quarta-feira, 14 de maio de 2008

santa inocência


Esta é uma das histórias, dos meus tempos do colégio de freiras, que a minha filha e os amigos me pedem sempre para contar. Éramos um grupo giro de raparigas, 13, 14 anos, muito diferentes umas das outras, como todos os grupos de miúdas.

Umas eram espevitadas, outras introvertidas, umas afoitas, outras santas, umas divertidas e outras sérias. Quase todas pestes do pior. Pensam que colégios de freiras são o quê? A amiga santa, era um ponto! Estávamos sempre a picá-la e a metermo-nos com ela. E era mesmo santa, santa, santa, a querida Isabel, nunca levava nada a mal, ria-se muito com as nossas maluqueiras e dizia que rezava por nós antes de se ir deitar.

Um amor.

Uma vez comecei a puxar por ela, oh Isabel diz lá uma asneira, vá lá, só uma, das pequeninas, com poucas letras, a tua mãe não sabe, tapas os ouvidos para não ouvires, nós não dizemos nada a ninguém. . . .

E continuámos naquilo durante toda a semana e ela coitadinha com uma paciência que só as santas têm, oh, deixem-me lá em paz, que chatas, não digo nada asneiras, que parvas, olhem que vou fazer queixa à sister e corava. Até que o diabo falou mais alto: pronto vou dizer, mas só uma, ouviram bem? E vou dizer baixinho! Desceu o olhar, respirou fundo, levantou o queixo e muito séria disse numa voz clara: C U E C A S!

E seguiu, sem mais nada, direita para se confessar de joelhos, na nossa linda capela do colégio.

É incrível a inocência.

A palavra cuecas mudou radicalmente de sentido. A minha amiga Santa Isabel era o 8 e agora existe o 80.

Lembro-me desta história, sempre que vou buscar a Beatriz à escola e sou bombardeada com despropositados rabos que são acompanhados com mini fios-dentais, primos em último grau das cuecas, coloridos e rendilhados a condizer com alcinhas de soutien. Estes rabos são os melhores amigos dos rabos com boxers aos ursinhos e bolinhas, iguais aos do paulofski.

O objectivo é mais ou menos assim: quanto mais rabo e fio dental for mostrado, maior a popularidade e maior a probabilidade de haver conversa do tipo; mostras-me o teu ursinho e eu mostro-te o meu…, o meu...; olhem, imaginem vocês, pois nem sei que lhe chamar.

Há também aqueles rabos, que parece que falam; gordos e salientes a romper dentro de calças de cintura descaída, calças essas que fazem um vistaço sim senhora, mas não como complemento de casos deprimentes lá dentro. São rabos que à medida que a sua dona se desloca e de tão apertados que se sentem, parece que tentam meter conversa comigo, gritando por socorro, oh Patti, por favor tira-me daqui!

Oh meu querido, eu até tirava, mas essa menina não é minha filha e depois ia ter problemas com os paizinhos dela, por me estar a imiscuir num assunto que não me diz respeito e até posso ir presa, quando lhes enfiar dois estaladões nas trombas por permitirem que a filha ande nestas figuras. Entendes rabo? Não me posso meter, até porque acho que aí dentro já não cabe mais ninguém! Ele entendeu, claro.

Coitados, os rabos de hoje em dia, até já aceitaram todo este padecimento porque passam, horas a fio. E à medida que subo a rua da escola, aquele rabo sufocado vai-me contando, sabes Patti, nós rabos, encontramo-nos muitas vezes nos vestiários da Berska e da Pinkie e trocamos impressões sobre a nossa actual situação. Até já pensámos unirmo-nos com as calças nº 34 e nº 36, que são outras desgraçadas e vítimas destas miúdas sufocantes e reprimidas. Nem queiras tu saber, os que as coitadinhas são espremidas e puxadas, para que nós caibamos lá dentro!

Imagino, digo eu, acho que estou a ver as costuras laterais a desfazerem-se.

