segunda-feira, 29 de setembro de 2008

[1] dizer bem

Bom dia, queria marcar uma consulta para a Dra. Isabel M. Que não, que era impossível, que estava a agenda toda preenchida, que só podia ser no final de Outubro e vá-lá, vá-lá, e mais não sei o quê, e não sei que mais.

Ah, mas no fim de Outubro é muito tarde para mim, porque tenho mesmo de fazer este exame importante e já combinei com a Dra. fazê-lo nesta altura. Diga-me então o horário de atendimento para as consultas diárias de urgência, que eu vou aí e espero o tempo que for preciso, paciência. Não posso é adiar o exame e a Dra. sabe disso, pois foi o que ficou acordado entre mim e ela.

Conversa para cá, conversa para lá … olhe, disse a empregada, então vou ver se a consigo encaixar entre dois doentes já para segunda-feira, pode ser? E assim escusa de ficar preocupada com o assunto e resolve-se tudo.

Eh lá! Que estranho. Não refilou comigo, não bufou, não me respondeu se tens pressa vai andando ou viesses mais cedo, ou qualquer coisa tipo, também a mim me dói muita coisa e não me queixo ou até, já lhe disse que não há consulta, quer que eu me transforme em Dra. Isabel?

Não, nada disso. Falou baixo, devagar, nunca me despachou, pelo contrário, ficámos uns dez minutos ao telefone, arranjou-se a consulta de manhã como eu preferia, ficou preocupada com o exame, desejou-me as melhoras, eu aparvalhada, respondi, obrigada pela atenção e ela ainda disse, ora essa! E eu que já estava de garras afiadas e em posição de ataque, tive de me recolher.

Fiquei desconfiada e não era para menos. Então uma pessoa é atendida daquela forma, não tem cunha e consegue uma consulta que parecia impossível e ainda por cima não lhe desligam o telefone na cara a grunhir? Claro que fui à cautela.

Por fora, o edifício é um bocado cinzento, mas já me tinham dito, que o nosso novo Centro de Saúde era um espectáculo, desde as instalações a todos os que lá trabalham. Só vos digo: é um must. São três pisos do melhor que há. O segurança, não usa bigode fininho, não tem barriga, não está sentado a ler o Jornal da Região ou a Bola e diz bom dia. A sério, não estou a gozar. Diz mesmo bom dia! As instalações são excelentes; paredes de tijolo pequeno, com pequenos jardins de Inverno, patamares com vidraças muito altas, corredores compridos e espaçosos, escadas macias de madeira, diversas salas de espera com lugares mais do que suficientes para todos, sala de brincadeira, com cadeiras, bancos e mesas, tudo em ponto pequeno para as crianças, livros e brinquedos a sério, bar e cafetaria, quatro super casas-de-banho, e também para deficientes, atendimento completamente informatizado, rápido, educado e prestável, chamada dos doentes por microfones onde se entende na perfeição o nosso nome e para que sala nos chamam. Nenhum doente diz: o quê? Sala quê? O que é que ela disse? Chamou quem? Maria o quê? Santinha.

Tempo de espera: quinze minutinhos, no máximo.

E a sala de consultas da Dra. Isabel? Então Dra. ‘vivó luxo! E ela riu-se de satisfação. É uma médica extraordinária e já merecia uma sala como aquela, para atender os seus milhares de doentes. Olhe que assim até vale a pena vir cá ter consigo.

Sabe Patti, que os meus doentes mais velhos, ficam a olhar à roda, diminuem os sintomas daquilo de que se queixavam e até se esquecem de parte dos medicamentos que me vêm cá pedir, tal é a felicidade deles ao verem estas instalações. Fazem-me mais perguntas a mim, que eu a eles.

E vocês? Pensam que esta é mais uma das minhas histórias e que agora vou dizer que acordei de um sonho e que morava na Noruega?

Nem pensar, é tudo verdade e aqui mesmo a dois passos da minha casa e vou a pé e tudo.
Só me faltou meter o nariz nos quatro gabinetes de enfermagem, mas tenho aqui uma unha dorida que está a precisar de tratamento.

Estou mortinha por voltar a passear por aqueles patamares envidraçados, até ao topo do edifício, que deixam entrar a luz do dia e ver o céu.

34 comentários:

Alecrim disse...

Que feliz eu fico por ler isto!

Patti disse...

Alecrim:
E eu ainda mais por o escrever!

salvoconduto disse...

No meio do deserto parece um oásis.

Estou de acordo, os bons exemplos devem ser elogiados.

