quinta-feira, 27 de novembro de 2008

aversões de infância I


Acordei a ser perseguida por uma carroça desenfreada, cheia de verdinhos e viçosos agriões da minha horta.
Ora, se eu tivesse uma horta, plantaria lá de tudo: beringelas reluzentes, gomas de alcaçuz da minha infância, gordas bolachas de chocolate com recheio de laranja amarga, uma mini-biblioteca falante, um DVD portátil, grilos e joaninhas, caras sardentas, um cobertor de pura lá com ovelha e tudo, bitoques com ovo a cavalo e até um telemóvel, mas agriões é que nunca! Por isso, vi logo que era um sonho.
...
Comia a sopa, sempre com os olhos enfiados no prato cheio dela, até ao cimo.
De cabeça baixa e com medo que o vómito me subisse à garganta, quando o talo do agrião se lembrasse de fazer o caminho inverso.
Era tão terrível, que ainda hoje o sinto a deslizar dentro de mim, quando vejo molhos deles nas bancas da praça.
Mas terminava-a sempre, que em casa dos pais não se dizia, não gosto.

34 comentários:

salvoconduto disse...

Em profundo desacordo! Era eu próprio que os ia apanhar no ribeiro ao pé da casa dos meus avós. Tenrinhos e macios!

E o xarope de agriões para a tosse feito pela minha avó?

Até que veio a poluição e lá se foram os agriões, até o ribeiro se foi.

BlueVelvet disse...

Esse teu jardim devia ser um espanto com tudo isso plantado.rsrsrsr
Logo vi que não podia faltar o ovo a cavalo.
Tem graça. Eu adoro agriões, mas odiava ervilhas e comia como tu. O prato cheio sempre a ver se não vomitava.
Lá em casa também não se dizia, não gosto.
Outros tempos!

SONY disse...

Patti,
não foi há tanto tempo como os teus mas lá em casa também eu não podia dizer "não gosto" na parte trazeira da minha casa quando era crinça, havia lá uma pequena horta, onde havia, agriões, tomate, maracujás, coentros, e também os meus favoritos rabanetes (pois dizia o meu pai que era para o sangue ficar com muito ferro)

Mas o pior não estava na horta, estava no óleo de fígado de bacalhau puro, que ainda hoje, não o consigo ver á frente, e tinha que o tomar todos os dias, até cheguei a estar horas escondida debaixo da cama e o meus pais a correr o bairro com o frasco e uma colher á minha procura :-)

Ainda hoje esta miudagem se queixa!

lol
Gomas de alcaçus nunca comi, só rebuçados e são bons, também eu adoro as bolachinhas com recheio de laranja.

O que vale é que tenho niveis de açucar baixo, vou sair daqui e vou mesmo ao armário :-)

Jito,
Sony

*petição contra o óleo de fígado de bacalhau puro:

1- Sony- Portugal

Pitanga Doce disse...

Sabes o que eu acho? Que aqueles comprimidos pra gripe te fizeram um efeito prolongado. Que raios de horta é esta? E um DVD portátil? Rega-se quantas vezes ao dia? hehehe

Vou dormir que cheguei agora de um coqueteil. Tomei um Engove , não vão os camarões resolverem fazer um motim aqui dentro.

Fatima disse...

Não sou apreciadora de agrião, mas a minha história com a comida sempre foi e continua a ser o ovo cozido.
Não tolero nem o cheiro!
E por azar na minha horta havia galinhas.....

pedro oliveira disse...

Pois Srª Presidente, em relação aos agriões esatmos em desacordo. A sopa que me causava tudo o que descreve era a sopa de nabiças, mas como o não gosto dava direito a galheta, era engolir de olhos fechados e rapidamente.

Teresa Durães disse...

sempre tive uma profunda aversão à sopa na infância. Também em casa dos meus pais não se podia dizer nada. Enfim, um martírio

claudia disse...

Eu tb nao gostava, mas agora adoro uma sopinha de agrioes! Isso sim, DETESTAVA o famoso ensopado de figado que a minha maezinha fazia,arroz de grelos e as sopas em geral.

bjos

André disse...

O que eu gostei de imaginar uma horta assim, com caras sardentas e tudo. Nessa horta podem nascer instrumentos musicais, boa ?

TRISTAN disse...

A mim acontece-me o mesmo com o caldo verde...

Adorei a das gomas de alcaçuz...até porque são muito benéficas para o sangue.

