segunda-feira, 20 de abril de 2009

sabor a sossego

foto blomsterverkstad

Era a nova dona daquela velha casa e da antiga drogaria do rés-do chão, que toda a vida nos vendera os mais diversos tipos de produtos. Mas só a conheci, quando abriu a boutique das flores.
A nostalgia da velha loja do senhor João, depressa foi substituída pela curiosidade de admirarmos a inusitada montra da semana.
A harmonia era perfeita, nada morria ou murchava, tudo se renovava naquela loja. Quem passava por lá todos os dias, depressa se apercebeu que não existia qualquer tipo de rivalidade entre as várias espécies ou desdém entre as flores.
Todas as semanas eu lá entrava e não resistia em trazer um ramo novo.
Não havia disputa entre os gladíolos e as estrelícias, nem picardias de imagem com as margaridas e as calêndulas, ou altivez e olhares de cima abaixo das rosas, para as flores rasteiras.
Quando lhe perguntei o que tinha feito com o castiço quintal das traseiras, respondeu-me, para o mês que vem já vais saber.
E foi o que aconteceu, em Fevereiro começou a vender na loja pequenos vasos de produtos hortícolas e tudo quanto era hortaliça, convivia ali de forma pacífica.
Nunca as alfaces, os feijões, os tomates-cereja ou as favas-anãs, pretenderam distinguir-se das demais parceiras de cultivo. E até as abóboras, sempre com aquela mania de nobre superioridade, só porque se transformam em carruagens para princesas, jamais tiveram qualquer tipo de peneiras.
Diz quem ali mora paredes meias, que ouve de noite muitas vozes sussurradas, timbres distintos e até risadas dissimuladas. E minha senhora, o barulho vem todo do quintal das traseiras!
E eu acredito, claro.
Não sei que tipo de fenómeno se passa na loja dela, o que é facto é que a venda dos legumes foi também um sucesso. E até eu, que em minha casa nem a salsa mais vulgar se aguenta, me vi a braços com vasos de alecrim, coentros, hortelã e uma ervilheira, imagine-se!
Já somos amigas há muito tempo e noutro dia avisou-me, temos surpresa para meados de Abril.
E na segunda-feira, apareceram por lá os chás de violeta contra a enxaqueca, o bolo de limão com sementes de papoila, para dar brilho à pele do rosto, as beringelas-bebé gratinadas, salpicadas de raspa de toranja para limpar o intestino, tisana de jacinto com duas gotas de uva branca, para sorrirmos mais vezes, tarte de rosa com calda de espinhos, anti-arrelias, queques de orquídea branca, servidos em folha de mandioca para despertar a paixão e pãezinhos de hibisco com doce de calêndula, para realizar pequenos desejos.
Fiquei embasbacada, oh meu Deus, mas o que é que andaste a fazer todo o fim-de-semana?
Fiz mais um bocado da minha tranquilidade, respondeu e voltando-me as costas, ainda a vi de lado a piscar o olho a uma camélia branca.

Juro que vi!


27 comentários:

BlueVelvet disse...

Se eu soubesse onde moras, juro que me mudava para aí.
É um bairro mágico, não há dúvida.

Justine disse...

Texto encantador a fazer jus a uma loja encantada e encantatória, pertença de uma fada boa!!
Claro que não me podes dar a morada...:))

once disse...

porque são seres vivos? sem dúvida que são seres vivos aprendi com a minha avó enquando aprendia igualmente a podar a roseira de santa teresinha ou a acalmar as fúrias das importantes principe negro. ;)

"para sorrirmos mais vezes" .. foi o que fiz Patti, foi o que fiz.

Beijinho de boa semana

pedro oliveira disse...

Gosto de sitios desses,como sabes.
Boa semana

Marta disse...

água na boca
e
serenidade no olhar!

enquanto li.

muito lindo :), Patti.

Gi disse...

Não te importas de trazer hoje um bocadinho de sabor a sossego para eu pôr no chá?
É que estou mesmo a precisar. Ufa!!! :D

Nina disse...