E ele continua, até porque as outras, as nº 38, 40 e 42 já nem lhes falam e conseguiram unir-se com todas as roupas tamanho L, num movimento de total descriminação, nunca antes visto e……

De repente, o rabo pára de falar comigo; outro se junta a ele, é um daqueles organizado em forma de corporativismo, com os pneus laterais anexados, género Goodyear, sabem?

Mas aquele não me parece um nº 36, é mais para o 42. Shiuuuu, diz-me ele a medo, este é um dos discriminados, acho que a dona ainda tentou uns números abaixo, mas foi gozada pelos nº 34, 36 e até 38, bem como pelos tamanhos xs e pelos s, que estavam nos provadores da loja nesse dia.

Olha lá e como é que vocês se aliviam quando a miudagem bebe aquelas litradas todas de refrigerantes? Como fazem com aquele gás todo acumulado? Sniff, sniff, foi só o que consegui ouvir dele, enquanto se afastava de mim a bambolear.

Tadinhos dos rabos de hoje em dia! Volta Isabel, 'tás perdoada.

Isto até podia ter tudo muita graça, não fosse eu estar a falar de crianças de 12 anos. Mas podem rir à vontade, há rabos que gostam.

38 comentários:

Coragem disse...

oh patti parecia tal qual uma maluquinha aqui a rir , melhor a gargalhar a estas horas da noite ainda para mais sozinha, a vislumbrar os teus rabos atrofiaditos nas calças das moçitas de hoje...
Brincadeiras à parte, é verdade sim senhora, pobres rabos, comigo as aflições vão mais para os lados pneumáticos das mesmas, ou até para os cintos largos que hoje usam sem mais nada por baixo para chamar de saia.

Quando comecei a ler o texto, curiosamente lembrei uma conversa tida com a minha Beatriz, sobre as asneiras, a miuda anda a ficar com um trauma danado- ó Mãe, todos dizem e eu, fico ali e tal tento mudar de conversa, pareço quase uma santa.
-Filha se te fizer feliz, diz uma, só uma, pequenina e baixinho. ahahahahahhahaha

Beijinho

Patti disse...

Coragem:
Rabos à parte, é verdade que todos nós nos tivemos de afirmar perante os outros. Coitadinha da tua Beatriz, como a compreendo; é difícil uma criança se afirmar quando a maioria imbica para outro lado. Mas ainda bem que fala contigo e que entende o que é certo e errado.

de dentro pra fora.... disse...

Peço desculpa, se o assunto não é pra rir..acabei de quebrar as regras porque ri e muito...
quando era miuda era das santinhas...porque lá em casa ninguem falava mal e fora tambem não, foi a educação que me deram, mas nunca me senti obrigada a dizer...
quanto ao motivo do meu riso(os rabos rochunchudos)...isso parece uma epidemia..andam por todo lado.
chego a pensar: será que já ninguem tem um espelhozito, por pequeno que seja em casa!??
está moda das calças a caír faz-me uma certa impressão, tenho sempre vontade de dar um jeitinho ao pra cima á coisa :)
costumo dizer ao meu filho(com 15 anos )que daqui a uns anos vai rir das figuras que nós dizemos tristes, de hoje(devo dizer que ele também aderiu a essa moda embora que sem exageros, pois estou sempre em cima,a chatear).Quanto ás asneiras que eles dizem...ao pé de mim ou do pai não dizem, já ao pé dos amigos tenho sérias dúvidas...

epá! isto hoje já parece um post

Pitanga Doce disse...

Ai, se a mídia colocasse em, out-doors, por todas as estradas que calças apertadas demais, causam celulites e o efeito casca de laranja, porque impedem a circulação. Se dissessem que estas "cinturas baixíssimas" como diz a etiqueta da C&A provocam uma formação desastrosa no que seria a cintura (sim porque, saiu de moda a mulher ter cintura)Elas vão do pescoço ao quadril numa linha reta e vertiginosa. Zuuum!

