quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

sobremesa

foto minha, s. pedro estoril

É assim como eu o prefiro. No Inverno. Quando o mar é cheio de si e vazio de nós, como a natureza o fez. Quando lhe distingo o som, o cheiro e as correntes, que deixam diferentes desenhos de espuma branca na areia.
Sei que no final da tarde depois de arrefecer, o mar me vai mandar embora e continuará a fazer companhia ao céu e às nuvens, que começarão a ser batidas em chantilly e cobertas de um morno e espesso amarelo doce de ovos, pingado pelos últimos raios que o sol ali derramou, quando se veio despedir do dia.
E onde ainda lambuzei por completo o meu olhar.
Quê?
Não sabiam que as receitas da ancestral doçaria conventual, é inspirada nos esquissos aromáticos que surgem nos céus de Inverno?

34 comentários:

salvoconduto disse...

O licor ainda eu percebo, que aquece corpo e alma. Ainda hoje ao passar no alto do Marão me lembrei.

Irra, que lá vou eu aumentar outra vez o aquecimento. Tens cada uma!

BlueVelvet disse...

Nunca deixa de me surpreender o facto de uma mulher tão optimista e divertida gostar tanto do Inverno.
E como o cantas!
Porque o mar, ah, o mar esse também eu gosto no Inverno.
Imponente, não conspurcado por cabeças à tona, calmo ou bravo mas só ele.
Quanto às ligações aos doces conventuais, sublime.
Bjs

Pitanga Doce disse...

A imagem é linda mas apanhaste o mar em dia de calmaria. Foi para ti?

pedro oliveira disse...

Pois não sabia.
Mas, um portinho com uma fatia de bolo Rei marchou bem ontem à noite.

Borboleta disse...

Confesso que ultimamente também tenho apreciado muito o mar, com as praias vazias...até parece "outro"

Se te lambuzaste, fizeste muito bem! No podias trazer coisas menos apetitosas para aqui? Oa bolas, à anos que não vou a portalegre deliciar-me com doçarias e tu logo pela manhã, fazes-me arregalar os olhos...estou a ver, era para eu abrir a pestana logo de uma vez e ficar a àguar... eh eh eh

Vekiki disse...

Olha o meu Mar! Conheço tão bem este mar, este pôr-do-sol, esta Ponta do Sal! Lindos de morrer. Não há mar mais bonito, pôr-do-sol mais bonito...
Bj

Vekiki disse...

Quanto aos Doces de Portalegre, fazem parte das minhas recordações de infância, trazidos directamente da origem por uma amiga do lado paterno da Família! O que nós adoravamos aqueles rebuçados, aquele papel fininho, aquela capa estaladiça de açúcar!!! Hum...parece que os estou a sentir...no tempo em que a balança ainda não era a minha companheira...
Outro bj!

ines disse...

De facto somos umas priveligiadas! É essa a paisagem que me acompanha todos os dias no caminho para o trabalho! E a Paz que me transmite é tão doce como os docinhos que nos sugeres!

Si disse...

Não sabia das ligações entre estes dois elementos, mas por aí pode passar, talvez, o que tem de bom misturar o doce e o salgado, esta maneira deliciosa de dois extremos se tocarem.
Beijinhos

Tretoso Mor disse...

Patti,

Nem de propósito a referência aos doces conventuais.

Ainda não estou refeito da última dose, em todo o aso, poderei completar o meu post sobre os maus fígados das ocupantes dos conventos, com o cinzento do céu!...

uanto aos doces, essa terá sido a forma de as freiras tentarem colmatar a... solidão?...

Tretices grandes P'atti.

Gi disse...

Tu não me digas que os ovos de Portalegre são filhos do Sol e de alguma Nuvem que nele achou um porto alegre?

André disse...

Bom ano Patti. Pode ser que com o frio, a chuva se faça neve, e sobre a doçaria, caiam flocos de açúcar. "Neva sobre a marginal, quem me dera que mar fosse..."

Álex disse...

é verdade Patti, a praia e o mar no Inverno são deliciosos! Gosto muito de como o descreve, gosto da sua escrita : )

Teresa Durães disse...

nada como degostar a natureza!

f@ disse...

Doce passeio salp!cado de imaginação e beleza...