Nossa, que post com cheiro de verde...

:)

paulofski disse...

Que postal de letras tão floridas. E um raminho de anti-arrelias, não se arranja?

Teresa Durães disse...

tanto aroma a natureza!

Si disse...

Este post fez-me lembrar aquele que escreveu há tempos sobre as rosas de nariz no ar que andavam lá pelo seu canteiro.
Mas o que eu gostei mesmo, mesmo, mais, foi o título. Sabor a sossego - fiquei com água na boca!

Pitanga Doce disse...

Se a menina estiver, hoje, a ajudar no balcão faça o favor de me guardar "tarte de rosa com calda de espinhos, anti-arrelias". Embrulham para viagem?

bom dia Patti

cristina ribeiro disse...

So cozy...

Violeta disse...

E EU VOU FICAR POR AQUI.
Que bem que escreves, Patti.
bjs

Licas disse...

Deve ser uma delícia partilhar todos esses perfumes e cores da natureza.
Dá para fazer uma passagem por lá, parar, aspirar tudo o que for bom, pensar em mim e como por telepatia enviar-me as boas ondas?

Quem me dera piscar o olho a um camélia branca e sentir que se foram alguns dos meus anos, sobretudo aqueles que tingiram os meus cabelos.
Um abraço
Licas

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O que eu estou mesmo a precisar é de uma tarte de rosas com calda de espinhos. Uma dose reforçada, faxavor!

bacouca disse...

Patti,
Eu gostaria de uns paezinhos de hibisco. Não tenho muita pressa e pelo que percebi a fila deve ser grande, mas agardeço que não se esqueça. Aconselho a mandá-los num embrulho disfarçado e que não deixe sentir o cheiro.
Obrigado.

Mike disse...

Ah, quanto sossego... quanto tédio... (risos, piscando o olho a uma alface na zona dos frescos do supermercado)

Patti disse...

Mike:
Se está na zona dos frescos, deixe-se estar, que está muito bem. Sossegado!
Não avance mais, logo à frente estão os congelados, perigo: zona de impacto!

Mike disse...

Zona de impacto? Chamem a polícia, chamem a polícia, que eu não... A polícia, deixai O polícia sossegado. ;)
Ó Patti, eu se calhar não devia andar para aqui a desconversar. É do friozinho dos congelados e eu fico sempre sem saber o que dizer a não ser que gosto do que leio. :)

Rosa dos Ventos disse...

E eu aqui a imaginar cores, a sentir odores e a apalpar texturas...
Também precisava de uma florista mágica perto de mim!

Abraço

1/4 de Fada disse...

Se me deres a morada da loja eu passo a ser cliente. Há dias em que um chá de violetas faria um jeito...

Luísa disse...

Adorava ter uma boa relação com flores e plantas, Patti. Acho que deve ser muitíssimo compensadora e calmante, mesmo sem os chás, as tartes e os pãezinhos. Mas ou sou eu ou é a zona que as assusta e nunca pegam. Enfim, vou mirando os meus arranjos de flores secas… ;-)

O2 disse...

:)

È preciso ser alguém muito especial para escrever assim... e eu feliz por te conhecer, o pouco que seja, sinto-me de repente iluminada.

E sabes, acredito mesmo que o problema deste nosso planeta é não ter mais pessoas como tu no comando... falta-nos a tua humanidade, esse olhar nítido sobre a vida... deixamo-nos governar durante seculos por muito azedume e sinceramente ler-te da-me esperanças, isto hade mudar!

GOSTO DE TI.

Patti disse...

Su:
Oh rapariga, tu dizes-me cada coisa de ficar encabulada. Logo eu que não sou nada de vergonhas na cara. :):):)

Querida e iluminada és tu, que falas do que sentes sem preconceito e falsos pudores. És muito livre.
Beijinhosssssss.

mdsol disse...

Palavras de encantar!

:))

O2 disse...

:P

Fatima disse...

Quando eu for grande, quero conhecer essa rua. Tens fotos?