quarta-feira, 7 de maio de 2008

casamentos

(foto de carina andrade, br)

O que eu gosto de ir a casamentos.
Daqueles grandes, de preferência dos que duram o fim-de-semana todo, num local enorme, com muita gente, muitas mesas, muitos empregados, muito espaço, muitos jardins, muitas salas.

Primeiro as bebidas em taças altas e finas ou copos baixos e largos; adivinhar pela cor verde, amarela, branca, cor-de-rosa, encarnada, qual o sabor do líquido que estará lá dentro. Humm, que bom. O que é? Grasshoper, minha senhora. Ai sim? Então dê-me outro.

Depois a excitação das entradas; diz-se que devem ser servidas em pequenas quantidades, para que não saciem de imediato o apetite, 'tá bem abelha. O cheiro a chegar devagarinho até mim, o aspecto simétrico daqueles pequenos manjares delicados com nomes maricas, servidos em bandejas prateadas com pano de algodão branco de aspecto imaculado. Os canudos sicilianos, as barquetes de festa, os antepastos de truta, as tarteletezinhas do mar, os vol-au-vents de lebre, os canapés de salmão fumado, as sanduichinhas de beringela gratinada, os fofos de queijo, os cestinhos de espinafres cozidos ao vapor, os canudinhos de espargos e claro está a bela da azeitona preta e enorme, os enchidos encarnado sangue, os excelentes queijos regionais, o pão saloio e a boa da broa de milho. Amarela, já sabem. Senão não quero.

Olha, já nos estão a chamar para mesa. E aquela ementa em papel conqueror e letra century, divinal. Por ali deslizo a minha unha, pintada lindamente de castanho-encarnado e percorro a salivar aquela lista infinita de pecados. Como adoro pecar assim.

Começa-se pelo consommé, servido em chávena própria para levar delicadamente até à boca. O consommé, é a parte mais pateta dos casamentos. Está tudo ali com vontade de comer uma bela sopa cheia de entulho, com couves, feijão branco e nacos inteiros de batata, mas enfim, compreende-se. Já viram bem, agora os convidados todos a babarem-se com as couves a escorregar para a gravata, também não é bonito, pois não?

Mas fazem o favor de deixar a colher em cima do prato e não dentro da chávena, ok?

Começam a chegar os vinhos brancos e a coisa anima. Não me importo nada que venha o bacalhauzinho da praxe, desde que seja muito. Mas também podem pôr lombinhos de cherne, enroladinhos de cação, salmão magestic, linguado com molho verde, pregado com cebolinhas ou salmonete com anchovas. Tudo acamadinho com batatinhas coradas às bolinhas, legumes fininhos e salteados ao vapor e um purezinho de laranja.

Venham de lá os tintos antigos que eu preciso. E chegam eles acompanhados da carbonada de coelho, do faisão à Rossini, da galantine de pato, da lebre a la créme, do veado com aguardente velha e do pernil de javali assado. E mais uma dose de legumes piegas todos coloridos e fresquíssimos.

Agora só um momento, que vou ao toilllete.

Já voltei e fujo direitinha para a mesa de doces. Deus queira que sejam todos, todos amarelos, amarelíssimos. Doces de ovos com canela, fios de ovos molhados, creme de ovos com doce de amêndoas, toucinho do céu polvilhado com açúcar baunilhado, barrigas de freira, papos de anjo em calda de açúcar, grossas e espessas fatias da china, leite creme com açúcar queimado, pudim de abade de priscos, dos que levam 50 gemas, quindim com côco ralado, pudim de ovos ensopado em molho de laranja, tijeladas, sericaia, encharcada e o típico arroz doce.

Olhe, por favor, sangria tinta não serve pois não? Pois eu compreendo, não é chic, mas ia tão bem agora.

E a mesa de queijos, abre quando? Ok, eu espero, enquanto isso dou um saltinho à pista de dança. E lá estão eles, brilhantes e envolvidos em espigas douradas a olhar para mim, os meus magníficos: o de Serpa, o de Azeitão, o da Ilha, o da Serra, o Saloio e até o Flamengo, porque não? Também marcham o azul, o Gruyère, o Roquefort, o Camembert, o Emmental e o Cheddar.

Mas a menina não engorda?

Acabou-se a festa. E o casamento foi divertido, a cerimónia foi bonita, de que cor escolheram as flores, as fotografias uma chatice não, o vestido da noiva como era, quem apanhou o bouquet e os noivos estavam felizes? Qual cerimónia, noivos, flores, fotografias? Ah sim! Foi giro foi, acho que sim, pareciam felizes, acho que sim que estavam contentes. Flores, acho que também havia. Não me recordo bem, estava lá muita gente, uma confusão.

Agora a comida! Nem queiram saber como foi a comida, eu conto. Ah, o que eu gosto de ir a casamentos. Já vos disse?


30 comentários:

Suelly Marquêz disse...