Também estudei em colégio feminino mas não era de freiras e era EU a santinha. hehehe Não fumava, não pintava as unhas de vermelho e a coleção de palavrões era reduzida. E era muuuito provocada. "Ó Mila enrola já esta saia na cintura que a inspetora já se foi". "Dá um nó nesta blusa "a la Lolita" que os rapazes do Colegio Militar não demoram a vir". Era um infeeerno!
E eu só queria escrever poesias e sonhar com o príncipe encantado e vestidos de noiva, vejam lá! Ó dó!

claudia disse...

Vaya, vaya, que risa!!! Y es que los hay para todos los gustos...culitos blancos, culitos negros, culitos gordos, culitos flacos...e, as famosas CUECAS FIO DENTAL, entram em todos, ou melhor, têm de entrar!
Nao posso negar que as uso mas áparte de nao se verem ( que é horrivel e nada elegante ), nao tenho 12 anos ( coisa que as maes nao devia permitir a essa idade)...mas como hoje em dia as filhas quase mandam mais...

Patti disse...

Cláudia:
Vaya mujér. Es eso!

Las madres lo hacen pior que las chicas.
Estaran todos locos? Por Diós.

LeniB disse...

Adorei esse teu diálogo interior com os traseiros da moda.
Mas vamos lá ver as coisas pelo prisma delas!! Os ordenados são escassos e há que fazer cortes nas cuecas: usa-se fio dental. Há que fazer cortes nas calças: usa-se cintura descaida.
As crianças crescem mas o dinheiro não: usam-se camisolas antigas,já curtas e o umbigueiro à mostra.
Ah! os refrigerantes, a comida pato-donald, as gomas...Pois! Não há milagres: aumentam as banhas quase na mesma porpoção que o tecido encolhe!
Agora vou trabalhar e gargalhar com os fios dentais e os boxeres que vão desfilando de 90 em 90 minutos!!!
bjs

@nn@ ♥ disse...

colegio de freiras ? oh patti tiveste azar !

Patti disse...

@nn@:
'Tás enganada!
Das lembranças mais divertidas, ricas e irreverentes da minha infância/juventude. Só sabe quem lá andou.
Espectacular, só te digo. Dos outros colégio de freiras não falo, não conheço, não sei.
Mas do meu? 5 ESTRELAS!

Nina disse...

Eu tbm não aguentei hj Patti. se não é pra rir, desculpa aí viu, mas ri pra caramba imaginando vc conversando com os tais rabos.rsrs olhando com pena, com vontade de ajudar,mas não podendo.. rsrs

eu passo pelo mesma situação, quero dizer, nao fico de conversa com os rabos nao, mas fico imaginando aquela bundas assadas, devido ao fio dental, ou as calças de tão apertadas que só faltam explodir. É tão ridículo e elas não têm noção, acham bonito e sexy. Sexy? oohhhh!

ahh a santa Isabel deve hj ficar horrorizada mesmo. e pensar que tem até mesmo, cuecas fio dental, rsrsrs

@nn@ ♥ disse...

então ainda bem patti ;)

colegio de freiras estive 15 dias.

na segunda semana
voltei para casa
com um olho ao peito
e fui, felizmente,
enfiada no liceu francês
até ao fim.

beijos

Patti disse...

@NN@:
Então foste tu que tiveste azar.
E são situações que, infelizmente, nunca mais esquecemos.
Mas ainda bem que gostaste do liceu francês.
O meu colégio era irlandês.

Su disse...

