terça-feira, 9 de setembro de 2008

bem estar, no norte da península

foto minha

E então, lá seguimos nós no Alfa pendular, bem cedo no sábado, em direcção ao Norte da Península. A outra loura e eu.

Eu, qual puríssima e genuína moura, nascida no coração da minha linda e inesquecível cidade, no Chiado pois claro, ainda não conhecia muito bem o Porto.
A outra, que é beirã, ali bem do meio das cerejas gordas e encarnadas do Fundão, já sabia umas coisitas a mais do que eu.

Tenho vindo sempre a adiar uma visita a sério ao Porto, porque a minha curiosidade cai sempre para os locais mais pequenos, menos conhecidos e menos visitados. O ‘por conhecer’ atrai-me mais que o ‘muito conhecido’. Coisas minhas.

Quanto chegamos, só pedi duas coisas: ir à Lello, a razão de ser de eu ter este blog e de ir esplanar um tempo pela Foz e cumprimentar o mar deles que é o mesmo que o meu.

Os guias turísticos contratados, foram incansáveis e de uma disponibilidade sem limites. Começamos mesmo pela incrível Lello, com uma fachada imaculada e daí foi um sem parar de visitas da praxe que se impunham, como o Café do Piolho, passeios sem rumo entre as muitas ruas tradicionais da cidade, umas bastante vividas e outras mais abandonadas mas com segredos e particularidades de outros tempos, que o turista típico não sabe. Mas sei eu!

Deixámos espreitar os olhos pelas montras das livrarias, pelas fachadas de casas e prédios, janelas, varandas e portadas, que o guia nem imaginava que são dos meus olhares preferidos, por vários edifícios tradicionais, em dezenas de prédios antigos que nascem por ali a toda hora nos passeios, nas ruas estreitas e nas praças e que com imensa pena minha, se encontram muitíssimo degradados, o que me faz sempre pensar porque raio o património de uma cidade não é recuperado e se enterram milhões de euros em mamarrachos de arquitectura duvidosa, como a badaladíssima Casa da Música. Não é da música que eu duvido. É da casa dela!

Descemos pela cidade abaixo e ainda espreitei o rio, invadido naquele dia pelos aviões da Red Bull e acabámos no Palácio da Bolsa numa mui sui generis visita franco-castelhana, que nos levou até à minha luxuosa sala. Sala Árabe, se é que me entendem.

O prazer também passou pela tosta mista na Regaleira, ups...Francesinha. A verdadeira, a única, a mais antiga, a primeira. Um fino, a imperial daqui da mouraria, na esplanada do Magestic e éclairs maravilhosos, servidos em leitarias antigas, onde empregados sempre educados nos chamam de meninas.

Acabamos a noite com uma querida anfitriã, que nos proporcionou um sentido jantar. Estivemos ainda com a Inês, a verdadeira mulher Red Bull, a Joana e o Mr. Rabbit. Só gente simpática.

Ficamos entre amigos que queria muitíssimo conhecer, num encontro que se pautou por risos, abraços, lágrimas nos olhos, promessas e desejos, expectativas não defraudadas e instantes para não esquecer.

Falo dos tais breves momentos, muito rápidos até, que passam pela nossa vida e que a sensatez da idade nos avisa que temos de levar connosco.

E guardar.

E no domingo, será que foi mesmo verdade que esplanámos, no Homem do Leme, das 11h às 18h da tarde? Foi mesmo real, o carregamento de energias vindas do mar e do sol, que recebemos durante todas aquelas horas? Mas eu só tinha pedido uns breves esplanar e passeio para ver o meu oceano na vossa Foz!

E já agora, sabiam que eu tinha ficado por ali e jantado na vossa companhia, outra vez, não sabiam?

E com tudo isto, como é que vou conseguir dissociar a minha impressão sobre a cidade da que fiz dos meus queridos e prestáveis cicerones? Como é que descrevo o que vi, sem me deixar influenciar pelo carinho com que fomos recebidas, pelas gentes calorosas? Pessoas que tão pouco sabiam de nós, a não ser revelações em forma de post no blogobairro e que não nos deixaram um só segundo, desde a chegada a Campanhã até à partida de novo para Lisboa, no fim do dia seguinte? Como é que vou contar aos meus netos que aquela cidade, capital do reino visigodo, quando quer, até tem uma luz especial que brilha muito alto para receber quem vem por bem, ao contrário da imagem escura, sombria e invernosa que tínhamos dela? E que o futebol serve para muito pouco.

