quinta-feira, 12 de junho de 2008

estórias de opostos


Eu gosto dos poetas desgraçados. Infelizes, doentes, mórbidos e suicidas.

Almas negras, sonhadoras e tristes. Errantes e perdidas. Corvos pretos e queixume de mochos. Os românticos. De destinos solitários, sofredores e nocturnos.

Eu que sou viva e perceptível. Que evoluo no sentido do bom. Que nunca sofro com o que não é para sofrer. Não alimento quimeras. Nem venenos. Que não padeço de amores infelizes e tristes lamentos. Que tenho a cabeça no sonho. Mas os pés no chão. Eu que sinto tão poucos tormentos e frustrações

Devoro-os. Os poetas condenados. Compulsivamente. Em constante espanto e incrédula. Quem é que sabe sentir assim? Como eles!

Ninguém diz Adeus como o meu Garrett.

Sei o que me atrai nos poetas feridos e decepcionados.

É a alma que desfrutam. Eu não quero ter alma. É a introspecção e a irregularidade do seu espírito. Que também possuo. O horror pela morte e ao mesmo tempo a sua poderosa presença. Que eu odeio. O elogio da Noite. Que eu desprezo. O ver, para lá do que não é visível. Que eu também tento distinguir. O sucesso pleno, de quem galga da ideia para a folha de papel. Na minha pena, às vezes falha a tinta.

A palavra certa que mete conversa com eles. E que comigo nem sempre fala. O propósito conseguido de entender o que imploram as letras. Que também eu quero atingir. Mas eu não consigo. Assim como eles.

Não consigo!

20 comentários:

Sunshine disse...

Há festa lá no meu cantinho, gostaria de contar com a tua presença.
Beijinhos

Gi disse...

Dizem que os opostos se atraem...
Será assim, preto no branco? Ou será branco no preto?!...

Sorrisos em Alta disse...

Olá!!!

Desculpa, mas ainda não tinha tido tempo para retribuir a tua simpática visita!

Se não te importares, este fds adiciono os teus blogs à minha lista de links...

Bjoca
E bom fds!

♥♫♪@nn@♫♪♥ disse...

olha nem eu ;)
desgraças não gosto nem em poesia !

dia bom para ti dorminhoca

LeniB disse...

Garrett...aquele malandro...escrevia bem como o caraças...sofria de amores que nem um desgraçado...coitado...todo ele era sentidos, emoções...
já agora...que raio de tinta é que usas nas penas?
inspira e inspira-te mulhéri...que eu gosto de te ler!

claudia disse...

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração."

Fernando Pessoa

Vera&Catarina disse...

Patti, podes não ter inspiração para a poesia que gostas de ler, mas tens, com toda a certeza, inspiração para todos os dias escreveres linhas interessantes para quem lê! E eu leio-te, todos os dias com interesse. Nem todos podemos ter inspiração para o mesmo tipo de escrita, certo?
Continua na tua!
Bjs
Vera

Olá!! disse...

Desculpa lá Patti, mas estas palavras são poesia... e da que eu gosto :)))

Beijo para ti que és poeta, também.

Borboleta disse...

Poesia é sempre bonita principalmente quando escrevemos com alma!

Está linda!

Um bater de asas

Ka disse...

Pois...é o que os distingue não é?

Conseguem passar através das palavras o que lhes vai na alma. Por isso me socorro deles quando me faltam as palavras :)

Beijos


ps - Mas olha que concordo com a Olá!! :P

paulofski disse...

Não sou um leitor assíduo desse tipo de literaturas mas que mexem cá com a nossa mioleira, lá isso mexem.

Não deixo beijo por causa da virose.

1/4 de Fada disse...

O teu texto é, mais uma vez, um encanto. Não passa o sentimento dos poetas româmticos e ainda bem, mas olha que tens o dom da escrita, não me parece que a tinta seque assim tantas vezes na tua pena!

sonia disse...

Assim como eles, você não consegue...mas acredite que transforma o dia de uma pessoa, só por ler o belo texto que aqui deixou! Obrigada!

alfabeta disse...

Não gosto de poesia e quem diria! Afinal já fiz muita.

bjs

f@ disse...

A tua pena tb desliza mto bem e é mto criativa ,...com tinta mto colorida de sensibilidade, mas cada pessoa tenm a sua forma de dizer as coisas...
beijinhos das nuvens

Rocket disse...

eu cá é mais régio....cântico negro...não sei se sofria, mas quem assim escreve faz sofrer...

Anónimo disse...

incrivel!
Eu não diria melhor. Revejo-me inteiramente nesta escrita. A escrita da Patti. E não é a primeira vez. Aqui no meu canto silencioso, tenho espreitado, timidamente, esta janelita de desabafos. Tal qual os meus. Que sinto, mas não escrevo. Qual alma gémea...Assim, fica mais facil. É só ler e está lá tudo!
Força Patti, alimenta-te dos poetas tristes e depois mistura tudo com a tua vivacidade e transforma na tua escrita, tão pessoal e bela e que tanto tem a ver com tantos de nós!

miguelpontocom disse...

«Eu gosto dos poetas desgraçados. Infelizes, doentes, mórbidos e suicidas.»

Há outros?

BlueVelvet disse...

A angústia de todos os que criam é esta e é permanente: que um dia falte a inspiração.
Mas para quem tem tem o dom, ela volta sempre.
Como se vê.
Beijinhos e bom feriadão

mariam disse...

Patti
vc aqui foi "pura poesia"...bom lê-la!

um sorriso :)