quinta-feira, 26 de junho de 2008

refilices I


Eu não sou uma pessoa física com os outros. De festas, beijos e toques. Ou bofetadas. Nunca fui. Mas gosto de abraços. Convivo melhor com os olhares, com os movimentos rápidos das minhas mãos, sou das que fala com elas, as mãos e com expressões do rosto. E finalmente com a conversa. Com os risos e gargalhadas e com os gritos. Com o som da voz alterada. Mas controlada. Ou calma. Com o franzir de testa e o voltar das costas. Não gosto de palmadinhas. Não sei reagir da mesma forma. Não fico confortável.

Peixe na água, sou com as palavras, com as minhas razões e com as minhas verdades. Que não são as dos outros. E nem quero que sejam. Senão, seria tudo amorfo, débil e fraco. E eu gosto de debates, de trocas e de velas acesas. Cabeças iluminadas, claras, livres. Mas só aceito representações fiéis. Plágios não. Não gosto de desconfianças. Quero conformidade do que se diz com o que se é.

Mas tem de ser na altura exacta. Porque depois.

Depois deixem-me em paz.


27 comentários:

BlueVelvet disse...

Olha Patti,
dizer que este post está muitíssimo bem escrito seria repetir-me, porque de facto, tudo o que escreves é excelente, quer pelos temas originais que escolhes, quer pela forma como o fazes.
Portanto, quanto ao teu post poderia dizer que assino em baixo.
Só não digo porque eu gosto de festas, beijos,toques e abraços.
E também não gosto de bofetadas.
Nem de discussões, nem de gritos ou vozes alteradas.
Entendo que as pessoas devem fazer valer a sua opinião conversando de uma forma calma.
Onde assino em baixo é que também não gosto de representações, plágios e desconfianças.
E explicações têm que me ser pedidas, a mim, e na altura certa.
E dadas, também.
Porque depois...
Depois, deixem-me em paz.
Mas aí, aí sim, até posso afastar-me sem ruído aparente, mas a tempestade chegará, Inexoravelmente.
Beijinhos e veludinhos

f@ disse...

Bonita imagem e texto...
Tb gosto do "calor" das palavras da luz suave das velas dos nervos e dos gritos do mundo quando a necessidade é mesmo dizer... mas na minha opinião tb baixinho se ouve mto bem, senão melhor ainda porque usamos tb a mimica, e as lágrimas ou o sorriso...
hum... abraço então das nuvens...

de dentro pra fora.... disse...

Nada melhor que o preto no branco, verdade nua e crua, sem grandes floreados...directa como sempre ..Tu
Beijinho sem palmadinhas :))

Pitanga Doce disse...

Patti, já fui mulher de toques. Não daquelas que a pessoa vai falando e dando empurrões e a outra chega a encostar-se na parede. Mas tive que mudar, que me policiar, principalmente quando se é brasileira e vive-se (por algum tempo) num país em que levamos uma fama de que estamos sempre "disponíveis". (isto para ser bem fina). Agora falo o que penso olhando nos olhos e não deixo dúvida sobre a minha opinião.

...e depois deixem-me em paz...

beijos de boa noite

Gi disse...

Ai a isto chama-se refilice? Bem me diziam que eu sou muito refilona ... e tu pelos vistos também. Vai ser lindo quando nos encontrarmos, com tantos gestos e conversa acabamos mesmo à estalada :D

♥♫♪@nn@♫♪♥ disse...

adorei
mas não comento
porque ja sabes o que penso ;)

em paz e descanso ;)

Nina disse...

Te conheço um pouco mais a cada dia Patti, e passo a gostar mais ainda. Qd vc escreve, a sensação é que quase posso tocar em vc. Isso é legal, porque vc fala que não gosta de rodeios, de conversinhas, então, dá pra notar o qt vem de ti a sinceridade, que mt me agrada. isso é bacana.
Beijao pra ti

LeniB disse...

Este texto parece uma autopsicografia...
És mesmo assim, de facto.
Eu sei que falas com as mãos, aliás já as senti várias vezes, quando me puxas num arranque súbito, nem sabendo eu para onde estou virada!!!
Sempre admirei essa tua maneira directa de lidar com as pessoas, com os acontecimentos...
E como não és lamechas...toma lá um beijinho repenicado!!!

Patti disse...

Lena:
Oh pá! Assim não vale! Agora fiquei lamechas! E até usei pontos de exclamação três vezes e eu sou parca no uso dos pontos de exclamação.

Olá!! disse...

Claro que, na impossibilidade do contacto visual, vamos "vendo" as pessoas utilizando todos os nossos sentidos e na tua simplicidade vê-se muito. Gosto...
Beijossssssssss

Irina disse...

Revejo-me totalmente em partes deste texto. Nomeadamente no que toca à absoluta frontalidade e à inquebrável vontade de ter tudo sempre "preto no branco", sem espaço para omissões, mal-entendidos e problemas.

Esta também sou eu, sem dúvida: "quero conformidade do que se diz com o que se é". Não adio para amanhã aqui que pode ser dito e esclarecido hoje. Porque muitas vezes a incapacidade em ser-se frontal revela de antemão a fraqueza de carácter e de convicções das pessoas...

E por ser assim, às vezes brutalmente frontal e um pouco ríspida e dura, as pessoas têm problemas em lidar comigo.