BlueVelvet disse...

Há coisas fantásticas, não há? Isto é o que uma vizinha minha diz:))
Serious mode: aqui está a prova que não dizemos mal por dizer. Quando é caso disso também sabemos elogiar.
Pena é que que fiquemos admirados, desconfiados como tu, e que achemos tão estranho que até achamos até é caso para escrever sobre o assunto.
Esta devia ser a regra e não a excepção, mas infelizmente não é.
Embora, deva confessar que o meu Centro de saúde, embora não tão moderno como o teu, também seja muito agradável, com plantas no interior, escadas de mármore ( enfim, uma imitação, mas bonita), os gabinetes agradáveis,os microfones funcionam bem, as funcionárias são muito prestáveis e a minha médica também um amor.
Temos sorte, é o que é.
Quando oiço histórias de pessoas que têm que ir para a fila às 6 da manhã para arranjarem consulta até fico arrepiada.
Boa semana

SONY disse...

Patti,

felizmente parece que em todo o país, houve algumas mudanças em relação aos Centros de Saúde que estavam péssimos assim como tão bem descreveste.

Também eu estou muito contente além de eu não o utilizar, nao porque não me sirva, mas porque tenho uma especialidade a seguir com rigor, durante todo o ano e não posso estar nas mãos de um médico de clinica geral (não desfazendo), não me posso dar a esse luxo, também a mim me facilitava, pois é só sair da porta do meu prédio e entro no estacionamento do novo Centro de Saúde muito bom e com um atendimento fantástico!

vamos lá ver se estas mudanças se estendem para todas as zonas, pois todo o cidadão merece!!

Fico contente por ti, pela minha familia, que usufruí também de um Centro com boas condições e de todos aqueles que necessitam de uma consulta e não estão horas de desespero à espera de uma vaga ou que tinham que recorrer ás urgências dos hospitais!

vivam as Unidades Familiares e novos Centros de Saúde!!

Jito,
Sony

Pitanga Doce disse...

Olha, querem ver que ela vai se transformar naquelas senhoras que levam o crochê e umas sands dentro da bolsa e ficam ali no Posto de Saúde como se estivessem a espera do comboio das cinco? hehehehehe

beijos e bom dia pra ti também

Gi disse...

Olha vamos armar-nos em turistas acidentadas e fazer uma visita turística?
Aqui pela minha zona há, igualmente, CS assim.
Nem tudo é mau!
Maravilha de notícia para se começar a semana.

pedro oliveira disse...

Isso mesmo! Não é só denunciar o que está mal. Devemos valorizar o que de bom se faz por cá.
Como escreveste no vilaforte que ias escrever sobre coisas boas, a vontade de cá vir ainda foi maior.
Amanhã também vou destacar uma empresa de Porto de Mós que os produtos que comercializa deves conhecer.
BOA SEMANA a TODOS!

ines disse...

Quem sabe o principio do fim das histórias azedas e dramáticas passadas no CS. Eu não me queixo, porque não o uso, (SSaude) mas faz-me mta confusão quando me dizem que demoraram 2/3 horas na sala de espera a aguardar pela vez no atendimento e mesmo assim, consultas sabe-se lá para quando!
beijo

Cecília disse...

Pois eu, continuo desconfiada...
Mudei de Concelho há cerca de 2 anos e tenho que continuar no C.Saúde da minha antiga morada, porque no moderno (centro e concelho), médicos nem vê-los quanto mais cheirá-los, porque não podem admitir mais utentes!
A única satisfação que tenho é que o Sr. Dr. que me calhou na rifa durante 18 anos, graças a Deus se reformou. Nem para as pessoas olhava nas consultas, escrevia com enfado as receitas, numa letra completamente ilegível, resmungava a consulta toda sobre o trabalho que tinha acumulado e que tínhamos que nos despachar a falar que ele tinha mais que fazer, tratava toda a gente por tu, todas as queixas eram coisas de somenos importância e afirmava em alto e bom som que o papel dele era apenas de "sinaleiro" para orientar as pessoas para as diversas especialidades.
A médica que o substituiu também não a conheço, porque, entre férias, congressos e baixas por doença, ainda não consegui acertar no dia para a encontrar....
Por isso, Patti, dá-me licença que ainda continue a achar que esse seu C. Saúde é uma fantasia????

Justine disse...

Que todos os deuses sejam louvados! Se tudo isso corresponde à verdade e não estás mesmo a sonhar, eu também quero ir morar para aí perto:))

Que bom seria podermos escrever assim de todos os serviços públicos...

