sexta-feira, 28 de novembro de 2008

aversões de infância II


Amaldiçoei-as mal as vi. Herdadas por uma prima, também ela vítima de uma mãe distraída, vieram-me parar às pernas, quando a minha mãe disse para minha desgraça, que eram 'como deve ser' e bem distantes daqueles jeans ruços, que eu gostava de usar com ténis Sanjo.
Vejo-as hoje, como se estivesse agora mesmo com elas vestidas. Calças de fazenda cinzenta que picava, com um xadrez largo por onde passava uma risca fina amarela. Canário!
Ainda hoje não visto amarelo.
Detesto.

34 comentários:

Pitanga Doce disse...

Ai que susto que eu levei quando lia assim tão marcante esse CANÁRIO!!! Mas não, que a menina não é de mau feitio.

Pois eu dava tudo para ter uma saia assim: madras, era como chamavam. E as minhas amigas as tinham e eu não. Mas elas não pinicavam, as legítimas madras, não! Mas lá em casa não havia carteira para a calça Lee original, nem o tênis All Star e nem as madras. Quando me casei ( no tempo do guaraná de rolha) adivinha só qual foi a primeira roupa que fiz? Um conjunto de mini saia e colete de madras. Mas não eram amarelas.

beijos Patti. Olha, tu com esses dois posts podias trabalhar nas Rebeldes. hahahahahahahahaha

salvoconduto disse...

Contra o amarelo não tenho nada, já o padrão faz-me lembrar o das saias das meninas do colégio de S. José... Corríamos atrás do padrão, do amarelo ou de uma coisa nem outra?

BlueVelvet disse...

Lol,
tu nem me fales em calças que piquem.
As minhas tinham que ser todas forradas.
Aliás, a mim tudo me pica: a lã das camisolas,os acrílicos,as calças de fazenda.Grrr
Amarelo adoro, mas não posso vestir porque loira com amarelo dá caca da gato...
Fui!

Gi disse...

Eu gosto, desde que não pique o tecido.
Eu gosto de amarelo, também.

Vekiki disse...

Patti, tenho saudades deste padrão e dos kilts que adorava, com meias até ao joelho. Mais tarde, quando fui Mãe e enquanto Mãe de apenas 2 filhos, comprava o xadrez e mandava fazer kilts para ela e calções para ele! Um MUST! Agora resta-me esperar pelas netas!!!!! Adoro Kilts e este ano estão na moda! Acho que eu e a C. nos vamos abalançar a uns :-)

Diana Norinho disse...

Eu não visto vermelho!

Teresa Durães disse...

Será que temos a mesma idade? Também tinha terror a essas calças de fazenda. jurei que nunca mais as usava

Carlota disse...

Tem graça. Das minhas memórias de infância também fazem sobretudo parte roupas que picavam.
E viva a malha de algodão!
Bom fim-de-semana, Patti!

pedro oliveira disse...

Aí estamos de acordo, quando a minha mãe me obrigava a vestir calças de fazenda era do caraças, meus amigos.
bom fds

Patti disse...

Vera:
Não estou a falar de Tartan ou Kilt, estou a falar mesmo de um padrão de xadrez horrível!

Borboleta disse...

Amarelo foi a minha sina depois de ter casado (da 1ª vez)

Disse a todas as pessoas que não gostava de amarelo e olha, até um aspirador amarelo que ainda hoje funciona, me deram!

Não tive grandes alternativas e passei a ignorar a cor...

Miepeee disse...

Eu tive umas calcas de fazemnda azuis que odiava, mas a minha mae dizia que eram muito quantinhas e tinha de as vestir, nunca mais usei calcas de fazenda na vida!

André disse...

Acabei de deixar este comentário num post de janeiro. Confusões de um velho calvo.
Caramba, que memória, desde o segundo ou terceiro post que não deixava comentos. Andei mais ou menos blogafastado, fazia os mínimos just fo the jazz. De quando em vez vinha aqui mas não deixava comentário e preciso de lunetas para ver os ares da tua graça. Beijo

Si disse...

E aposto que esses jeans eram daqueles 'esterlicadinhos', de cinta alta, tão justos de cima abaixo, que, para os vestir, tínhamos que nos deitar na cama e alçar os quadris, com a barriga toda encolhida, para conseguir correr o fecho e as botas, se queríamos pô-las por dentro, entravam primeiro nas calças e só depois nos pés!!!
Quanto ao xadrez...também dispenso, e se for num fato de homem, então é que desatino mesmo!!

Justine disse...