Beijinhos das nuvens

paulofski disse...

Não sabia mas desconfiava quando um destes dias assisti numa reportagem televisiva como são adocicados os secretos rebuçados de ovo de Portalegre.

Deu-me vontade de respirar o frio do mar, de sentir o inverno deste sol, de ficar.

annie hall disse...

Mar ao fim do dia e rebuçados :)uma maravilha !
Bom ano , de novo , nunca é de mais .
Todos os dias aqui estarei ;)

Luísa disse...

Estou consigo, Patti. O Inverno é muito inspirador, todo ele sugerindo intensidade, na fúria dos elementos… ;-D

Rosa dos Ventos disse...

Se não eram, passaram a ser com este poético e delicioso post!

Abraço

O2 disse...

Se eu te escolhesse hoje um palavra seria sem duvida a palavra soberba, excelente! Adorei a metáfora, adorei a fotografia, adorei o momento, adorei ler-te, mais uma vez, bravo oh grande poeta!

Bjão do sul.

de dentro pra fora.... disse...

É assim que gosto mais de o ver...cheio de si, vazio de nós, e então se for pela manhã...nem imaginas o bem que me faz :)
Por falar nisso, á já algum tempo que não lhe faço uma destas visitas a sós :)

Beijinho

Cerejinha disse...

Hoje também fui ver o mar :-) está a escassos 500m mas há meses que não o visitava...
Felizmente não tenho as outras doces tentações por perto :-) e felizmente ao cubo ainda não entrei em nenhum sitio onde as vendessem à unidade :-D

1/4 de Fada disse...

Mais uma vez andei de imagem em imagem... e a admirar as tuas metáforas. As nuvens como claras batidas em castelo pelo vento! E a praia de S. Pedro com a Ponta do Sal como fundo, linda. Também é como gosto mais da praia, assim no Inverno.

Filoxera disse...

Não sabia. Mas sei que a inspiração, venha ela do céu, das estrelas, do Sol ou da Lua, produz bons resultados.
Como os teus textos.
Beijos.

cristina ribeiro disse...

Com cantos assim, o mar fica ainda melhor na fotografia...

fugidia disse...

Adoro caminhar pela areia, à beira-mar, no inverno, na primavera, no outono... sinto-me retemperada, sempre.
Bonito texto, este seu, Patti :-)

Fatima disse...

Mar...doces... que mais e preciso para passar um excelente Inverno?

Ka disse...

Excelente esta tua fotografia!

Eu adoro a primavera e o verão mas o mar, o mar gosto em todas as estações, tanto como nesta fotografia como quando está bravo e escuro!

Quanto aos doces não conheço mas fiquei de àgua na boca :S

Beijoss

bacouca disse...

Patti tenho a sorte de ter o mar e o rio por perto. Adoro o mar nos dias de invernia e passear pela areia onde por vezes olhando para trás só noto as minhas pegadas. Depois...bom depois faço pontaria para as empadinhas de pato ou as bolas de berlim do Manelinho Natário! Ainha há quem não tire partido de coisas tão simples e tão boas!:)
Gostei muito que fosse ver o meu espaço!

ana v. disse...

"O mar cheio de si e vazio de nós" - belíssima imagem, Patti.

EmmaTheias disse...

Esse mar é muito Meu! Essa praia também!
Quantas vezes absorvo esse ar que me chega como se não houvesse mais ninguém e o meu eu estivesse tão vazio que pudesse abarcar todo esse azul!
Visitei o blog por aconselhamento de uma Amiga, gostei e quero voltar. Obrigada pelo contributo!

Desabafos disse...

Ai...Gostei muito, muito e muito.
Engraçado como tenho tentado em tantas vezes que por esses lados caminho, "achar"uma descrição perfeita para tudo o que os meus olhos alcançam e descançam...Até hoje, apenas consigo comtemplar e tu....descreves-te o que sinto na perfeição.
Magnifico!
Voltarei, com certeza!

Fatima disse...

Theias sabia que ias gostar!
A Patti é uma referência na blogosfera. Deve ser visitada por quem gosta de blogs de qualidade!

Patti disse...

Emma Theias e Desabafos:
Bem vindas ao Ares!

Fátima:
Sua exagerada! :) Obrigada pela recomendação.