segunda-feira, 10 de novembro de 2008

cozinha vudu


Tralará, tralará, tralará, lá ia eu mais animada neste domingo, pois a minha cara já não se assemelhava tanto a um Basset Hound, quando tiro a galinha da embalagem para fazer um almoço simples-simples, como aquele do franguinho ‘à maricas’ que a Ka, tanto se chocou com o nome de baptismo.

Quando me atiro ao bicho, não é que das profundezas de uma entranha, que não faço a mais pequena ideia qual foi, me sai de lá um pescoço enorme, mole e frouxo, com a cabeça do falecido agarrada, de olhos arregalados de espanto a olhar para mim, bico aberto prestes a fazer có-có-ró-có-có e crista encarnadinha da silva?

Voou imediatamente das minhas mãos. Não porque também viesse com asas, mas porque do susto o atirei ao ar. E juro que a bicha se mexeu!

Mas quem é que cozinha cabeças de galinha com olhos abertos ou fechados - é indiferente - bicos amarelos, quase com grãos de milho na ponta e cristas empinadas?

Cristas? Oh valha-me Deus, quem é que come cristas?

Eu sei que a nossa gastronomia tem comidas suspeitas, tais como línguas, orelhas, pézinhos e mãozinhas, caras, unhas, túbaros, tripas, pescoços e mais não sei o quê.

Mas cristas, nunca vi!

E desculpe lá, oh senhor que embala os frangos no supermercado, o que é que eu fazia com a cabeça da ave, para ali pendurada? Canjinha de crista com olhos? Bicos de fricassé com molho de crista? Ou olhos salteados, com panadinhos de pescoços?

Com o chilique, mais os ais e os uis, acordei o prédio. Talvez o bairro. Provavelmente o concelho.

‘Ca nojo.

32 comentários:

Ka disse...

loooooool

Eu não fiquei chocada...deste cabo foi da imagem idílica que tinha acerca do dito...

Mas não te preocupes que já fiz umas sessões de psicoterapia e já estou controlada... :D


Beijosssss

de dentro pra fora.... disse...

Queres te rir..então cá vai...tenho uma cunhada que diz que quando era pequena a mãe costumava cozinhar nem mais nem menos que as 'ditas' dos galos e mais ela diz que eram muito boas...
mas olha lá, os chineses comem coisa pior ou não? e há um pais que agora não lembro o nome, que um dos pratos ou aperitivos mais apreciados são os ovos já com o pintainho lá dentro, Blhack!!isso sim ca nojooo!

Pitanga Doce disse...

E o frango era da Avipal? Se era mais uma razão para dar queixa na ASAE (não que eu goste dos gajos, que só vêem o que não devem). É que a Avipal não deve ter lá os seus filtros muito bem limpos e no Verão quem passa pela A-25 entre Mangualde e Viseu, sente um cheiro a galináceos que é o fim de qualquer receita de fricassé.

Tenho Dito!!!

salvoconduto disse...

Isso devia ser qualquer mensagem a pretender dizer que era genuíno...

Passei os olhos pelos comentários e de detectei que há quem faça sopa com os "ditos" dos galos, que raio de sopa...

joana disse...

Bem ja me aconteceu o mesmo,os ditos frangotes parece que ainda estão ali a olhar para nós,ui credo como te compreendo,e logo eu que tenhoi horrores a galinhas mas não digas a ninguem.
Beijinhos e boa semana

Pitanga Doce disse...

Ó Patti, sabes que o Salvoconduto deve ter sua razão? Quando a minha mãe comprava coelho aqui no Rio ( e eu era criança) dizia que trazia junto as patas para verem que não era gato. Credo!!!!!!!!!!!!!
Vai ver que é por isso que trazia lá a crista...mas se não fosse galo seria o quê???????????

Gi disse...

Manda-me o bicho para a Mcdonald's para a operação de maquilhagem respectiva;
Sabes que, devido às crenças que por aí grassam, estes frangos devem ser utilizados para magia negra, este escapou e foi parar a ti.
Compraste no Continente de Oeiras?
Bem-vinda ao Mundo encantado dos Brinquedos.

