quinta-feira, 16 de outubro de 2008

carlos ruiz zafón


Foi assim. Eu conto.

Ouvi alguém lá muito ao fundo na televisão, dizer que o livro assim e que o livro assado. Que era um livro que falava de livros. Que prendia no primeiro parágrafo, que era mágico, único, deslumbrante. Um livro mágico? Sobre livros? Arrebitei as orelhas.

Livros com alguma magia conheço vários, agora livro mágico só conheço um e coloquei-o ali, na minha coluna do lado direito.

Estavam dadas as directrizes para a ‘je’ ir à livraria mais próxima.

Tudo para mim foi especial neste livro, até a compra. Bom dia, vinha à procura da “Sombra do Vento”, do Zafón.

Sombra do vento….., sombra do vento……, zafónnnnn, ah, parece que vieram poucos, mas acho que está com sorte, porque penso ter ali um dentro guardado já nem sei porquê.

Mas sabia eu, estava à minha espera, como descobri mais tarde quando o li.


E um dos livros da minha vida, começa assim:


1º capítulo – Cemitério dos Livros Esquecidos

“Ainda me lembro daquele amanhecer em que o meu pai me levou pela primeira vez a visitar o Cemitério dos Livros Esquecidos. Desfiavam-se os primeiros dias de Verão de 1945 e caminhávamos pelas ruas de uma Barcelona apanhada sob céus de cinza e um sol de vapor que se derramava sobre a Rambla de Santa Mónica numa grinalda de cobre líquido.

- Não podes contar a ninguém aquilo que vais ver hoje, Daniel - advertiu o meu pai - Nem ao teu amigo Tomás. A ninguém.

(…)

- Este lugar é um mistério, Daniel, um santuário. Cada livro, cada volume que vês tem alma. A alma de quem o escreveu e a alma dos que o leram e viveram e sonharam com ele. (…) Quando uma biblioteca desaparece, quando uma livraria fecha as suas portas, quando um livro se perde no esquecimento, os que conhecemos este lugar, os guardiães, asseguramo-nos que chegue aqui. Neste lugar, os livros de quem já ninguém se lembra, os livros que se perderam no tempo, vivem para sempre, esperando chegar um dia às mãos de um novo leitor, de um novo espírito. (…)


(…) talvez o acaso ou o seu parente de gala, o destino, mas naquele mesmo instante soube que já tinha escolhido o livro que ia adoptar. Ou talvez devesse dizer o livro que me ia adoptar a mim”.

Quando o terminei, voltei impulsivamente à primeira folha e li tudo de novo. Nunca antes o tinha feito.

Totalmente inebriante.

Arroubo de sentimentos.

Exame de consciências.


Quase durante dois anos e meio, o livro andou esquecido pelas livrarias e de repente em 2007, parece que o descobriram. Todos falaram nele, todos o leram, emprestaram e ofereceram. Banalizou-se. Paciência. Se calhar é esse mesmo o seu destino de um livro. Ser lido por todos.


Disseram-me que hoje sairá em português o “Jogo do Anjo”, o último livro do Zafón.


Não quero saber do preço. Não quero saber das filas. Não quero saber do populismo e das massas. Se saiu hoje, já é meu. Se sair amanhã ou depois, também.



26 comentários:

f@ disse...

O JOGO DO ANJO ainda não li...
A SOMBRA DO VENTO encantou-me pela capa e pelo título depois pelas palavras e alma do autor que assim em cada segundo abria novas janelas com varanda e portas para um mundo único... é a forma de dizer as coisa que eu gosto... das palavras usadas pela emoção pelo talento e criatividade... assim tudo junto... vi o escritor espreitar numa estante aqui na biblioteca...
beijinhos das nuvens

salvoconduto disse...

Não li, será que vou ser castigado?
Prometo que vai para a minha agenda.

Eu sei que é habitual dizermos que já lemos e porque assim e porque assado, desculpa também Zafon, com esta recomendação já não faltará muito.

BlueVelvet disse...

Também o li mal saiu e às vezes dou comigo a ir ler algumas passagens.
E vou comprar o novo claro.

ematejoca disse...

Também li "A Sombra do Vento". Claro que gostei, mas como aqui, na Alemanha, as críticas foram tao fantásticas, e até o nosso Ministro dos Estrangeiros, dessa altura, achou-o um dos melhores livros que tinha lido, pensei que ele fosse muito melhor.
"O Jogo do Anjo" nao li, nem sei mesmo se está já traduzido.