:) dás cabe de mim!, olha só te digo, fartei-me de rir… fizeste-me lembrar uma cena sucedida na família, em que um primo com os seus 4 anos sai a correr cheio de “chateação” pura, agarra-se a uma grade do quintal e a chorar diz -odeio-vos! cuuuu cuuuu cuuu! Ahahah ficou um marco na nossa história!
Relativamente á cena da falta de bom senso de algumas das modas, é deprimente, ainda mais com a onda de pedofilia e sei lá mais o que observa os miúdos… qt a mim, a coisa piora realmente, qd vão assim p as escolas e ninguém os chama a atenção, sim pq nem todos tem a sorte de ter pais com bom senso, ao menos que hajam regras nas escolas!
A escola portuguesa aqui do burgo, onde estudei, tinha alguns problemas desses, então como isto é um clima quente, as vezes o pessoal ia p a escola quase de bikini, eu imagino um professor na casa dos trinta a dar aulas e a ter que desviar o olhar dos rabos de fora, depois alguns pais admiram-se…, eu sei, que como adolescente é complicado, pq mesmo que lhes incutemos bom senso e lhes ensinemos modos, o efeito de grupo estraga até os mais santinhos.
Enfim, a escola decretou a farda obrigatória desde a pé primaria a á 12ª classe.
È certo que houve alguns que não acharam piada, mas na generalidade, é um meio hoje em dia mais barato, mais pratico, mais funcional, acaba com a patetice da mania das marcas, diminui a discriminação, gera equilíbrio, sentido de grupo, facilita o controle á saída da escola, enfim traz só vantagens… e neste caso, da EPM, a farda até é gira, foi desenhada por um estilista português, tem as cores de Portugal, o símbolo foi criado pelos alunos é bem bonito, e os putos acabam por ter um certo orgulho na dita.
Eu sinceramente, não entendo o porque de se aderir a este conceito em tantos países, até em muitos do terceiro mundo, e em Portugal isto só exista nas escolas particulares, acaba até por ser discriminatório. Aqui todo o mundo usa farda, não só os que tem dinheiro para uma escola melhor.
:)
beijos!
Ps: a EPM é uma escola portuguesa estatal.

Patti disse...

Su:
Eu também uso calças de cintura descaída nº 36, mas não faço figuras tristes.
O bom senso e o senso do ridículo começam em casa.
Eu às vezes até falo mais com os rabos das mães que com os rabos da filhas, vê lá tu!

@nn@ ♥ disse...

oh patti
agora ja so mesmo
por curuisida "malsã"
esses rabos
tambem são de catolicas apostolicas ?

Patti disse...

@nn@:
Vai na volta! As modas acho que já não olham a credos.
Mas eu já sou muito pouco crente para me pronunciar sobre o assunto ;)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Agora que acabei de rir , já me sinto em condições de fazer um comentário ( com auto-censura, claro,porque me apetecia mesmo era desbragar...)
Faz-me impressão nas miúdas, sim, mas mais ainda em algumas mulheres adultas que não se coibem de mostrar o que deviam esconder...
É que às vezes a "paisagem" é tão desoladora, que até a "libido" vai dar uma volta e se põe a olhar para outro lado! Faz-me lembrar o tempo da mini-saia. Às vezes, miúdas giras estragavam tudo, quando destapavam as pernas. "Não dizia a bota com a perdigota!"
Lembrei-me também da minha irmã, que andou no St Julians. Um dia apareceu com a saia pelo joelho e foi o bom e o bonito!
Patti: entenda este comentário como sendo eu a falar consigo. É melhor não o publicar, senão as suas amigas ainda pensam que eu sou parvo e um bocado metediço. Como sei que a Patti não pensa isso, tomei a liberdade de falar um bocadinho consigo.

Ka disse...

looool
Pois sem dúvida que a culpa começa em casa e até vou mais longe pois já vi mães em lojas de roupa interior a incentivarem as filhas a comprar...depois de ter visto isto está tudo dito.

Acredito que há idades para tudo e faz-me uma certa confusão ver esta pressa em ser adulto. Lembro-me que quando comecei a sair cm as minhas amigas, íamos todas de calças de ganga, t-shirts e ai de nós que nos tentássemos pintar :) E não foi por isso que nos divertimos menos

Beijos

migvic disse...

