quinta-feira, 5 de março de 2009

biografias #1

foto apartment therapy

Jessica Soraia, portuguesa emigrada no Reino Unido em Lincolnshire, é uma empresária de sucesso no ramo das compotas e fundou a Pear Rocha Jam, sem rival em todo o condado.
Jessica Soraia, nasceu prematura na húmida aldeia de Nadrupe, na freguesia da Lourinhã e nem houve cá tempo para berços, cueiros ou choros, que a mãe tinha a lida do campo nas costas e precisava de sustentar a família.
Aconchegou-a ali no momento, dentro do cabaz de vime, com as mesmas mantas que tinham servido
para os irmãos e pôs-se a mexer, direita aos seus pomares de Pêra Rocha, a fruta rainha que exportava para Inglaterra.
Jessica Soraia, que desde nova demonstrou mão para a terra, para o negócio e para o cabo da enxada, sonhava ir atrás das camionetas que levavam as pêras e inscreveu-se num curso intensivo de inglês, onde aprendeu a dizer entre outras palavras, jam, land, pound, my dear, princess Diana, Cristiano Ronaldo e mind the gap.
Quando tinha dezoito anos, foi pedida em casamento pelo 'Toino José que estava de visita à terra em Agosto, altura das festas em honra de Nossa Senhora da Graça.
Era rapaz com poses, filho de emigrantes no Reino Unido que tinham investido as suas economias na indústria panificadora.
Vivem hoje em Lincoln
, numa grande propriedade rural, estão plenamente integrados na comunidade e os filhos Samantha Raquel e William Augusto, frequentam colégios privados.
Na foto, podemos ver Jessica Soraia com a sogra, Maria Adozinda com quem criou recentemente uma forte parceria, exibindo a sua nova e revolucionária aposta; pêra rocha em conserva para uso exclusivo em tartes macias.
Com este novo produto, Jessica Soraia pretende destronar a ancestral e poderosa apple pie.

-.-.-.-.-.-.-.-.
Digo eu, sei lá...

22 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Tenho que lhes pedir ajuda, para ver se consigo reabrir o Rochedo

salvoconduto disse...

Do baril, o rolinho na testa da Maria Adozinda.

Vamos abrir um blogue em honra da "Pear Rocha Jam", da Adozinda e da Jessica Soraia! Mas por favor, sem discriminar o Toino José.

Mike disse...

Uma mulher e peras, Patti. :)

pedro oliveira disse...

Parabéns a estes emigrantes que fazem parte dos 5 milhões que decidiram partir e deixar para trás o País do fado,futebol e fátima que perdura ainda no séc.XXI.Parabéns pelo sucesso.

Si disse...

Notícia de última hora: Jessica Soraia, Maria Adozinda e Briolanja Maria acabaram de constituir uma nova sociedade em que fornecem bolachas de manteiga, rechadas com creme de pera, enformadas em bases de crochet, primorosamente engomadas, que esperam exportar para o Pólo Norte, a Nigéria e a China.

P.S. Ó Sra. PresidentA, ai que há golpe de estado!! Temos que nos defender, credo!!

Teresa Durães disse...

Pena não se divulgar o melhor que há para aí e só se falar de futebol

inês disse...

Temos que fazer uma chá "da Pera Rocha" para ajudar na divulgação! Oferecemos uma semente, ou uma tira de casca seca, bora?

once disse...

:)

R.Rosmaninho disse...

Pois é, pois é... Temos sorte, nós a quem não deram estes nomes "diferentes", e que tivemos direito a mamã, papá, vovó, vovô, Jardim-escola, ballet, natação, muitas prenditas no natal, papás a ensinar-nos como se estuda, livros em casa, idas ao cinema, ao teatro, etc, etc, etc, dependendo do estilo mais à esquerda ou mais à direita dos nossos progenitores.
Parabéns Jessica Soraia. Com tanto trabalho não deves ter muito tempo para pensar nisto.

paulofski disse...

Aviso desde já que interpus recurso à conta-ordenação da Secretaria da PresidentA.

Quantas são, quantas são...

Coitada da Jessica Soraia, logo agora que o negócio das peras corria tão bem esta reportage vai altar a ASAE para mais uma fiscalização secreta. Jessica filha, calça já a outra luva!

Gi disse...

I'm sorry, my dear, mas não me parece que uma perarocha em conserva com o nome de "mon ami" vá cair no goto dos ingleses. ;)

Olá!! disse...

Grande Jessica, manda-lhes com a tarte macia ;)
Beijosss com saudade

Filoxera disse...

Acho que lá a ASAE deve ter outra designação. Boa sorte para a Jessica Soraia.
Beijos.

Tite disse...

Afinal, a maioria dos visitantes deste blogue são nascidos em boas famílias e nunca passaram necessidades. Daí não compreenderem a grandeza destas inovadoras criaturas.
Que pena!!!
Eu adorei o post mas qq comentário soaria a falso e não quero contribuir para a risota geral.

Boa sorte às saloias do Oeste.

PS - costumo fazer umas pêras bêbadas que eram bem capazes de fazer igual êxito por aquelas paragens britânicas.

Violeta disse...

com esta história, temos mulher, perdão, temos pêra rocha e compota pelas terras de sua magestade. Vidas de sucesso. Será do nome?

Pitanga Doce disse...

Mas aonde é que vais buscar estes nomes, ó mulher? Deves ter um livro cheio deles.

E concordo com a Si quando fala em Sociedade com a Briolanja Maria. Podiam abrir aqui uma franquia. O que acham????

Patti disse...

Pitanga:
Nomes todinhos verdadeiros...
Então a Briolanja ia agora para Inglaterra e deixar o Carlão José!

f@ disse...

De Frutas e doces e criatividade...claro e motivação no trabalho... tudo resulta sempre ...

beijinhos

cristina ribeiro disse...

Sangue da Maria da Fonte, aposto: sangue na guelra :)

Luísa disse...

Não sei o que é que o estrangeiro tem – ou Portugal não tem – que nos faz, de repente, tão produtivos, Patti!

bacouca disse...

E são Soraias dessas que continuam a fazer com que se fale bem de Portugal além fronteiras!
Se alguém pensou que também compota "nascia" do frasco, como julgo que há, podem tirar um curso com avózinhas que viviam condenadas a uma aldeia desertificada, indo ao Google www.azimute.com.
Depois digam se só a Patti é amiga, caraças!

Sunshine disse...

Admiro pessoas que como a Jessica Soraia inventam e costroem as suas vidas. Às vezes a partir de quase nada.
beijinhos com raios de sol