Patti disse...

Cecília:
Fantasia nenhuma. E não sou só eu que falo assim. Empregadas educadas e simpáticas, médicos cinco estrelas, preocupados e dedicados, sorrisos nos lábios pelos corredores, instalações excelentes.
Se se vai manter assim? Espero bem que sim, foi um CS muito desejado por todos: profissionais e utentes.

Pena que seja a excepção e não a regra.

Ka disse...

Patti,

Ainda bemq ue alguma coisa muda para melhor :) Mas olha que, sem querer ser pessimista, o teu centro de saúde ainda é excepção e não regra. Mas se se começou a mudar já é um bom sinal!!

Beijos e boa semana

Teresa Durães disse...

inacreditável!

paulofski disse...

Em todas as áreas dos serviços públicos existem maus e bons profissionais. Convivo com muitos todos os dias se como pessoas todos têm os seus dias, uns melhores outros piores, também sentem na pele o dia-a-dia. Se são por natureza pessoas afáveis, profissionais e cultas mesmo a trabalhar em péssimas condições, em locais terceiromundistas e desprovidos de tecnologia, deveriam ser sempre capazes de assegurar um bom atendimento e exercer em competência. Aos poucos vêm sendo renovadas algumas instalações e serviços no sentido de adequar ao bom funcionamento e qualidade de cuidados aos utentes dos serviços de saúde, bem estar e modernização. Assim se modificam comportamentos, transmite-se profissionalismo e gera-se empatia e confiança entre as partes. Não custa nada, só custa ao Estado que nós suportamos com os nossos impostos.

Também sabe bem ouvir dizer bem.

Beijo.

claudia disse...

Já nao era sem tempo, nao? deviam ser todos assim para que os doentes se sintam cómodos ( já nao lhes basta estar mal...apesar de que aqui por Madrid encontras os reformados todos a dar uma voltinha pelo centro de saude, já que nao têm mais que fazer encontram-se com as amigas doentes!) ; nao estou a brincar, é mesmo verdade verdadinha,dito pela boca dos mesmos! fartei-me de rir!
Espero que tu nao começes pela unha...ahahah
bjos

Jotabê disse...

Ora bem, vê lá mas é se fazes post’s menos completos. Essa coisa de antecipares as nossas brilhantes referências está mal.

Estava-me a preparar para fazer uma piada com sonhos. A menina antecipou-se. Também estava a preparar-me para fazer referência a um país nórdico, porque são muito organizados, provavelmente até iria referir a Noruega, a menina no mesmo parágrafo, voltou a antecipar-se.
Assim não dá para comentar.

Depois, também está mal vires para aqui fazer pirraça a quem tem um centro de saúde sempre entupido, com uma lista de espera para médico de família de 25.000 utentes, sem segurança, o meu centro nem jornal da região tem, quanto mais segurança, enfim, está mal.

Sendo assim só me resta comentar que: “ahn, assim até dá gosto estar doente”, que é um comentário, apesar de perspicaz e com um sentido de humor um bocadinho acima da média, exíguo.

Eu que gosto de fazer comentários extensos, tenho de me contentar com esta “misérdia” porque a menina tem por hábito fazer tudo perfeitinho.

Ó minha amiga, assim não dá, assim vou fazer comentários para outro lado.

:|

vá lá uma beijoca

Filoxera disse...

Eh, eh, agora vais tornar-te uma doente profissional!
Beijos e...
... as melhoras!

Coragem disse...

O aspecto exterior, não é dos mais bonitos, mas, se o interior, tem tudo o que descreves, que importa o lado de fora.

Quando sai da grande Lisboa, estranhei, o tratamento dado por estes lados, muito personalizado.Sem longas listas, sem grandes demoras.


Se me encontro com a minha médica de familia na rua, é abraços e beijos, uma querida, uma verdadeira amiga.

O Centro médico precisa de uma reforma, é verdade mas a nivel de pessoal, por aqui, nunca me queixei.

Fico feliz, pela população da tua zona...

Bj

Patti disse...

Salvo:
Se fossem mais vezes elgiados, talvez mais alguma coisa melhorasse por aí.

Blue:
Esperemos que no futuro deixe de ser excepção e passe a regra.

Sony:
Sei que este não é o único, nem pouco mais ou menso. Mas mais depressa nesta terra se fala mal, do que bem

Pitange:
Eu sei lá fazer crochet!

Gi:
'Bora aí!