Não dês ouvidos à conversa do rabo.

Eles quando abrem a boca só para dizer porcaria e a conversa é sempre quase a mesma que até cheira mal.

MirMorena disse...

Parabéns
Adoro ler suas cronicas...são de um humor e sutiliza impar

Feliz dia

Dona Migas disse...

Antes de mais, muito obrigada pelo comentário ao meu recém estreado blog! Gostei muito do 'Ares da miha graça'. :)
Pois é! Como eu me identifiquei com este post!!! Também andei num colegio de freiras, isto a seguir ao colégio da Opus Dei onde estive 3 anos. É verdade que é mais fácil preservar a inocência nesses colégios, pelo menos era assim na minha altura. Hoje já não acredito tanto que isso seja possível, no entanto quando chegar a altura talvez seja lá que os meus filhos vão parar, mas isso é outro assunto...
Esta história das cuecas fez-me lembrar do dia em que a almoçar na cantina do colégio ouvi falar pela primeira vez da camisinha! Eu era a equivalente á Isabel. Ingénua e boa menina, completamente fora da realidade. Quando ouvi falar da camisinha de Vénus perguntei ás minhas colegas de que camisa estavam elas a falar. Foi aí que após uma gargalhada geral, alguém me explicou o que era a tal camisa! Na altura não percebi bem mas deixei passar. Foi uns anos mais tarde vim a saber que a afamada camisa se tratava do preservativo!

Beijinhos.

Cerejinha disse...

Apelo ao teu poder de síntese: um desafio de seis palavras espera por ti lá na minha cerejeira.
Até já.

1/4 de Fada disse...

Estou a lembrar-me dos meus tempos no Liceu de Oeiras, em que nós raparigas andávamos de manhã (de bata branca) e os rapazes de tarde. Só nos cruzávamos à hora do almoço, quando nós saíamos e eles entravam. No entanto, comunicávamos deixando bilhetes dentro das antigas carteiras, no sítio onde se guardavam os livros. Já tenho falado nisto aos meus alunos e eles pensam que eu estou a exagerar! E no entanto foram belíssimos tempos. Com o 25 de Abril o liceu passou a ser misto e a convivência que tinhamos cá fora passou para a escola. Havia alguns professores que faziam "caça" à altura das batas! Incrível como passou tão pouco tempo!

BlueVelvet disse...

Olha, não leves a mal, mas vou dizer um palavrão muito em voga no Brasil e dito pela moçada de 12 anos: SINISTRO!
Sinistro o teu post.
Sabes o que quer dizer? Não é sinistro como o nosso. É espectacular, demais, fabulástico...
Espera que vou buscar um Kleenex para limpar as lágrimas... de riso.
Não era para rir? Lamento, mas ainda não parei.
Mas sabes que eu adoro calças com cintura descaída? São tão confortáveis. Claro que não com o fio dental a ver-se, mas enfim.
E quanto à santinha da Isabel, eu era ela mesmo. Por uma pena. E fui até há muito pouco tempo atrás.
Ainda por cima tive o azar de ter um marido que sabe das anedotas mais engraçadas do mundo, mas mais picantes.
Então os amigos picam-no para ele contar, só para me ouvirem dizer: Não, não, não.
Enfim, bom mesmo são as recordações maravilhosas que guardamos do tempo de colégio.
Olha, continua a escrever assim, para termos todos um bom dia.
Beijinhos e veludinhos azuis

Olá!! disse...

Ainda bem que vim aqui ler esta conversa de "rabos". Excelente em tudo ao pormenor ;)))

Agora vou dar de "mamar" à tua sobrinha ;)))

Beijossssssssss

Cavilhas disse...

Ao ouvir tamanho frenezim, dia a madre superiora para as freiras:
- Se não fizerem menos barulho, mando pôr o selim nas bicicletas.....

Patti disse...