Mas ao contrário de ti, adoro expressões físicas de afecto em relação às pessoas que despertam e merecem o meu amor e a minha consideração. Tanto que dou por mim a pôr sempre a mão no ombro da pessoa que eu cumprimento ou de quem me despeço... :)

Gostei muito do blogue. Vou voltar mais vezes.

Anónimo disse...

Um comentário de um homem no meio de tantas mulheres e lindas,pelos comentário...
O que vale é que a minha Xana, não é dada a ciúmes.Confia no seu macho!
Pois cá o "je", gosta de toques,beijose abraços,daqueles apertados em que sentimos o outro.
Também gosto de uma boa conversa, o que o eu faço por estar com os amigos e estar horas na conversa à mesa.Ele há melhor coisa no mundo, que estar com os nossos e a conversar?

Beijos

Pedro Oliveira
vilaforte

Borboleta disse...

Gosto de "lamechices" nas coisas boas, mas no que diz respeito a conflitos ou coisas por resolver, acho que a conversar a "gente" se entende! Não gosto das bofetadas nem doutro tipo de agressividade! Aí sou directa, pois se há algo para se resolver, então vamos resolver!

De resto, a menos que esteja a trabalhar, adoro os abraços, os mimos, os toques...

Beijinhos

paulofski disse...

É a falta de interacção.

Adapta-se a comunicação, a afectividade, o tom de voz e o contacto ocular, lentamente nos relacionamentos.

Temo as interpretações erradas, mas percebo que demonstro ausência de comunicação. Refugio-me sem saber iniciar. Isso perturba-me.

Rocket disse...

vim cá para te deixar em paz com um mantra... oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooommmmmmmmmmmmmmmmmmmmm!

As-Salamu Alaykum...

Patti disse...

Paulo:
Se te lessem, não te interpretavam mal. Se o fazem é porque não te vêm com olhos de ver.
Não ligues, tudo fluí. Aqui, quem te lê, sabe quem tu és, Aposto.

1/4 de Fada disse...

Desde que me conheço que sou muito escorregadia aos "agarranços". Já em pequena não gostava de colos nem de beijos. Manifestações amorosas só dos mais chegados, aí tudo bem, adoro. E não demonstro afectividade com facilidade, o que não significa que não seja imensamente sociável - sou caranguejo, tenho um exterior duro mas derreto-me num instante, se souberem chegar cá dentro! E se me dá para aí, falo pelos cotovelos, é só sentir-me bem com as pessoas... Mas também posso entrar muda e sair calada!

liamaral disse...

Eu confesso que sou uma pessoa de toques, de carinhos, de contactos, mas principalmente aprecio um bom abraço, dado e sentido de forma pura e aconchegante! Também confesso que falo um pouco alto demais, mas já não mudo, saio á Sra. Minha Mãe! Não quero impôr nada nem tão pouco me impôr a mim própria, mas de facto o volume necessitava de um arranjo!
Parabéns pelo post e pela imagem, do melhor! E já agora pela banda sonora, acho que se não for mais nada temos em comum os gosotos musicais!

Um grande beijinho! :)

claudia disse...

Palmadinhas nas costas???depende…depende do olhar que transmite essa pessoa. Se forem com carinho e amizade sabem sempre bem as “palmadinhas”, mas com cinismo, falsidade, é o que mais odeio!

“Lamechiches”??? com a minha maezinha, é tao giro… entao desde que estou a viver longe tenho muito mais a necessidade de beijar, agarrar, “ lamechear” quem eu gosto!

Vera&Catarina disse...

Patti, eu adoro "mariquices" mas não sei porquê nunca tive muitas. Em criança, era a mais velha e as mariquices rapidamente deixaram de ser para mim. Em crescida, como sou muito despachada, muito extrovertida, muito tu cá tu lá, as pessoas esquecem-se um pouco de me mimar, devem achar que não ligo...mas ligo e muito. Derreto-me quando se lembram de me dizer coisas bonitas, quando me abraçam porque sim, quando me fazem uma festa porque sim...
Tenho a dizer-te que me derreto muito pouco e isso faz-me falta.
Bjs
Vera

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Patti:
Desculpe a presunção, mas quando acabei de ler o seu post, tive uma sensação curiosa.
Não me surpreendi em nada com a descrição que faz de si. Era assim mesmo que eu a imaginava.
Sinal de que a sua escrita é cristalina. E isso é muito bom!

Patti disse...

Carlos:
Tenho os meus truques, segredos e defeitos, como todos. Sou uma refilona de primeira água, mas passa-me muito rápido, porque desabafo, deito fora. Estou quase sempre bem comigo mesma e com os outros.

E o Carlos não é presunçoso.

MirMorena disse...

Me vejo clara, objetiva, um mundo de sentimentos...gostaria de ver o outro assim tbem...sempre...

Bjuss de carinho

D.Antónia Ferreirinha disse...

Sou um bocadinho parecida.
Beijinho.

Coragem disse...

Não troco uma voz alta,e verdadeira por uma silenciosa carregada de cinismo.

Sei muito melhor dar palmadinhas, que as receber, nem gosto sequer, quando sinto uma pitada de lisonjeio.

A ti, vejo-te exactamente como falas "escreves"
Não precisas de dizer que sim, para sentir que foi uma afirmação.
Não precisas, de deixar sair o mel, para te sentir doce...

E por aqui me fico.

Beijo

Patti disse...

Coragem:
E ficas sempre, como só tu sabes ficar.

xô disse...

eu sou mais física ,mas não é para todas as pessoas,nisso sou seletiva.tbm não gosto de palmadinhas cínicas...o teu post é fiel a ti