Pedro:
Eu bem que avisei, lá no Vila Forte.

Inês:
A minha história de hoje não é dessas cenas trists.

Justine:
Nem tudo vai mal ...

Ka:
Pois Kazinha, não sejas pessimista não. este é um post de segunda-feira optimista. Hahhahah

Teresa:
Espere que um dia deixe de o ser e passe a ser só normal.

Paulo:
Exacto. Tal e qual. Se as condições de trabalho são más e o pessoal ainda atende os utentes pior.... então, não sobra nada de bom. E é bem mais fácil, dizer e fazer bem, do que aquilo que possa parecer.

Cláudia:
Sabes bem, que em certos assuntos, Portugal está a anos luz de Espanha. E o problema passa também por ser uma questão cultural. Devíamos aprender a viver a vida com os espanhóis.

Jotabê:
Tu é que andas a ler pensamentos. eu um dia posto uma foto e tu fazes o resto, combinado? Mas vais ficar sem palavras com a que eu vou escolher, ahahahahahahahah.

Filoxera:
Tanto tb não!

Coragem:
Será também uma vantagem de viver em meios pequenos. se bem que nos casos dos CS, muitas das amiores queixas, como falta de médicos vêm daí. Que bom que no teu CS, tal não e passa.

Cecília disse...

Só venho aqui outra vez, dizer obrigado, por uns comentários que fez, num blog aqui vizinho.

Beijinhos.

Jotabê disse...

Até sou capaz de aceitar o desafio. Mas o post é publicado no meu blog. Claro que faço referência ao desafio da forma como mo estás a colocar, foto escolhida por tí, e comentário meu. Mandas-me a foto para o mail do meu blog, eu edito o post completo no meu blog e depois posso-to mandar, para o editares no teu.

então, que achas?

Patti disse...

Jotabê:
Olha que até me parece bem. Ficamos assim: eu quando tiver oportunidade, envio-te uma foto e tu fazes um post no teu blog e depois podes passar o desafio a outro leitor.

carlota disse...

Gostei do que li!
Sabes eu ás vezes acho que sou um pouquinho ET.
Quando as pessoas falam da saude em Portugal falam sempre de coisas mirabolantes e histórias terriveis.
Eu devo ser uma sortuda. Das vezes que fui ás urgências, ao SAP, a consultas e estive internada fui sempre muitissimo bem tratada. Não tenho quaisquer reclamações a fazer.
Na area da saude fui sempre bem tratada e nos outros departamentos estaduais tambem não tenho queixas a fazer...que queres tenho a sorte de "engraçarem" comigo, eu tento ser sempre simpática e educada...felizmente tem resultado.
Beijinho

AFerraz disse...

Costumo passar por cá sem comentar, mas hoje tenho que comentar por ser de toda a justiça elogiar. Sim, elogiar, coisa a que somos pouco dados preferindo maldizer e lamentar o destino. Infelizmente de há uns meses para cá tenho sido um assíduo utente do Serviço Nacional de Saúde. Quando tudo começou, avisado pelos meios de comunicação social e amigos ia preparado para as esperas infindáveis, a antipatia, a desumanidade e as famigeradas listas de espera. Pois bem, ia mal avisado, ou tive sorte ou algo está a mudar. Após múltiplas passagens pelo Centro de Saúde, Catus e IPO de Lisboa, só tenho elogios a fazer ao funcionamento do sistema e acima de tudo a todos os profissionais, desde os auxiliares aos médicos passando pelos enfermeiros. Onde já se viu ir a uma consulta no IPO e de imediato ser sujeito a uma pequena intervenção cirúrgica? Onde já se viu ir marcar um exame, o mesmo ser marcado para uns dias depois, agradeço, desejo os bons dias e viro costas. Alguns passos depois oiço alguém a chamar-me, dirijo-me à pessoa e para meu espanto ouço "vi no seu processo que vem cá amanhã para uma consulta, passe aqui antes que fazemos o exame". Lista de espera para operações, no meu caso acho que não chegou a duas semanas e não estava classificada com prioridade máxima.
É verdade, passou-se em Portugal no serviço público, em instalações melhores ou piores mas que têm uma importância secundária dada a excelência do acolhimento, simpatia, humanidade e profissionalismo. Um bem haja a todos.

1/4 de Fada disse...