As cidades cujo passear sem rumo, nos levam na direcção de um rio, só podem ser especiais.

Como a vossa.

E como a minha.

E por isso, cá vos espero.

30 comentários:

Fátima André disse...

Bem, Patti, deixaste-me roidinha de inveja da boa... será que pode alguma vez ser boa? ;)
Pois está claro, quando alguém chega por bem.
Isto faz-me lembrar alguma coisa lol
São lindos os vossos sentimentos. Obrigada pela partilha.
Beijinhos :)

Gi disse...

Que inveja, mulher!
Eu gosto muito do Porto, mesmo muito.

Vekiki disse...

Lindo :-)!
Eu também ando a congeminar uma ida à Invicta. De preferência sem filhos, a dois. O meu destino primeiro também é a Lello. A minha máquina fotográfica também irá preparada para fachadas.
Beijos

Fatima disse...

Patti que bonita esta descrição do Porto.
Eu levei anos a aprender a gostar do Porto. Diziam-me sempre que era feio e escuro!
Comecei por ir lá de passagem, para ver como era. Depois fui passeando por aqui e por ali. Mais tarde fui de visita mais tempo, também vou em trabalho de vez em quando. Gosto do Porto. Já subi o Douro até à Régua...gosto da Foz, magnífica! O centro histórico, o Palácio do Freixo (lembras-te desses posts da GI)?
Certo é que em boa hora aprendi a gostar do Porto. É uma cidade muito bonita, embora todos tenhamos pena da degradação dos edifícios. É como dizes. Porque não damos nós valor ao nosso Património? De que esperamos para deitar mãos à obra?
Falta dar aqui os parabéns aos guias turísticos, que estiveram à altura da cidade que representam.
E à anfitriã do Saltatampa! Um dia destes vou lá eu!

pedro oliveira disse...

Como diria o outro: Já fui muito feliz no Porto.
O Porto Cidade é fantástica,recebe bem,comer e beber é do melhor.
Acho que devia ser obrigatório todos os Portugueses visitarem Lisboa e o Porto, e assim perceberem que duas cidade tão diferentes são das cidades mais bonitas do mundo.
É evidente que logo a seguir à "minha" paixão que é Coimbra...

Nina disse...

Até eu que nao conheco já ando com vontade de conhecer esse Porto. Ooh delícia de descricao.
que bom que vc apesar de ocupadíssima ainda arruma um tempinho pra falar de coisas bonitas.

beijos Patti(amei a foto com o cavalo mais embaixo, ando pensando em comecar a montar... mas acho que me falta coragem e saúde)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu sabia, Patti! Ninguém resiste àquele encanto, aos éclairs da Quinta do Paço,ao Majestic, ao Estádio do Dragão ( que fica mesminho ao pé de minha casa) às francesinhas da REGALEIRA, à Lello, aos digestivos da Ribeiro, enfim....
Mas vai ter de lá voltar breve, porque não pôde desfrutar da melhor paisagem do Porto: a Ribeira vista do cais de Gaia.
E depois há as pessoas... acredita que quando eu era miúdo, as pessoas que iam de Lisboa ficavam sempre muito admiradas com a hospitalidade dos tripeiros? Portanto,a fama já vem de longe!
E alinho com o Pedro: devia ser obrigatório que todos os portugueses visitassem o Porto.( E já agora....o país. Portugal tem coisas tão lindas e as pessoas gostam é de ir fazer praia para Varadero, Cancun e República Dominicana, mas de Portugal, nickles!)

O2 disse...

E viva o Porto!
:)
E pronto, acho que hoje fiquei sem palavras, fizeste-me chorar, quero a minha avó! Bolas, há dias que custam...
:(
Beijooooooooo

salvoconduto disse...

Por isso é que a "outra" perguntava "já fizeste as malas?".
Eu disse para os meus botões - vão para o arejo - não imaginava no entant que era para a minha cidade de adopção.

Por dois dias o Porto ficou mais rico!

Ka disse...

