quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

hoje ia falar de doces, mas...

Afsaneh Nowrouzi, sete anos no corredor da morte

Há pelo menos três anos, que me associei ao site oficial da Amnistia Internacional, que na altura uma amiga me enviou de Espanha. Desta forma, através de petições absolutamente acreditadas e sérias, eu pude dar o meu nome, sempre que os direitos humanos estivessem em causa. Hoje chegou-me esta petição, para tentarmos impedir a morte de dez pessoas por apedrejamento, no Irão.
Crime bárbaro em pleno séc. XXI, que é infligido a homens e mulheres casados, acusados de cometerem adultério.

As pedras utilizadas não podem ser nem muito pequenas, para causarem dor, nem muito grandes, para não matarem de imediato o condenado. A intenção não é apenas a morte, mas sim o sofrimento até ela chegar.

Eu já assinei, como assino praticamente todas as petições que me chegam através da Amnistia. Quem quiser poderá fazê-lo aqui.

35 comentários:

salvoconduto disse...

Já a assinei, como a muitas outras que ali encontro. Infelizmente a lapidação ainda se pratica em vários países. De algumas já dei conta lá no meu blogue. Ainda há quem diga que estamos no século XXI.

Bem hajas.

BlueVelvet disse...

Já assinei como faço com todas da Amnistia Internacional.
Esta foi das que mais me impressionou.
Assim as assinaturas sirvam para alguma coisa.
Agora queria dizer-te para agarrares num daqueles cestinhos que compras nas feiras e passares lá em casa para recolher o que te pertence.

pedro oliveira disse...

Já assinei.

TeddyLover disse...

Já assinei. No meu blog, vou remeter para o teu.
Beijo

Gi disse...

E ainda dizem que não há causas lapidares.

Teresa Durães disse...

Até há pouco tempo, em Portugal (no estado novo) o homem tinha o direito de matar a mulher por adultério...

f@ disse...

Perverso o ser humano…
Eu nem comento estes actos horrendos….
Já vou assinar…

Beijinhos das nuvens

Si disse...

O meu nome já lá está, juntamente com os outros, mais de 57.000.
Poucos ainda para conseguir travar uma tão grande e revoltante barbárie.
Haja sempre quem nos alerte para um pequeno gesto que pode resultar numa grande dferença.

once disse...

como dizia há uns tempos uma publicidade fabulosa que vi sobre o tema Patti .. a nossa assinatura é a linha, fina e imperceptível, que algumas vezes consegue salvar uma vida.

Assinada.
E Obrigada pela divulgação.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Convivo, paredes meias, com gente da AI, por isso já cumpri de acordo com a minha consciência.
Substitui o post de doces por um de travobem amargo, mas às vezes é melhor assim.

Lagartixa disse...

Vou já assinar!

Rita disse...

Já assinei, assinava 10, 20 vezes se pudesse mas faço-o sempre a pensar "será que vale de alguma coisa?". No entanto tentar não custa obviamente...
Jokas

paulofski disse...

Tomara que a tinta das nossas assinaturas mude mentalidades e possa reverter estes comportamentos desumanos.

Patti disse...

Paulo:
Lindo e ao mesmo tempo triste esse vídeo. E é verdade que muitas vítimas, já foram salvas dos seus carrascos pela força da nossa tinta.
Obrigada.

LeniB disse...

Mudam-se os séculos, os tempos, mas infelizmente as mentalidades, algumas, permanecem imutáveis.
Já assinei.

1/4 de Fada disse...

Vou assinar, esperando que faça algum efeito. Até quando?

Justine disse...

Não falaste de doces, mas falaste de flores, que são os gestos de solidariedade! Bem hajas - e vou assinar já a petição

Luísa disse...

Já está, Patti.

annie hall disse...

Assinei .
Dificil aceitar que esta realidade existe ......:(

O2 disse...

Eu ainda não assinei, mas já me passaram tantas petições pelo email, que as vezes tenho as minhas duvidas se realmente isto fará a diferença, enfim, mesmo que não o faça, pronto, vale a causa... mundo doente o nosso.

Beijo linda

Ps: eu n estou apaixonada! Eu sou!

:)

Monique Lôbo disse...

Oi Patti, obrigada pelo carinho.
É muito triste ver que em pleno século XXI ainda existam esses tipos de barbaridades. É um absurdo, como o ser humano pode ser tão cruel a ponto de participar desse ato extremamente criminoso. Que nojo estou sentindo nesse momento.
Parabéns pela sua iniciativa em propagar essa petição.
Vou assinar.

Bjãoo

Sónia disse...

Sabes, já me mandaram um mail com vídeo destas cenas lamentáveis do apedrejamento até à morte...Estava a ver e a chorar, a sentir dor no peito. Foi horrível...

Nina disse...

Que absurdo isso Patti!
Que absurdo. Mas agora fiquei em dúvida, como essas assinaturas podem ajudar??

mas eu vou lá verificar,obrigada por repassar isso.

bjs

claudia disse...

Já assinei, obrigada.
beijocas

Ka disse...

Obrigada pelo alerta!

Já assinei...

Beijo

Anónimo disse...