Sei bem, em primeira mão, que o que contas é verdade, porque é o caso do centro de saúde que "me serve". Mas nos últimos tempos anda a passar-se uma coisa que me confunde: a nossa "administração" dá tiros nos próprios pés! Passo a explicar: esta semana tenho uma consulta de oftalmologia obrigatória num médico particular, que me obriga a faltar ao trabalho por 2 dias, por motivos que não vêm para o caso. De salientar que RARAMENTE falto, no ano passado não faltei um único dia, no anterior faltei um e a média costuma ser dois ou três no máximo. Até há pouco tempo, como toda a gente sabe, estes dois dias que vou faltar esta semana seriam justificados com toda a simplicidade pelo médico oftalmologista que me fará a consulta, mas agora, com a nova legislação da função pública, os atestados médicos têm que ser obrigatoriamente passaados por médicos dos centros de saúde ou com acordo com a ADSE, de modo que, quando há 2 semanasmarquei a refereida consulta e soube que teria obrigatoriamente que faltar os 2 dias, dirigi-me ao centro de saúde para marcar uma consulta com a minhamédica de família, que mal conheço, pelos motivos que já expliquei, mas com que anteriormente conseguia consulta de um dia para o outro. Qual não foio meu espanto quando soube que, apesar da antecedência, não havia consultas disponíveis para as 3 semanas seguintes, precisamente por causa da nova legislação. Assim como eu, caiem centenas de pessoas diariamente no centro em comsultas desnecessárias, tirando o lugar a quem precisa realmente delas: resumindo, um organismo que funcionava na perfeição está a tornar-se um verdadeiro inferno... O que eu pude verificar pessoalmente, ao ver as bichas para marcação de consultas, a sujidade no chão, as pessoas em pé á espera de serem chamadas, num centro que da última vez que eu tinha visitado era a cara do que tu descreves! E eu, para um simples atestado médico que por sinal até é verdadeiramente necessário e para que me seja passado vou levar um relatório do médico oftalmologista que me atenderá, porquenão gosto de confusões e mal-entendidos, tenho que ir a uma urgência, tirar o lugar a quem precisa cerdadeiramente dela! Haja verdadeira moralidade, porque esta legislação foi feita em nome dela, mas por causa de uns pagam outros que não têm culpa nenhuma!
E agora batam-me à vontade que não me ralo nada, porque deste asunto de faltas de professores falo de cátedra, porque como fiz questão de dizer, passam-se anos em que não dou uma única falta!

Rita disse...

O CS onde tenho a minha médica de família também é assim moderno e bem amanhado mas as "meninas" dos guichets,tirando uma ou outra excepção, continuam as mesmas trombudas e antipáticas...
Jokas

Patti disse...

Carlota:
Então és mesmo uma privilegiada, pois quase toda a gente neste país, uma vez ou outra já se queixou do SNS.

aferraz:
Se calhar estará também tudo a mudar. Quero acreditar que sim, porque detesto clichés e o dizer mal por dizer. Neste país há muito a mania de se falar mal de coisas, das quais nem sequer se experimentou. Agora bem, ninguém nuca fala. É o nacional tuguismo.

Fada:
Quer-me parecer que falas mais das boas mudanças não estarem posteriormente de acordo com as normas ou as novas medidas instituídas. E que assim é difcíl que as coisas resultem. Eu vou voltar ao meu CS, para falar com a médica sobre o exame e depois logo verei. Vou de máquina fotográfica em punho e tudo!

Rita:
E já é muito bom. Quanto às famosas empregadas dos CS, começas por dar um bom dia, com um sorriso de orelha a orelha que elas não aguentam e até te olham nos olhos, quando falarem contigo.

Fatima disse...

Que alguma coisa mude para melhor.....

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Felizmente nem tudo é mau. É pena que não se divulguem os bons exemplos e se continue a querer dar uma imagem de que tudo é mau na saúde em Portugal.
Creio que estes ares do Douro me estão a devolver a capacidade de olhar para as coisas boas.

joana disse...

Não é normal tanta simpatia,não é normal um segurança simpatico,mas ainda bem que assim o é.Fico feliz por ascoisas estarem a mudar.
Beijinhos e uma boa semana

Tá-se bem! disse...

Empregadas simpáticas e educadas!?? As instalações ainda vá, agora o resto...hummmmm.. cheira-me a esturro! ehehehehehe :)

f@ disse...

Porque o ambiente também cura... os olhos também podem sorrir... e sabemos que o elogio constrói, o melhor mesmo é acreditar que é possível , mesmo lentamente...
beijinhos das nuvens

LeniB disse...

Quando puderes vem até cá para veres o novo Hospital da CUF...um mimo!!!