Saudacoes de Düssseldorf!

Vekiki disse...

Eh eh eh...já encomendei dois! Um para mim e outro para oferecer!
Estou deserta por o ter. E ler. E guardar na memória, tal como o outro, o do vento...
Bjs

SONY disse...

Patti,
Bem, eu não li nem um nem outro.
E o pior é que me sinto mesmo mal, porque até parece que toda gente conhece o autor, e eu no meu mundinho não ouvi falar no nome sequer. lol

Talvez se fosse Gray, Guyton, Sobotta, Frank Netter ou Cooper??

Sinto-me mesmo. Uma "ingnorante" lol.

Ando mesmo longe de leituras de lazer e o pior é que também gosto, lá vou lendo algo nos blogs, por isso vai escrevendo Patti!

jito,

sony

Boas leituras.

Pitanga Doce disse...

Patti, este título não me é estranho e a capa é muito linda. Lembro de ter visto algo assim na FNAC no Forum em Coimbra.

Esta semana comecei a ler O Jardim Encantado ( que indicaste) e seria tão bom se fosse real, não?

boa noite Patti

Patti disse...

F@:
O Jogo do Anjo, só sai hoje (talvez) e o Zafón diz que é mais misterioso que a 'Sombra'. Vamos ver.

Salvo:
Digo-te que é a 'Sombra', é um livro imperdível.

Blue:
Também faço isso, muitas vezes.

Ematejoca:
Pois olhe, no meu caso as expectativas foram completametnte ultrapassadas.

Sony:
Se tiveres oportunidade, não deixes de ler a 'Sombra'. Não é vergonha nenhuma não o teres lido ou não conheceres o autor.
Eu que sou viciada, tenho tantas falhas no meu curriculo de leitora...
Eu tenho, em alguns sábados, muitos posts sobre livros, se procurares pelo blog abaixo, vais encontrar algumas dicas que te podem agradar.

Pitanga:
O Jardim Encantado é uma ternura de livro. A descrição da humanização da natureza é divinal.
A seguir compra a 'Sombra', vais amar.

SC disse...

Ena, ena! Também quero!
Obrigada pela notícia, andava mesmo à procura "daquele" livro para ler, que só ando a ler temas demasiado técnicos.

Gi disse...

Não li nenhum; talvez um dia;
Agora para filas não vou de certeza. :)

Miepeee disse...

Ainda nao li nenhum dos 2, mas ja tirei o nome para comprar quando for a Portugal. Encomendar pela net esta fora de questao eles cobram o couro e o cabelo pelos portes, com esse dinheiro compro outro livro.

Tretoso Mor disse...

Patti,

Concordo contigo, "A sombra do vento" é imperdível.

Quero comprar o novo também.

tretices para ti

Álex disse...

eu li (ainda por cima tenho a sorte de ler en catellano)há mto tempo e gostei bastante; todos gostaram tanto que fiquei meio a pensar se não o tería lido algo à pressa...
O 2º dele já a minha mãe leu e diz que não é tão bom e que se lhe poderiam cortar uma série de pág. aqui e ali pois é algo chato... as opiniões de cada um valem o que valem... força na leitura!

ines disse...

Credo (como diz a Ka) vocês só fazem posts que me envergonham! Dá um ano para cá que pego nos livros para lhes limpar o pó! Vergonha sim, muita!

O2 disse...

:) é engraçado, contares aqui a tua estoria com este livro, pq tb tenho a minha com ele!
:)
n sei se foi da imagem, das cores, do texto, quando o vi pela primeira vez, foi em Maio passado, dei com ele a olhar para mim, muito só, muito sério, e disse para comigo, mmm tenho q te levar comigo para o sul!
O mais estranho é que da resma que veio comigo, estou a guardar este para o fim... não sei pq, mas apetece-me lelo no Natal, á beira mar, bem perto da minha arvore...
Beijo do sul, com saudades.

Carlota disse...

Também adorei 'A Sombra do Vento'. Foi um daqueles livros que não conseguia largar. Até o levava para a mesa, para ler enquanto comia... :)

R.L. disse...