ò Patti,

Tu devias ter avisado pois não estava emocionalmente preparada para um post destes logo de manhã e pronto, lá se foi a pintura!!! :P (sou uma emotiva, que queres!!)

Fiquei muito, mas muito contente por ter visto a satisfação espelhada na vossa cara quando nos despedimos em Campanhã ao fim do dia :)

Fico também contente por ver que quem cá vem altera a sua ideia em relação à cidade e sua gentes.

E claro que vais ter de cá voltar pois há tanta mas tanta coisa para vocês conhecerem e que não tivemos tempo...

Beijinhos

ps - e claro que o próximo poderá se em Lisboa pois adoro ir aí!!

1/4 de Fada disse...

Olha que fiquei com vontade de preencher esta lacuna, eu que nunca lá fui... os meus filhos conhecem, e eu não! Este verão tive uma proposta de lá ir mas não me deu para isso e começo a estar arrependida.
Olha lá, para quando um encontro aqui?

claudia disse...

Chica,ahora te toca a recibirlos igual o mejor que ellos! VALE???
No te olvides de los Pasteles de Belen!
Éste fim de semana lá estarei eu pelo Porto, carago!

Rosa dos Ventos disse...

O ano passado tirei três dias e fui com a minha irmã e duas primas à descoberta do Porto!
Eu andava como tu a adiar o conhecimento mais profundo desta cidade maravilhosa, mas também com contrastes desoladores.
Fomos à Lello, ao Museu Soares dos Reis, à Casa da Música, à Casa de Serralaves, deambulámos por parques e jardins, assistimos a um espectáculo no Coliseu, lanchámos no Magestic, e ainda fomos no comboiozinho até Gaia para visitarmos uma "adega" de vinho do Porto.

Abraço

de dentro pra fora.... disse...

Hummm! andas-te por cá!!
Espero que tenhas gostado, acho mesmo que gostas-te,~pelo menos é o que transparece o teu texto...
Falta mesmo conhecer o caís de Gaia, de onde podes ver o Porto do outro lado do Rio,e provar o genuíno vinho "du puortu".

paulofski disse...

Foi um encontro muito especial. Embora nunca nos termos cruzado anteriormente fiquei com aquela sensação já vos conhecer há muito tempo. Gostei muito de te ver Patti.
E também gosto muito de ir ao Porto todos os dias, tanto tanto que raramente chego a sair.
O Porto não é cinzento nem triste como alguns dizem. O Porto é sorridente, é refilão, é paixão, é e será sempre atraente. Agora vou almoçar ao Piolho, queres vir?

Beijinho.

Tretoso Mor disse...

Patti,

Lê-se nas tuas palavras o teu contentamento.

Eu já trabalhei no Porto durante dois anos e, contrariamente à maioria das pessoas do sul, gosto também muito do Porto.

Tretices por aqui

Justine disse...

Tenho sempre saudades do Porto, e com a tua bela reportagem, ainda com mais fiquei...
Não tarda nada vou até lá, de novo!

Anónimo disse...

Vim cá ter através do Vila Forte.
Depois de passear por aqui posso dizer que gostei. Gostei muito mesmo .
As fotos estão muito boase excelentemente selecionadas, os textos bem escritos,mas sobretudo o post cujo título´´e " Vidas Breves" tocou-me muito pela sensibilidade que denota pelo facto de mostrar que a autora é uma pessoa atenta a este verdadeiro flagelo nacional.
Quantas vezes ignorado, quantas vezes silenciado, quantas vezes escondido em nome de uma vergonha que penaliza sempre a parte mais fraca.
Vou voltar por aqui um dia destes, amiga.
Maria Antonieta Mariano

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Volto aqui só para dizer que estou fascinado com os comentários à minha cidade!!! Bibó Porto, Canudo!

M.A. disse...

Patti:
Vim aqui ter depois de ler o comentário deixado no Simecq - Lago da Tágides. Bem haja pela visita e comentário. Também lhe quero dizer que sou uma apaixonada pelo Porto e a prova são também alguns posts que o Simecq tem apresentado sobre essa cidade com chamada para algumas das coisas bonitas que por lá existem.
Nasci a 40 Klm de lá e passei toda a juventude indo amiudadamente a esta cidade. Mesmo agora, vivendo na capital, não deixo de, sempre que possível, lá dar um saltinho.Ainda não me cansei de descobrir o Porto.