ORA POIS ME DIGA Patty, dissesteaqui com toda a certea de uma perfeita e assidua frequentadora de casamentos,todos as delicias alí que contaste e saboreaste me lembrou algus tempos que recebia tantos convites de casamentos que por aqui quase nao acontecem mais, o povo daqui di só estamos aficar e ficam, e nada de fazer acontecer uma boa bodas como estas daí, acho que ainda mudo pra Portugal, beijos com gosto de fios de ovos,
suelly

Nina disse...

Ahh Patti, isso foi demais. Ligo o computador de manhã cedo e me deparo com essas fotos lindas e que dão água na boca. Ohh coisa fofa e gostosa gente! tudo perfeito. Deu até votade de casar de novo (brincadeirinha, caso mais não...). Casei (com meu segundo marido, porque com o primeiro não fizemos nada) há dois anos, e foi tão lindo assim. Tanto o civil qt o religioso (este último foi mais tarde, com toda a familia e amigos mais queridos)). Ahh mas foi tão gostoso, eu acho que fui a única noiva que conheço que realmente se divertiu no casamento, adorei cada segundo do meu. Mas é verdade, rola um stress basiquinho..) mas é lindo assim mesmo, como vc disse no post.
Que lindo! adoro o teu bom gosto pra fotos.

claudia disse...

Como sempre, a fazer uso do teu sentido de humor e BEM!!!
Fiquei com um apetite...só nao coincidimos nos doces de ovos...nao gosto nada.
Super divertido logo pela manha um texto como este! Ah. e a noiva ía de amarelo, verde , ou branco?
bjos

de dentro pra fora.... disse...

Oh! melher, isto é tortura ou quê?
Logo pela manhã, e vem falar destas coisas todas, ainda por cima não podia faltar a bela da azeitota preta assim bem gorda, ah! não só pode mesmo ser tortura...e os doces,...e os salgados ,uí!!
vamos lá trabalhar, que isto de começar o dia a babar, não está com nada...

Olá!! disse...

Pois eu também gosto muito dessa parte dos casamentos hahaha...

Vou é embora que isto não se faz, logo pela manhã grrrrr

;))))

****

Justino Pénacova aka Menino Bonito disse...

Wow!
Isto abre o apetite a qualquer hora do dia!
Estranhamente, fiquei vidrado na carbonada de coelho :o), é o quê?

Patti disse...

Menino bonito:
Carbonada de coelho: cortar a carne de coelho aos pedacinhos, passar por farinha e fritar. Colocar no forno e cobrir com uma cebola refogada(na mesma gordura onde foi frito o coelho) e vinho tinto. Temperar com sal e bastante pimenta preta moída na altura. 15m de forno e servir com puré de maçã.
Bom apetite!

Olá!! disse...

E ainda dá as receitas.... aiiiiiiiiii ...não pode ser
hahahaha

Patti disse...

Olá:
Aquela de não saber que a sopa levava água, foi só mesmo no início.
Agora sou uma mestra das panelas e dos tachos.
Tenho algumas destas receitas, as outras imaginem vocês!
Hahahahahahah

BlueVelvet disse...

Sei que vou repetir os comentários anteriores, mas não há nada a fazer: estou a salivar.
Grande maldade logo pela manhã.
Fantástica descrição.
Só fiquei um bocadinho triste com o pobre do coelho, mas que se há-de fazer....
Mas os queijos e os doces ou ao contrário...
E o amarelo, o que eu gosto de amarelo, daquele dos fios de ovos,nos doces, nos apetrechos da cozinha, nas toalhas da casa-de-banho, nas flores, no ovinho quente, pela manhã, molhar o pãozinho de centeio, hum
E não posso vestir nada amarelo: uma tristeza, mas loira de amarelo, tás a ver
Quando tiveres o próximo, avisa: adoro casamentos:))))))
Beijinhos e veludinhos amarelos

Ps: a pedido, vou fazer outro post" voando".
Afinal tu és a Lindinha ou a Florzinha?

Patti disse...

Blue:
A Pitanga baptizou-me de Lindinha!
Ah e não te esqueças que o meu 'asadelter' é o mais giro lá da Pedra Bonita

Ka disse...

ó minha amiga, isso não se faz (risos)!!!

Eu tal como todas as pessoas fiquei aqui prontinha a entrar no post para "merendar" um bocadinho. :)

Olha da próxima leva-me contigo que eu dou-te os doces todos e fico-me pelos queijos, a minha grande perdição :)))

E pronto, agora vou ter de voltar a cair na rela, ir beber a minha garrafita de água, voltar ao meu regime...snif snif...(gargalhada)

Beijos


ps - da próxima aconselho-te a pores um pré-aviso S.F.F,. :D

Ev@ disse...

Pois em mim, tem um efeito contrário, quando vejo muita comida fico logo sem fome. Não faz mal, mais fica para vocês não é?

Patti disse...

Eva:
Pois, estômagozinhos de formiga que não valem nada!
Ai que horror, 'tou 'tão cheia! És tu e a outra.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Pois, esse é o lado bom dos casamentos... o pior é a digestão dos noivos que às vezes corre mal( cada vez mais vezes, na verdade).
Que grande maldade, Patti! Não volto cá à hora do almoço. Deixou-me com uma fome de morrer!

Patti disse...