Cavilhas:
Lá no colégio só se andava de patins.

PDuarte disse...

Estive a ler o teu post de baixo.
�s sem d�vida muito bonita.
achei de certa forma oposta � minha a forma como abordas os temas.
E eu at� gosto dos meu oposto.
Para mim seria impensavel, o tema ser "rabos", e eu trat�-los assim como tu, como quem transporta cristais.
Quem me conhece pessoalmente j�mais imaginar� que sou eu que escrevo o meu blogue.
Eu na vida, acompanhado claro, n�o digo um palavr�o.
Mas aqui n�o sei lidar com estas coisas a n�o ser assim, a fundo, sem medo de melindrar.
Mas gosto muito da forma como narras os pedacitos da tua vida.
Um abra�o.

Helena disse...

Patti, já me ri ou melhor ainda estou a rir...

Adorei esta tua conversa com os rabos e cuecas ...

Mas é ridícula a figura que estas meninas e meninos fazem hoje em dia mas concordo contigo quendo dizes que quem precisava de o par de estalos eram os pais por permitirem que os filhos saiam à rua nestas figuras será que estes pais olham para os filhos?

Ah quanto às asneiras nunca fui muito de as dizer nunca tive esse habito raramente mas mesmo muito raramente dizia asneiras...

Mas sabes por vezes é muito complicado tenho dois filhos um com 9 anos e nunca disse asneiras quando ouvia lago que não conhecia chegava a casa e perguntava-me o que era eu lá explicava dizia que era asneira e ele não dizia já o meu pisco tem 6 anos e diz asneiras por mais que eu fale com ele ele ouve na escola e repete tudo em casa não ouve asneiras mas na escola tem dois meninos que é so asneiras atrás de asneiras não só tem sido complicado....


mas tal como eu digo asneira depende da palavra e do significado que cada um dá o meu filho mais velho no outro dia chegou a casa a dizer Mamã P*ta não +e asneira no dicionário da escola quer dizer menina bonita e pequenina por isso não é asneira nenhuma... :))


Beijinho adorei o teu post...

Patti disse...

PD:
'Tás a brincar, não 'tás? A múmia gira do post abaixo, não sou eu, hahahahahah. Eu 'tou lá em cima, no canto superior direito.
O tratamento ao rosto foi perfeito, mas não é eficaz a esse ponto.

Eu escrevo exactamente como falo e já aqui o disse num post qualquer.
E quem me conhece sabe que é verdade.

Hoje disse rabo, porque digo rabo, não digo cú.

Mas amanhã vou partir alguns cristais, não em termos de linguagem mas de postura na vida.

Os teus comentários falam mais de ti que os teus posts.

paulofski disse...

Antes de mais deixa-me dizer que, passados alguns de 30 anos, ainda tenho alergias ao ouvir a palavra "colégio" arghhhhh...
Ós despois, dos rabos femininos não tenho nada contra, hehe. Mocinhas, estou com vocês, e com os vossos glúteos.

PDuarte disse...

Não tenho o blogue para falar de mim.

f@ disse...

heheheheh tou sem graça... risos beijinhos das nuvens

ines disse...

ahahahah!

Só sabe quem lá andou... tens toda a razão. Sim também andei, e adorei!!!

(esta disse cuecas, na altura uma disse "cócó"!!!)

Rocket disse...

ri à vontade....

mariam disse...

passei agora por aqui... e o que me ri... está espectacular... a descrição ...

parabéns p`la boa disposição

um sorriso pra si :)

xô disse...

acredita,amanhã vai ser lindo... vou dar por mim a rir sozinha na rua,a olhar para os rabos e a lembrar me do teu post...e... claro,ver se ninguem ri do meu...

xô disse...

acredita,amanhã vai ser lindo... vou dar por mim a rir sozinha na rua,a olhar para os rabos e a lembrar me do teu post...e... claro,ver se ninguem ri do meu...