de ti. Temos várias semelhanças e muitas diferenças, a começar pelo acordar, porque saio da cama pronta para o que der e vier, fruto de um treino forçado que acabou por dar resultados. Já há muitos anos disseram-me que a minha cara era um autêntico espelho do que eu pensava e a partir daí consegui mudar completamente essa característica, já recebi as piores notícias como se não fosse nada, e aparentemente tenho o dom de fazer crer a algumas pessoas que elas são invisíseis e transparentes. Este é um pouco o meu "dark side", que só aparece quando quero. Mas não posso passar por um espelho e é melhor que ninguém veja as minhas carteiras. Em contrapartida, sou incapaz de me deitar sem deixar tudo pronto para o dia seguinte não ter que me preocupar com possíveis esquecimentos.

Cecília disse...

Também odeio as rotinas, mas elas acabam por nos apanhar sempre. Quando me apercebo disso, irrito-me e fico tão tão mal disposta como um dia cinza e morrinhento.
Depois passa, porque nos entusiasmamos outra vez com a vida e volta tudo ao princípio.
Afinal, sem rotinas, sem algumas certezas do que nos espera amanhã, se calhar não conseguiríamos viver...

Nota: 30 beijinhos?? Só??? : ) : ) : )

Patti disse...

Cecília:
Pronto, 3.000!
Arranje lá um blog Cecília!

Cecília disse...

Ainda estou muito "verde" nestas andanças e tal como expliquei à Blue, tenho que pesar os prós e os contras da responsabilidade de ter esta vizinhança no "blogobairro".

Comentar é fácil, escrever a partir do que outros dizem, também....o resto, para manter uma "casa" decente, que outros tenham vontade de visitar, não será assim tanto, mas obrigada pelo incentivo!

pedro oliveira disse...

Todos nós temos as nossas rotinas, e o mais engraçado é que mesmo que faltem alguns elementos lá em casa,os filhos devido ás férias com os avós,temos a tend~encia de repetir os mesmos gestos.
Gostei e admiro a tua simplicidade em partilhar connosco as tuas coisas!

ines disse...

os poucos momentos, que estive contigo, transpareceram muito do que descreves! eu... bem convenhamos que sou um bocadinho diferente!

:))))

f@ disse...

A "rotina" nunca funciona comigo... nunca sei bem o que vou fazer nem vestir... mas há coisas que tem mesmo um lugar certo e isso não pode falhar...
Sabes que quem anda nas nuvens tem de andar ao sabor delas...
belo post beijinhos das nuvens

Sunshine disse...

Este tipo de rotina dá-me uma certa tranquilidade. Raramente vejo telejornais, prefiro ler à noite a ver T.V., ando pela casa com o telefone e sabe-me bem estar só, mas não por muito tempo(começo a sentir a falta do reboliço dos meus pequeninos.
Gostei muito do modo como nos deste a conhecer um pouco mais de ti.
Beijinhos com raios de Sol

Violeta disse...

Algumas coisa em comu, excepto a mala e a arrumação.
Na minha casa os canias variam entre a rtp2, a Fox e o Mezzo, de quando, mto de quando em vez a sic notícias.
há rotinas saudáveis. Ah! detesto faalr ao telefone, chego a roçar a falta deeducação despachando toda a gente.

JOAO MARIA disse...

patti
alem de escreveres muito bem, adorei
tambem fujo a rotinas, e quanto mais fugimos mais vivos estamos
bjs

Nina disse...

Pude acompanhar o seu dia a dia daqui Patti. Deu mesmo pra acompanhar de tão sensível e bem escrito que foi. Que maneira gostosa de falar de si mesma e das rotinas do dia a dia, que mesmo que a gente nao goste, acaba por aceitá-las. Na verdade, vou te confessar, eu gosto sim de rotina, ela me dá segurança.

de vez em qd fugir dela é bom, mas voltar pra ela, pra mim, é melhor.

um bj cor de rosa pra vc

Essência Pura disse...

Os óculos, a roupa de dormir sempre arrumadinha, o ler antes de dormir, a bolsa pronta e arrumada sempre, o andar pela casa...tudo muito parecido....mas o rosa...hummm, prefiro o azul, o branco...
Adorei te conhecer mas um pouquinho...

Beijos
Fica bem

Miriam

BlueVelvet disse...

Passando ali pelo vizinho Carlos, soube que estavas um cadito mal disposta, por isso resolvi vir trazer-te uma chaveninha de darjeeling com umas bolachinhas de manteiga inglesas, para acompanhar a tua leitura nocturna.
Espero que gostes.
Beijinhos e boa noite

em azul disse...

Por acaso não estavas a falar de mim? Mais coisa menos coisa até me pareceu!

Beijo

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como escrevia há dias o Miguel Sousa Tavares, só um maluco é que não tem rotinas. Eu apenas as tenho pela manhã. Quando acordo bebo um copo de água, como a minha mação reineta e vou-me arranjar. Desde o momento em que saio de casa, acabaram-se as rotinas. E à noite, tanto posso adormecer no sofá com o televisor ligado, como a ler um bom livro ou...
Bem, se calhar, sou mesmo um pouco amalucado!

ღ♥ @nn@ ღ♥ disse...

ok patti se calhar não entendi
beijos

Sorrisos em Alta disse...

Olha!!!
Somos iguais!!!

Nos 5 primeiros minutos do dia....

;o)))

Beijoca