segunda-feira, 6 de abril de 2009

escrever com morfeu

foto apartment therapy main

Começou a ser difícil escrever enquanto sonhava.
A princípio, uma palavra, uma intenção ou pensamento e até uma frase curta, eu conseguia guardar num canto da memória, até despertar pela manhã.
Trazia-a depois do esconderijo que a protegera durante a noite, passava-a a limpo para o bloco de notas breves e ali ficaria impressa e segura, até que algo me fizesse pensar nela para a reescrever, mas desta vez já acordada.
Acontece, que há noites de ventura em que a minha cabeça adormecida escreve sem parar; cria personagens, baptiza-as com nomes inusitados, cria-lhes biografias, dá-lhes vida e imagina-lhes enredos.
Como se não bastasse, assenta datas, toma notas, sublinha, desenha setas e asteriscos e ordena a paginação em folhas imaginárias, que nada têm de palpável.
É no entanto um facto incontestável, que eu folheio estas páginas de manhã em pensamento, disso não tenho dúvida. Mas é também verdade que quando acordo, perante a falta de um registo físico, perco-me no enredo sonhado, esqueço-me dos nomes escolhidos, não encontro os apontamentos e as notas, deixados durante o sono no canto da folha e com muita pena minha a história perde-se.
Então, numa destas noites decidi durante o meu sonho, criar ao lado da minha cama uma mesa branca bem iluminada, onde apoiei o meu pc portátil imune a vírus, passwords e sonambulismos.
Adormecida, deslizo agora da altura do meu colchão, apoio a ponta dos pés no quente do tapete e despejo as histórias sonhadas, que me aparecem escritas na cabeça que segue desta vez mais descansada.

23 comentários:

Pitanga Doce disse...

Uau! Tu te superaste! Conseguiste sair do próprio corpo para escrever, qual um fantasminha Pluft. E nem deves fazer barulho. hehehe

É assim mesmo, querida Patti. O desespero que dá quando, pela manhã, percebemos que o sonho já se esfumou e agora lembrar nos parece um exercício de auto análise. E ficamos lá a rebuscar entre as fronhas aonde ficou aquele pedaço tão importante que abre a porta ao mistério.
Será que os autores de grande best-sellers também passam por isso?
Têm uma ideia para continuação do romance e saem a correr vestidos em pijamas?

boa noite Patti

Patti disse...

Pitanga:
Ahahaha, às vezes se consigo acordar rápido, ainda me ponho à conversa com alguns personagens: Briolanjas, Marias Apolónias e outras que tal.

Pitanga Doce disse...

E cabem todos no quarto? Pões o marido a dormir no quarto de hóspedes. hehehe

salvoconduto disse...

Tu brincas brincas, mas não leste a notícia daquele informático que tendo decepado parte de um dedo pagou a um médico para lhe implantar nessa parte um cartão USB de memória com 2 GB? Imagina agora que de manhã acordavamos, ligavamos o cartão a uma porta USB e despejávamos os sonhos! Ganda nóia!

Luz disse...

Patti,

Então agora poderemos nos deliciar ainda mais com essas histórias e personagens?
Beijo e boa semana pra vc

f@ disse...

Olá Patti,
Belo o que acabei de ler...

vou d o r m i r e o meu tapete v o a d o r a sonhar assim ... um dia a c o r do com os pé no chão frio...
genial...
adorei
o teu tapete deve ser lindo e fofo...
beijinhos e noite de sonhos cor de mel e arco-íris...

beijinhos

BlueVelvet disse...

Tu nem me digas nada, que durmo com o Moleskine na mesa de cabeceira e um lápis em cima, porque naquele meio tempo entre o acordada e o sono profundo, vêm-me sempre ideias. Parece de propósito.
Lá escrevo uma palavra, tipo chave, para no dia seguinte me lembrar.
Para malucas não nos falta quase nada...

pedro oliveira disse...

Gostei da ideia do salvo, é que ás vezes dava jeito um gajo sacar cá para fora os sonhos ou mesmo os pesadelos.

Si disse...

A solução destes 'problemas' está mais próxima do que pensávamos...

http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/audioevideo.aspx?content_id=1187788

(Já vem com caminha e tudo...)

Gi disse...

Eu faço o mesmo, mas tenho mesmo um bloco de notas junto à mesa de cabeceira onde escrevo os meus morfeugismos.

bacouca disse...

Patti,
Sempre me dizeram que tudo o que sonhamos e se nos lembrarmos, deve ser escrito. A razão é porque ou foi algo que nos marcou pela positiva ou pela negativa ou então algo que ainda se irá passar. Portanto dá para fazermos nossa propria psicanálise ou então precavermo-nos para o futuro. Poderá ser uma teoria acertada. A verdade é que não se gasta dinheiro com psicólogos e no papel escrevemos tudo o que nos apetece, o que é uma óptima terapia!

Laura disse...

Revejo-me no teu texto... Como te compreendo! Um beijo.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Bem tentei algumas dessas proezas, mas népia. Fiquei agarrado ao meu Moleskine e continuo a confiar na minha memória. Noite em que antes de adormecer me comecem a bailar ideias na cabeça é noite de insónia pela certa, por isso agora procuro pensar em futilidades. O chip do salvofazia-me um jeitão!

Rosa dos Ventos disse...

Mas que ideia genial!
E que cantinho confortável tu tens para o teu deslizar nocturno! :-))

Abraço

cristina ribeiro disse...

Nunca consegui guardar um sonho até acordar...

de dentro pra fora.... disse...

Eu também acho um desperdicío ...tantas coisas e tão giras(quase sempre)que nos embalam o sono e depois ...nada...não é justo :)

paulofski disse...

Seria tão bom um copy/paste dos sonhos que o leve despertar apaga e não restaura. Dos pesadelos não, não quero cá janelas que abrem indesejadas e invadem o ambiente de trabalho. Minimizo-as a um canto se não respeitam o clique de comando!

Teresa Durães disse...

os meus sonhos raramente são dignos de serem escritos. mas quando são bons tenho pena de acordar

Violeta disse...

eu também quero escrever os meus sonhos e que os meus sonhos sejam o que eu queria e naõ consigo escrever.
Não sei se é dos sonhos ou do te PC, mas a verdade é que gosto muito dos teus post.
um bj

mariam disse...

Patti,

que felicidade a tua, lembrares dos sonhos e das estórias que te povoam nesses 'estados' nocturnos!

eu, 'népia'! de manhã não lembro nada.

felicidade nossa, poder lêr-te!

Uma Páscoa Feliz!
um abraço e o meu sorriso amogo :)
mariam

Sunshine disse...

Mantém a tua mesa iluminada para que possamos continuar a ler estes deliciosos sonhos.
beijinhos com raios de sol

Luísa disse...

Quem me dera ter essa capacidade, Patti. Os meus sonhos são sempre tão interessantes… Embora inconfessáveis, é verdade. ;-D

O2 disse...

Coisa doce e boa de se ler, adorei.
:)