terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

prazeres


foto coco loco

Anda por aí uma corrente entre os blogs vizinhos, para escolhermos as nossas palavras preferidas.

Ainda aqui não chegou essa corrente, nem deve chegar, porque sou um blog novo e desconhecido. Mas se chegasse, uma das minhas palavras seria de certeza, livros.

Não livro. Mas, livros. Muitos livros.


De todos os formatos, de todas as cores, de todas as texturas, novos, velhos, com muitas folhas, com poucas folhas, grandes calhamaços, pequenos livros de duas folhas só, cheios de personagens, sem personagens nenhuns, de histórias antigas, de histórias modernas, bibliografias, históricos, de ficção, de autores portugueses de autores estrangeiros, enfim, mesmo todos os livros.

Sou das que observo os outros numa livraria, perdidos, sem saber o que comprar ou oferecer. Apetece-me mesmo meter conversa e ajudá-los na escolha.

E faz-me muita confusão, principalmente, nas grandes lojas de livros, não haver ninguém que ande ali com esse propósito.
Se na boutique dizem , posso ajudar, porque é que nas livrarias isso não acontece?

Se tenho certezas na minha vida, é de que os livros tornam os meus dias muito mais preenchidos, mais felizes, mais sonhadores.
Lembro-me das histórias de quase todos os livros da minha infância e da minha adolescência.

Sempre falei deles à minha filha (já lê imenso, felizmente), que me escuta com os olhos abertos de curiosidade a pensar, este livro deve ser mesmo giro, olha só para a cara dela.

Faço amizade para toda a vida com alguns personagens.

Só tenho pena de saber, que há tantos livros que eu nunca vou conseguir ler.

E um dia li esta verdade de alguém, não sei quando, nem onde, 'este livro salvou-me a vida', sorri e pensei imediatamente, também já conheci livros assim.

5 comentários:

Ba disse...

faço das tuas as minhas palavras!!! ahaha

beijinho*

Ba disse...

o que queria dizer era das tuas as minhas...lololol

Ba disse...

...Não tenho culpa de só ter dormido 4 horas!!!!!!!!!!!!...é o sono q me deixa assim! "borboletices!"

james stuart disse...

Tenho exactamente o mesmo sentimento, que me lamento tantas as vezes por saber que tantos são os livros que existem e que nunca poderei ler, pois são mais as letras do que os meus minutos e horas de vida possíveis. (e tenho na minha mesa de cabeceira 16 livros em espera, a maior parte na língua portuguesa, também em castelhano e galego).

Patti disse...

Sabe, que para diminuir essa sensação e também porque depende do meu estado de espírito, leio sempre 4/5 livros ao mesmo tempo.

E não é que me conforta!