Carlos:
Ler este post à hora do almoço ou do jantar foi o melhor que lhe aconteceu, ao menos ainda vai a tempo de se desforrar no restaurante.
Já viu os outros, coitadinhos, que vieram aqui a meio da manhã?

MirMorena disse...

Depois de uma leitura dessa, excelente por sinal, tenho uma amiga que se casa em breve e vou passar a ela o cardapio....muito bem descrito por vc...me deu agua na boca toda essa comida...tbem adoro casamentos...

Feliz dia

LeniB disse...

E eu que acabei de comer a bela da sandes com chourição e uma folhinha de alface!!
Muitas vezes as pessoas lembram-se dos casamentos a que foram pelo que comeram, às vezes nem se recordando quem eram os noivos.
Guarda nas minhas memórias de infância um casamento na já desaparecida Aldeia da Luz: começou na véspera, ao jantar, continuou no dia do casório, prolongou-se pelo dia seguinte, acabando com um fartote de bolos em casa dos noivos que, segundo a tradição tinham de oferecer aos convidados.
Lembro-me dos bolos, mas não faço a mais ligeira ideia de quem eram os noivos!

Patti disse...

Lena:
Casamentos de dois dias! 'Ganda pinta! Nos casamentos normais, fico sempre a pensar no outro dia na comidinha toda que sobrou.
Um desperdício!
Olha, mas também gosto muito de comer nas festas de aniversário!
Percebestessss?

Coragem disse...

Quem mandou a mim vir ler o teu post imediatamente a seguir ao almoço, não caiu muito bem no estomago, ahhh pois não eheheheh

O que mais me irrita é que nem sou de estomago largo e quando me deparo com tamanhas iguarias, ele diz...CHEGA.
Que raiva, uma pessoa não se alimenta de jeito uma semana, para chegar e comer tudo a que tem direito, mas a bolsinha diz não, fazer o quê?

E os noivos mereceram os parabéns ou nem por isso? ahahahah
Beijinho

Pitanga Doce disse...

Ah sim, mas esqueceste de um complemento. É que nos casamentos na aldeia ainda tem o pequeno- almoço na casa dos noivos, mediante de qual lado você foi convidado. E é logo pela manhã sands de lombo, empadinhas de frango, pernil fatiado, vinho branco e tinto, etc. Aquilo é uma doideira e depois segue-se o "rega bofe" e no dia seguinte "os mais íntimos" são convidados para irem á casa dos pais e terminarem com o que sobrou (que nós chamamos de "o enterro dos ossos"), que coisa fina, não? Isto para que a familia não fique comendo o bolo até as Bodas de Prata do casal. hehehe

beijinhos e não se pode levar um vestido muito justinho senão ao fim a festa não cabe. ahahahahaha

Patti disse...

Coragem:
Os noivos são sempre dignos de parabéns. Principalmente quando nos presenteiam com mesas daquelas.


Pitanga:
Hahahahahah, 'enterro dos osso? realmente há com cada expressão. Muito chic, como tu dizes. Finérrima, até!
Também adoro esse pequenos-almoços Hahahahahahah.
Aliás como já deves ter reparado, comer é comigo mesmo.
Mas alto lá, continuo "nos trinques", vice?

susy claro disse...

Obrigado pela visita! Nao resisti a vir cá espreitar e achei o post uma delícia! E a verdade, verdadinha é que o exito da cerimónia de casamento depende muuuuito da qualidade da comida ;)
Bjs

Pitanga Doce disse...

Patti, não davas para vir a casamentos aqui. Costumam ser á noite, por volta das sete e alguns trazem assim no convite: "Cumprimentos na igreja". O que significa? Que tens que ir ao McDonald's mais próximo depois da cerimónia. hehehehe

paulofski disse...

Ahhhhhh..... pronto, já fiquei a salivar. Vou lanchar que já não aguento de fome.

Quanto a casamentos, às vezes são mesmo uma grande seca. O mais divertido é depois dos comes, e de muitos, bebes o pessoal se divertir até dizer chega e quando chega o bolo dos noivos, até já sai pelos ouvidos.

Gi disse...

Ai Patti "Bobone" e eu que que detesto casamentos e baptizados; até o meu casamento me custou; sim, que do baptizado nã me lembro, nã me lembro!

Acho que não tarda nada passamos a ir a divórcios. Ah pois é!

Patti disse...

Gi de Lencastre:
Só faltava cá a menina, 'tá a ver?
Deixe 'tar que chegou ainda a tempo do caldo verde com chouriço.
Ajeite lá o tafetá do vestido e venha 'pá mesa.

Divórcios?
Ok, menos ao meu!

LeniB disse...

AH AH AH!!!!
Frango assado, batatinha pala-pala e já vais com sorte!!!

BlueVelvet disse...

Lindinha, ora espreita os comentários do último post da Florzinha: o trio juntou-se!
É bom sinal: hehehe
E vai ao meu, já lá está o segundo post voante
beijinhos e veludinhos azuis

gasolina disse...

Até que enfim que encontro uma mulher que gosta dos "tachos"!!!

O teu texto está fabuloso!

Fizeste-me bem, tens sempre um óptimo humor!

Beijo Patti