Respeito todas as opiniões. Não defendo quem faz os apedrejamentos.
creio que se devem respeitar as tradições de um povo, por mais "bárbaras" que nos pareçam; também nós "ocidentais" temos costumes e práticas condenados por outras culturas. Quanto aos apedrejamentos, dizem respeito a esse povo e deverá ser ele a "insurgir-se" contra tal prática. Nós, temos que olhar e zelar pelos nossos costumes e práticas. Na Europa e América do Norte (países ditos civilizados), também existem práticas muito "bárbaras". Será que preferimos não ver as nossas e apontar o dedo aos outros?

Borboleta disse...

Olá linda!
Já lá fui e fiz o que me competia! ;o)
O meu nome também já lá consta!

É pena que ainda haja este tipo de barbaridades...

Beijos

Nina disse...

ahh patti, fui lá e assinei tbm... obrigada de novo!

bacouca disse...

Eu vou já assinar! Seja essa uma petição para algo que acontece tão longe de nós ou que fosse mesmo aqui ao lado! Há coisas que não se podem aceitar nem dar a desculpa que não é conosco!

ana v. disse...

Homens também?? Isso não sabia...

Estes crimes contra as pessoas não são uma simples questão de cultura nem de folclore local, como diz o Anónimo ali de cima. São questões básicas de direitos humanos, e nos países em que vigoram estas práticas será muito difícil que as vítimas se insurjam sem consequências ainda piores. É nossa obrigação, sim, chamar a atenção do mundo para elas. Já assinei, claro.

Patti disse...

Ana:
Sem tirar, nem pôr.
Estava a ver que nenhum comentador respondia ao anónimo, visto que eu já respondi com este post.
Obrigada e beijinhos.

Anónimo disse...

Ana V., "o anónimo", ou seja, EU, começou o comentário a dizer que- "Respeito todas as opiniões. Não defendo quem faz os apedrejamentos". Não lhe tiro a razão nem a dos demais comentadores que estão condoídos com as "agressões". Pretendi dar uma outra perspectiva da questão. Pretendi que "nós" passemos a olhar para o que se passa junto de nós; pretendi que se respeitasse a cultura de outros povos. Vejamos: os apedrejamentos não são praticados por pessoas estranhas ao país- é o próprio povo que apedreja, logo, o povo está de acordo. A cultura deles é assim. Este tema dava para escrever vários volumes...
Deixo uma pergunta: quem fez petições por nós quando vivemos 50 anos em ditadura?
Mais digo, se o meu vizinho come com as mãos na casa dele, eu respeito-o (desde que não mo tente impingir a mim). Cultura- tudo questões culturais. Acho que agressores somos nós ocidentais (principalmente os americanos- JI JoES) que tentamos impingir os nossos hábitos e costumes a outros povos, em nome da "civilização".
A título de curiosidade: Uma vez vi um documentário sobre uma qualquer região da India e vi as pessoas a assoarem-se (limpar o muco do nariz) à propria mão e a limpá-la à parede. Achei nojento! Eles disseram que nojento é o costume ocidental de limpar o nariz ao lenço e colocá-lo no bolso.
Acho que é um grande defeito dos ocidentais (nosso) dar como certo e correcto os nossos costumes. (...)

Nota: Não me identifico por não ver necessidade de o fazer; não escondo a minha opinião atrás do anonimato; manifesto-a sempre que vejo razões para tal e dou a cara. Não pretendo ofender ninguém, como disse, pretendo mostrar outro lado da questão.

Alecrim disse...

Também assinei, com um nó na garganta e um travo no coração. Desejando que sirva de alguma coisa a assinatura... :(

Artista Maldito disse...

Venho muito atrasada e pela primeira vez comento no seu espaço que eu visito amiúde.

Mas não poderia deixar de lamentar o comentário de alguém que tenta confundir tradição, cultura e património de um povo com costumes bárbaros que infrigem os mais elementares direitos humanos. Barbaridade é sinónimo de selvajaria, de total ausência de humanidade, de crueldade, de irracionalidade, de baixeza moral.

E não é por o vizinho comer sem talheres que vem o mal ao mundo, não generalizemos as questões, nem tentemos lançar poeira para os olhos dos outros como se os outros fossem ignorantes e desconhecessem as injustiças que, infelizmente, assolam o mundo ocidental.

Nunca tinha visto tanta desfaçatez, nem aos políticos.

Desculpe comentar nestas circunstâncias, mas como se pode aceitar tamanha barbaridade?

Um abraço
Isabel

Anónimo disse...

"Desculpe comentar nestas circunstâncias, mas como se pode aceitar tamanha barbaridade?"

Isabel, eu não escrevi que aceito a barbaridade. Parece-me que o meu português não é o mais claro...
Para não me repetir...
Segundo as tradições e costumes daquele povo, para tal prática ilícita aplica-se a tal pena "bárbara". São as leis desse povo.
é isto que eu estou a afirmar desde o início. Não os defendo- respeito os seus costumes e tradições porque, gosto que respeitem os meus. Repito que, acho que não devemos olhar para os costumes e tradições dos demais povos, usando como bitola a nossa cultura.
Ex:
Em Portugal, alguém disse/legislou que praticar actos sexuais de relevo com menores é crime- vejamos o que está a acontecer aos "ilustres" do Processo casa Pia- ou seja, em Portugal condena-se esta conduta, contudo, noutros países e noutras épocas, tal seria normal. blá, blá blá.
Caríssimos, se desta ainda não me fiz entender.... desisto.
Viva a liberdade de expressão!
Senhora Patti, obrigado por permitir este ...debate.