Nina disse...

ahahaha, coitado do franguinho voou pelos ares, bom né? normalmente ele nao voa, vc realizou o sonho do frango patti!

pedro oliveira disse...

Depois não querem que os putos digam que as galinhas crescem nas covetes...
O galo canta galo o galo de Galo, lembrei-me assim de repente da música do Sérgio Godinho.
Boa semana

O Pinoka disse...

A cabeça do animal na embalagem beneficia o cliente e o vendedor. Se bem que a vantagem vendedor é maior.
Repara, tu não duvidas que de facto é um frango que compraste no supermercado porque lhe vês a cara e o vendedor ganha mais uns trocos no peso do frango.
Ah! E não podes reclamar, a cabeça também é frango.
Beijocas

Si disse...

Patti,
Lamento informá-la que, pelo menos aqui no Porto, é vulgar embalarem assim os frangos, quando querem distingui-los com o rótulo de 'frangos do campo'. Trazem patas (com unhas), pescoço, cabeça (com crista), moela, fígado, coração e um saquinho de sangue para a cabidela.
Mais ainda: se se tratar realmente de um frango caseiro, ao qual se tirou a tosse em casa, há quem aproveite os "ditos" - a não ser que sejam capões - ou, em caso de ser galinha, os ovos ainda em formação.
Tradicionalmente, o frango faz a cabidela e os miúdos, patas e crista incluídas, são para a canja, acreditando-se que esta seria um bom fortalecedor de corpos mal alimentados.
A minha 'Aurora' ainda hoje faz assim, e posso-lhe dizer que é muito bom...

P.S. Frango à maricas? Bem bom, mas cá em casa somos mais soft: é frango de supositório...

Teresa Durães disse...

Para não falar da etiqueta do frango. Sopa de papel?

ines disse...

é o que eu digo, elas andem aí... as bruxas!!!

Rita disse...

Pois é Patti eu também detesto isso mas normalmente quando compro frngo do campo o dito traz sempre a cabeça (será que pela cabeça se distingue se o gajo é do campo ou da cidade?). A primeira coisa que faço quando abro a embalagem é, qual carrasca da idade médica, decapitar o desgraçado e mandar a cabeça para os confins do balde do lixo para não ter que olhar mais para aquele bico prestes a abrir e a cantar. Outro dia a R grande viu-me a arranjar o frango e achou graça às patas depois de muito olhar e quando viu que só lá faltava a cabeça perguntou por ela, eu disse que estava no lixo ela foi espreitar e depois começou a chamar a irmã muito entusismada "mana mana anda ver a cabeça do frango!". Deus me livre...
Jokas

paulofski disse...

Nunca entendi muito bem como é possível, mas eu já vi uma galinha correr sem cabeça, palavra!
Uma das que a minha avó criava, galinhas gordas que esgravatavam a terra e comiam minhocas e sementes, daquelas que punham ovos enormes de gema amarelinha, daquelas que a carne era dura como cornos e por isso tinha de ser bem cozida na panela de pressão para ficarem tenrinhas, patas, coxas, miúdos, peito, asas e a cabeça, a cabeça que servia para a canja e ai de quem dissesse "ca nojo". daquelas que

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu mandava logo o frango baixar a crista e punha-o no tacho, para aprender.
Boa semana

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Patti,
Salvoconduto tem razão, é uma mensagem - a recomendação codificada de que COZINHE USANDO A CABEÇA!
E quanto ao contributo da Pitanga Doce, diria ainda mais: compre sempre cabrito com rabo, para não levar cão para casa. A cauda desmascara o cabrito, perdão, o cachorro.
Beijinho

Miepeee disse...

Ahahha Patti, o que te aconteceu fez-me lembrar quando andava na universidade e fui estudar para casa de uma colega. Tambem decidimos fazer um frango no forno e o desgracado vinha com a cabeca. O bicho tambem voou, mas depois de nos certificarmos que estava morto foi para o tabuleiro e que bem que soube :)

Justine disse...

Mas qual o mal do frango vir com cabeça, se o bicho nasceu com cabeça??? Quando eu era miúda e só comíamos frango criado pela vizinha, as canjas, para alem das patas e do fígado e da moela tinha também a cabeça sim senhora! E com crista, se fosse galo! E era delicioso...:))

Patti disse...