Agradeço a partilha

Ka disse...

Eu gosto muito de agriões!!!
E eu que te julgava boa boca tu dás-me esta notícia???? :P

Beijossss

ps - lá em casa os meus pais também não se dizia não gosto. Caso cometessemos essa imprudência não só acabávamos o que tínhamos no prato como ainda repetíamos :S

O2 disse...

ahahah, um jardim com bolachas de chocolate e laranja amarga, só tu! Adorei a ideia, isso sim é criatividade...

Eu n era avessa aos agrioes, mas ás ervilhas, menina, nem te falo, hoje em dia é uma das minhas sopas de eleição claro.

:)

Beijo do sul

annie hall disse...

Por aqui os agriões são muito mal vistos:) não conto aqui porquê , mas toda a gente no ribatejo sabe:))
Ovo a cavalo , não consigo sequer pensar nisso , terrivel invenção .
Já agora obrigado pelas suas visitas ao mei outsider, parece ser a unica :)e portanto muito estimada.
Bom fim de semana, que este vai ser longo e longe!

Carlota disse...

Pobre Patti... Que pesadelo!

Cerejinha disse...

Ai que bem que sabe uma sopa ou uma salada de agrião :-D

Duranta anos não consegui comer creme de cenoura. Só o cheiro me revoltava o estômago... mas a minha aversão foi resultado de 3 semanas de internamento hospitalar a comer sopa de cenoura sem qualquer tempero. Só de me lembrar...fico arrepiada :-S

ines disse...

Mioleira com ovos mexidos, provoca-me um sonho assim mais virado para o pesadelo, mas como tu dizes "em casa dos pais não se dizia, não gosto"!

Patti disse...

Andre:
Pianos, pode ser? E não visitavas o Ares desde o meu 2º post, se bem me lembro.

paulofski disse...

Vê lá tu que até apanhava agriões para as saladas da minha avó! Podem pôr de tudo um pouco no meu prato menos o gão de bico. Faço deles autênticas balas disparadas em todas a direcções.

Em casa dos meus pais dizia-se, e ainda se diz, hummmmm... que bom mamã, cozinhas tão bem! Pois era esse o meu problema, só gostava da comida da mamã, e quando a ranhosa empregada me punha aquele prato à frente, desse por onde desse, eu havia de o conseguir despejar atrás do frigorífico!

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Patti,
eu agriões gosto, estou como BlueVelvet, etvilhas é que nem vê-las, salvo a acompanhar língua estufada.
Quanto ao direito de não gostar, reivindiquei-o muito cedo, sempre fui um petiz muito orgulhoso, ao ponto de preferir fome e bolachada(de mãos) a quebrar.
A partir daí estava conquistada a faculdade de dizer não, desde que usada com a parcimónia da razoabilidde. E o certo é que, além da ervilha e do feijão verde, só me lembro de recusar bacalhau e bananas.
Beijinho.

Si disse...

Olha o desconsolo!!
As bençãos da madrinha não me chegaram nesse ponto e ainda bem, porque agrião é a minha salada e sopa preferida!!
De resto, e com excepção de uma única coisa, posso não gostar tanto, mas como na mesma que também assim fui habituada (aliás o meu pai transportou da sua infância a frase da avó dele - 'engula, raio!!' que desmotivava qualquer pretensão a deixar no prato algum resto.
A tal única coisa que eu não posso ver nem pintada, é a enguia, que, por acaso, me deu agora uma excelente ideia para um post.....rrsrsrsr

Diana Norinho disse...

E que pena que eu tenho de já não gostar de agriões! Adorava-os quando era pequena! Dizem que com a idade se vai aprendendo a gostar, que o gosto vai afinando, pois eu vou aprendendo a não gostar. Meto-os num saco com coelho, sardinhas, peixe frito com arroz malandro de tomate, cebola crua, e mais um alimentozito ou outro. Deito o saco fora e nunca no meu prato!
E que pena que eu tenho de já não gostar de agriões...
Bem..vou à cozinha ver o chá. Pus ao fogão chá de cavalinha. Dizem que faz bem ao colesterol. Vamos lá ver...porque a idade é pouca, o peso é pouco, a alimentação é saudável mas o menino colesterol anda nos meus vasos circulatórios a ocupar espaço. Acho que veio com os genes...heranças de família...que raio de companhia que me trouxe o DNA!! (Cala-te Diana, não te queixes! Há males piores que os teus!).