Desses "horrores" também tive. O pior eram os "picos"...:))

Ka disse...

Eu gostava das calças xadrez...embora não de todos os padrões!

E dos kilts nem se fala :)

Beijosss

SC disse...

Também colecciono uns quantos traumas desses!
Amarelo, roxo e motivos com cornocópias não visto.

paulofski disse...

Quem tem uma mãezinha prendada, que quer tudo do melhor e do bom aos seus filhinhos, cuja hoby favorito era operar a sua máquina de malhas, e moldes e fios e cores e perafita e entretela e muitas outras coisas dela, e nós os dois, quais manequins de modelitos de revista de moda alí, vestidos de igual e com uma comiçhão terrível nas pernas e no pescoço. Não pica nada, pica o quê!... Dizia, quem tem uma mãe assim tem tudo pronto para vestir, safa!...

Patti disse...

Paulofski:
Coitadinho, imagino!

de dentro pra fora.... disse...

TOca a todos..tenho pena:)
imagina eu , euzinha filha mais nova de nove irmãos(tres rapazes e seis raparigas)levava com tudo...tadinha
Mas acho que não fiquei com traumas, :)

A. Jorge disse...

A quem o dizes, Patti. Como eu sei o que isso é e como sei o que sentias. Eu também passei por isso mas... E quando me obrigavam a vestir um casaco com o padrão igual ao do vestido minha irmã???? Shhhhh...vou-te contar!!!!
Gostei que me tivesses feito recordar os ténis Sanjo, que saudades!

um beijo

Jorge

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Patti,
diz que não gosta do Amarelo, mas estamos mesmo a ver que era a cor do sorriso com que brindva a Sua Mamã, de cada vez que recebia uma sainha comme il faut...
Mas isso explica a fobia de vestir a rapariguinha lá no meu antro blogosférico. Como sou muito bem mandado, já postei a solução.
Beijinho

Brunorix disse...

Quando eu era miúdo (ontem, portanto) cada vez que me vestiam roupa que picava, eu levava outra escondida na mochila da escola e trocava a meio do caminho! Isto, naqueles tempos em que os miúdos iam a pé para a escola! :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Nem de amarelo, nem de vermelho!

rosaventos disse...

Eu usei esse e outros padrões do género em kilts, em calças não e ainda bem por aquilo que contas...

Abraço

ines disse...

Os eternos kilts! Eu tinha uma desculpa para não os usar, Tinha uns castanhos e beijes de farda, (há pois é) e ao fim de semana, era mesmo a ganguita!

LeniB disse...

O que mais me aborrecia era dizerem que "não pica nada, é mania tua" e aquele tecido, só de o ver já me começa a "comichar" toda, a picar a alma...bolas...do que te foste lembrar. Ainda hoje tenho uma certa aversão a calças de fazenda.

Gasolina disse...

Também tive, não um par, mas várias calças e saias de pregas de xadrez que picavam até às lágrimas.

E nem adiantava reclamar...

Um beijo

O2 disse...



Eu graças aos deuses escapei-me da moda, ... restou uma fotografia... eu ai com uns 4 anitos, com uns lindos tótós e de casaco comprido de fazenda aos quadrados, nem te conto, está um must, acho que a minha mãe teve pena de mim e não me enrolou junto á pele tal coisa, só de pensar no assunto arrepio!

:)

Beijo bem disposto.

O2 disse...

PS: tb n gosto de amarelo, acho que estamos em sintonia, vermelho, gins e sapatilhas, sempre que posso!

Mad disse...

E kilts por baixo do joelho de pied-de-poule castanho e branco com alfinete o-bri-ga-tó-rio? Blaaaaargh... é do colégio, ainda hoje não uso castanho.

Fatima disse...

Não é para contrariar, mas gosto
tanto de amarelo!
Não em quadrados........

mariam disse...

rsrs
tive uma saia, assim! igualzinho o padrão, daquelas com um "raça" dum gancho/alfinete ou lá o que era, a segurar a aba da frente! LOL :)

Curiosa disse...

Eu odeio amarelo, não consigo usar roupas dessa cor nem compro nada que tenha essa cor. Não descobri ainda o porquê desta aversão, talvez algum trauma de infância, embora goste muito de Kilts com o alfinete mas sempre acima do joelho.
Acho que andei no mesmo colégio da Mad só que continuo a usar castanho e com a agravante que pus a minha filha no mesmo, quando andei toda a vida a dizer que nunca lá inscreveria um filho meu!!! Destinos, sei lá!