Comigo foi precisamente ao contrário. Toda a gente cá em casa falava do livro e o livro passava de mãos em mãos, e "tens de ler!", "ainda não leste??"... e eu nada... Até que este Verão, depois de quase 3 anos do livro ter saído, decido pegar nele, e é mesmo um livro mágico, que me fez chorar na última página.
Obrigada pela visita Patti, bons livros que leia, deixe-me ali no "Ovos de Ouro", é bom partilhar estas coisas.

paulofski disse...

É de orelhas arrebitadas e interessadas que descobrimos muitas coisas boas.

Regalei bem os olhos ao ler o teu post. Vou oferecê-lo ao meu parente de gala que nem sabe estar já escolhido o novo livro que irá adoptar. E estou certo que o livro a vai adoptar também.

Patti disse...

sC:
Tu vê lá, não gastes tudo no café.:)

Gi:
Talvez um dia? Com esse ar tão displicente? Quem perde és tu.
E não havia filas.

Miepeee:
Faz isso que não te arrependes.

Tretoso:
Quem não o leu não sabe o que perde. O Outro já cá canta.

Álex:
A minha segunda língua é o castellano, falo e escrevo correctamente e adoro a língua nos nustros hermanos.
Só não comprei o 'Jogo do Anjo', quando saiu em Espanha, porque para o pormenor prefiro a minha própria língua.

Inês:
E estás a fazer ainda o quê? Vai lá rapariga. :):):)

O2:
Bons olhos te vejam, mulher do Sul!
Depois conta-me tudo.
Saudades tuas! :)

Carlota:
Também foi nessa altura que aperfeiçoei os meus malabarismos com bolachas, copos de água e afins.

R.L:
Bem vinda ao Ares. Em muitos posts de sábados, falo de livros. Espreita, para ver se gostas de algum.

Paulo:
E depois conta-me o que o teu parente de gala achou.
Beijinhos :)

Brunorix disse...

Até me custa arranjar palavras que descrevam este livro em toda a sua plenitude. Acho sempre que são poucas para o que ele merece.

Não por ter caído na moda, mas porque há certos fenómenos que não se explicam, lêem-se!

Esteve mais de 1 ano na minha pilha de livros, sem saber a preciosidade que tinha ali. Depois o que senti foi mais ou menos isto...


http://bilhetedeida.blogspot.com/2008/01/os-nossos-amigos-os-livros.html

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Já lhe disse que gosto imeeeeeeensoooo do Zafon?
Passe a publicidade ( até porque ainda não li, mas espero começar amanhã à noite e devorá-lo no fim de semana) , pelo que vi e ouvi do BB e do Paulo Teixeira Pinto, o livro de que ontem falei lá no CR é fabuloso!

1/4 de Fada disse...

Se for tão bom como o anterior, vai para a lista dos livros da minha vida. Amanhã um vai passar a ser meu.

Patti disse...

Bruno:
As palavras apra o descrever nem me custam muito, o que me custa é saber como é que alguém consegue escrever assim com esta capacidade de nos prender logo na primeira linha do livro.

Carlos:
Fico à espera do seu post sobre o livro.

Fada:
Vai lá comprar, olha que esgota. Superar a 'Sombra' deve ser difícil e não quero ser exigente com ele, porque a pressão deve ser enorme. Mas bom é de certeza.

Fiona de Bourbon disse...

Patti,
graças a vc descobri esse livro maravilhoso. O que mais me prendeu a atenção ate hoje. O novo ja ta vendendo a um bom tempo aqui no Brasil. Por enquanto to achando caro, vou esperar passar essa coisa de lançamento, pro preço cair, e entao comprá-lo.

Tem um convite irrecusavel pra vc la no blog. Aceita, vai?

Filoxera disse...

Que engraçado. Eu também o li e devo ter sido das poucas pessoas que não ficou maravilhada com o livro.
O mesmo sucedeu com O Perfume e o Ensaio Sobre a Cegueira.
Devo ser um bicho raro...
Mas ainda bem que todos temso gsotos diferentes.

Precis Almana disse...

Ok, pois como sou bem mandada, lá vim ler :-). Obrigada!
Eu só o descobri agora (mea culpa), ou seja, fiz o percurso ao contrário. E não sabia, sequer, que tinha sido best-seller (até uma amiga me falar dele "en passant"). Li 200 páginas de enfiada quando comecei :-)