Ka disse...

Caro Paulo (desculpa Patti mas não resito a comentar)

Bacalhau e bananas????? Esquesitices extraordinárias que tem...lol

bjs aos 2

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Adoro sopa de agriões, que na minha infância era cozinhada com os que cresciam numa pequena horta lá de casa. Se não gostasse, estava tramado, porque lá em casa também não se dizia "não gosto".

1/4 de Fada disse...

Gomas de alcaçuz e bolachas de chocolate com recheio de laranja amarga!!! Mas tu e a Bluevelvet hoje apostaram que haviam de me pôr a salivar? Nunca comi gomas de alcaçuz mas devem ser deliciosas.
Eras tu com os agriões e eu com as favas, que nojo... e no entanto, agora gosto imenso, vá lá compreender as crianças!

Justine disse...

Patti, preciso com urgência que me digas onde vais buscar a terra , o adubo e as sementes para essa tua horta. Eu só substituia o bitoque por agriões,sim, agriões cheirosos e saborosos tanto crus, em sopa e na catchupa e até em xarope:))

Filoxera disse...

O meu drama eram as papas de aveia sempre que passava férias com os meus padrinhos. E não é que uma vez a papa fez mesmo o percurso inverso?
:-))

Mad disse...

Estou com a Ka: lá em casa também era frase proibida e punida, não só com repetição como com re-re-repetição... nem te conto! Uma vez tive a lata de dizer que não gostava de grão e comi-o três dias seguidos às quatro refeições (!!!) e a frio, que nessa altura não havia microondas e castigo era castigo.

Hoje adoro grão, ao menos isso. Valeu-me a educação, que hoje, se for preciso, até como pedras. A única excepção são miolos - por mais elogios que oiça, nada me faz experimentá-los - e iscas, que não gosto mas como, uma vez até marcharam ao almoço e ao jantar (que remédio, eram casos para fazer cerimónia...), mas qualquer dia vão os miolos, que eu não sou de mariquices.

Bj.

ana v. disse...

Estás em minoria, Patti. Aqui todos gostamos de agriões... no meu caso, em sopas (ainda hoje fiz uma com eles) e em saladas, frescos.
Mas percebo-te muito bem: no meu caso era o sumo de tomate obrigatório depois da sesta, "por causa das vitaminas". E também era impensável dizer que não gostava, claro. Odeio sumo de tomate e sestas... até hoje.

Gi disse...

Gosto de todo o género de sopas, umas mais do que outras.
Sim, sopa de agriões também;

PS: Ainda bem que a minha mãe nunca se lembrou de fazer sopa de bacalhau. Detestava, odiava mesmo, bacalhau até à gravidez.
A gravidez faz-nos ficar como gostos estranhos; a ti devia ter-te feito gostar de agriões; ahahaha!

Borboleta disse...

A minha mãe ensinou-me que se diz...não aprecio, mas até que é muito bom! lolol

Por acaso gosto de sopa de agriões. Mas depende de quem a faz ;o)

sonia disse...

Meu avô contava que um dia, por azar, disse à mesa que não gostava de bacalhau: pois foi o prato que teve que comer durante um mês, todos os dias! (se eu tivesse essa chance, diria o mesmo só para ter o prazer de comer bacalhau por um mês inteiro: nunca me enjoaria!!!)

LeniB disse...

Entre coisas verdes e carne mole, tipo bofes, "tás a ver", venham os verdes todos, com ou sem talo...

mariam disse...

Patti,
pois... pouco mais velha sou, e na casa dos meus pais também não se dizia não gosto(com algumas excepções, tipo cebola, favas, enguias rsrs) mas era-nos permitido dizer na casa d'amigos "não tenho apetite"! rsrs
li a saga "agrião" com um sorrisito enorme!
tentei passar esse "costume" aos meus filhotes (não é fácil)! certo dia o mais pequeno, feliz porque ía almoçar com a irmã a casa duma amiga dela, então, o que vem para mesa.... iscas de porco, salada de alface e batatas cozidas... ambos detestam iscas! perguntei como correu, o pequeno calou-se a mais velha diz, "eu engoli os quadrados das iscas inteiras não consegui mastigar, o mano escondeu-as debaixo das folhas d'alface e disse à mãe da Ana, não tenho apetite"!

sorrisos :)

Patti disse...

Mariam:
Que espectáculo. E vês como eles te ouviram?