Cecília disse...

Patti,

O "meu" Porto não se irá cansar de a receber quantas vezes quiser....
Por isso, da próxima, tente usufruir de um dia da semana para visitar também o Mercado do Bom Sucesso (já que o velhinho Bolhão está encerrado)e faça uma experiência: para além da câmara fotográfica, leve também um gravador e algumas perguntas na cabeça sobre a actualidade nacional...
Vai ver que as respostas daquela gente verdadeira e desbocada poderão ser surpreendentes...
Depois, regresse e faça uns posts sobre isso...vai ver que serão um sucesso!!

Nota: E quando lá for, aproveite também para queimar a língua com as bifanas da "Conga" (as bifanas do Porto não têm nada a ver com as de Lisboa) ou experimente lanchar à boa maneira Invicta, uma postinha de bacalhau frito ou uma sande de polvo, no "Pedro dos Frangos", bem regado com o verde da casa....é de estalo!!

@ღღ@ disse...

eu nem comento
mas sei do que falas

gente boa mesmo
tambem gostei ;)

BlueVelvet disse...

Não conheço o Porto que descreves e o que descrevem os comentadores.
É verdade que conhecer uma cidade com quem é de lá é sempre diferente.
Ainda bem que te divertiste.Beijinhos

Sorrisos em Alta disse...

Pois eu acho que atingiste o objectivo na perfeição: não se nota n-a-d-i-n-h-a do carinho que recebeste...

;o)

SONY disse...

Olá Patti,

Gostei que tenhas gostado!!

E ainda tens muito mais para ver desta cidade linda!!!

Não foi à toa que troquei o Centro/Sul pelo Porto!! E daqui não saio só se for amarrada!!!

Sem dúvida o Porto é lindo e muito em seu redor!!

Beijo,
Sony

susana catarino disse...

uma vez que comentei o post mais recente sobre Lisboa tive também de comentar este:) Gosto da cidade "imbicta" e das pessoas que lá moram. Gosto da vista da cidade enquanto se saboreia um café numa esplanada no cais de Gaia. Gosto da Foz. Gosto do Piolho cheio de gente trajada e bem disposta (não fosse eu estudante!). Gosto da estação de S. Bento. Gosto de, no final de um dia bem passado, jantar na ribeira. Mas, apesar de tudo, continuo a gostar mais de Lisboa... quem me manda gostar de tudo o que vejo?:)

Pitanga Doce disse...

Só tenho pena que tenhas ido num dia em que não podiam passear no Douro. O raio do Red Bull tomou conta de tudo. Até o rio estava difícil de se ver. E o dia estava lindo, mas eu não estava lá.

beijos e agora já sabes porque suspiro pela Ponte.

Olá!! disse...

:) Foi muito bom mesmo que tivesses vindo, só lamento não ter conseguido fazer mais companhia e ter tido o prazer de estar mais tempo contigo. Obrigada mesmo.
Beijo grande

LeniB disse...

Já sei!!!
Estou atrasada...mas ontem tive um dia muito preenchido e, como tal, não "houvera" tempo de dar um ar da minha graça.
Foi, efectivamente, um fim-de-semana muito especial por várias razões:
a) rever pessoas por de mais simpáticas (Ka e Olá);
b) conhecer as que referiste, também elas deveras amáveis, prestáveis e sãs;
c) passear pela cidade com guias exímios (é assim que se diz??);
d) vislumbrar aviões, avionetas, e outros seres voadores (aquilo era mesmo uma pomba, ó senhor Paulo!!);
e) comer uma sandes mista à moda do Porto, picante como o raio, mas também não faz mal...quando a fome aperta...bem, até era capaz de comer aquele creme horrível dos bolos que têm um nome estranho (écclair?? écllair??)
f) passar horas a ver o mar, tendo apenas a preocupação de mudar de mesa!!
g) aturar-te!!!

Ó salvoconduto...garanto-te que "a outra" não viu cadeiras nenhumas na Av. dos Aliados!!!
bjssssssssssssss

Ka disse...

ó Lena, era uma gaivota mulherrrrri!!!

Olha que somos dois a dizer o mesmo...hehe


Beijosssss