Vizinhança:
Tenham lá paciência: uma coisa é comer a galinha da capoeira, da tia, da prima, da vizinha, da avó com tudo cozidinho, a que temos direito. Outra coisa é embalarem cabeças escondidas, em cuvetes de esferovite no supermercado!
'Ca nojo!

1/4 de Fada disse...

Esta aventura fez-me lembrar uma vez em que me ofereceram uma galinha viva quando estava a passar férias no campo! Foi uma verdadeira desgraça, eu feita idiota a olhar para o bicho sem saber o que havia de lhe fazer, os meus filhos numa risota pegada, o meu pai em coro com eles e a estender-me uma faca... Valeu-me uma vizinha entendida no assunto, que a casa onde estávamos ficava numa aldeia! Levou o bicho para casa e devolveu-mo depenado e já arranjadinho como se viesse do supermercado. Claro que toda a gente comeu e achou delicioso menos eu, que não fui capaz de tocar no petisco!

cristina ribeiro disse...

Eu sei que é difícil de acreditar- eu não acreditaria se não tivesse visto: uma vizinha minha, quando mais nova, comia cristas CRUAS. Verdade. Mas também é muito normal, por cá, comer-se carne de porco crua, depois de salgada e avinhada, so :)

Patti disse...

Cristina:
Cruas? Eu sabia! Eu sabia que havia algo de estranho nesta história!

António Inglês disse...

Cá venho de visita e caso engraçado dou de caras com esta postagem sobre galinhas, pescoços e cristas.
De repente lembrei-me de uma triste imagem que presenciei em pleno Rio de Janeiro. Uns operários que trabalhavam nas obras de uma avenida, estando na hora do almoço, tinham acendido uma pequena fogueira onde aqueciam água para fazerem uma sopa, suponho. Qual não foi o meu espanto quando vi sair da panela precisamente as patas, o pescoço, a cabeça e a crista de um galo. Só isso. Arroz nem vê-lo. Pobre sopa. Pobre galo. Pobre povo que lá como cá sofre na pele as dificuldades da vida.
Uma boa semana. Um abraço.
António

@na disse...

isso é mesmo um "'ganda 'ca noijo" tão cedo não compro frango, arghhh!

Luísa disse...

Credo, Patti!!! Da próxima, talvez seja melhor comprar o frango no formato dos «lombinhos», que já vêm convenientemente cortados, aparados, desinfectados e sem o mais remoto sinal de vida. ;-D

Rosa dos Ventos disse...

Esqueceste-te de mencionar as tripas que por serem à moda do Porto não deixam de ser tripas! :-))

Abraço

CLAUDIA disse...

É caso para copiar-te:" HÁ COISAS FANTÁSTICAS, NAO HÁ???"

EHEHEHE
BJOS

mariam disse...

LOL

em jovem minha mãe obrigou-me a matar uma galinha ... dizendo..."uma Mulher tem que saber fazer mesmo que um dia seja para mandares fazer"... nisso e muitas outras coisas... pois eu estava sempre a reclamar com as matanças... tão habituais naquela época, em que os animais se compravam vivos para nosso consumo...

pois com horror lá torci o pescocito da pobre e .... o trabalho ficou tão perfeito que depositei-a por momentos, morta.. e ups desatou aos saltos... fugi! jurando a minha mãe não mais repetir!LOL

sorry o relato macabro... provoquei chilique de novo?!! bj

estou deliciada com k Melua... obrigada!

BlueVelvet disse...

Cá para mim, foi a Revolta dos Frangos, a ver se te convencem a deixares de os comer.
Q'a nojo!

O2 disse...

ahahah o triunfo dos frangos!

Só tu para me fazeres rir hoje!

:)

beijão

Filoxera disse...

Como não tenho a tua coragem gastronómica, pelo menos no que toca a confeccionar (já que para saborear estou cá eu), não corro estes riscos. O bicho entra-me em casa já aos bocadinhos e não encaro cá cabeças, patas, cristas, etc...
Beijos.