terça-feira, 2 de setembro de 2008

intimidades



Neste post, volto com a palavra atrás. Não aguento mais este desespero que se instalou dentro de mim. Preciso de desabafar uma intimidade. Algo privado, de carácter muito pessoal que assentou cá dentro e que me sufoca, desespera, corrói.

Depois de tantos anos, saiu de casa.

Pediu um tempo. Quatro, cinco dias, uma semana inteira até. Não sabe. Mais tarde me dirá. Meteu-se no elevador a muito custo, olhou para trás e só me disse, eu depois telefono.

Que estava cansado, saturado de dar tanto de si e nada receber em troca. Que não aguentava mais ser usado, numa altura em que a idade lhe pedia mais descanso.

E eu feita parva, a ouvir as lamúrias sem entender nada. Não sou a Maya ou o bruxo lá de cima, mas também não sou insensível, desligada, cega e muito menos egoísta, para não me ter apercebido mais cedo de todas estas queixas, de todo este sofrimento que o sufocava e ia aumentando de dia para dia, diante dos meus olhos.

Eu sei que tenho defeitos. E de alguns não gosto nada. Mas estas palavras deixaram-me petrificada. Não me tinha em linha de conta de uma pessoa abusadora e interesseira que só se aproxima dos seus objectivos para proveito próprio e que se está nas tintas para o que sobra atrás de si. Neste ponto até me achava bem o oposto, sempre me disseram isso mesmo, que sou preocupada com os outros, mesmo com o estranho que passa na rua e que precisa de ajuda.

Então, como é que na minha própria casa, num relacionamento de tantos anos eu me pude comportar assim? Será que a palavra certa é relaxe? Relaxei-me com quem eu mais precisava na minha vida? O que é que falhou?

Desde que ele partiu, que estes dias têm sido de constantes interrogações, de dúvidas, de tristeza e sobretudo de arrependimento. E de culpa. Uma enorme culpa, de ter sido tão pouco diligente.

Como é que eu não fui capaz de ver as lágrimas vertidas? Era só ter sido mais atenta. Não reparei no cansaço dele, que já não reagia como antes, não me respondia da mesma forma, sempre com pouco ânimo, amorfo e triste. Gasto, velho e abatido. Umas vezes quente e logo a seguir frio como gelo.

Neste exacto momento, neste preciso instante em que escrevo estas linhas, estou sem saber o rumo que dou à minha vida, não tenho notícias nenhumas, nem sequer um simples sms.

Tudo ao meu redor esmoreceu, definhou, decaiu, fiou tépido, morno, indolente, azedo, murcho, podre, bafiento. Cheguei à conclusão da dependência quase mórbida que atingi. A sua falta deixa-me doente.

Serei forte. Recuso que a minha existência se torne bolorenta e em decomposição. Não sou de ficar quieta e não reagir, sempre andei de cabeça erguida e não tenho medo de ameaças nem de ninguém. Quem me afronta, eu enfrento imediatamente e se for homem então ainda sou mais rápida. E é o que vou fazer agora mesmo.

21 419 2? ??.

‘Tou, Sr. Horácio, é a Patti. Bom dia, como está? Então, quando é que me ia ligar? Tenho estado à espera do seu telefonema!

Já tenho uma colónia de cogumelos a nascer-me na cabeça! Passaram cinco dias e o senhor nada.

Tenha paciência, mas eu não fico nem mais uma hora sem o meu frigorífico.

Não consigo viver sem ele!

37 comentários:

salvoconduto disse...

Comecei a ler o post e disse para comigo: que raio de tanga é que esta estarola me vai pregar?

Pois meu dito meu feito, vai daí e apanhei com um frigorífico em cima!

Nem quero pensar nas cerevejas, cruzes, já bati aqui três vezes na madeira.

Ó sôr Horácio, cum raio, se também lê estae blogue despache-se, olhe quela ainda se atira da janela abaixo.

Gosto delas assim divertidas e "estarola" não é para todas. A propósito disso, deixa-me ir ao blogue da "outra"

Ba disse...

Poça...tive quase quase a ligar ao D.! LOLOLOL

Patti disse...

Ba:
És muita monga. Hahahahahah.
E o D. está nas Franças!

PDuarte disse...

conhecendo o que conheço da escritora, assim que comecei a ler lembrei-me que o cão dela decidiu ir dar uma curva. nunca me passou pela cabeça o raio do frigo.

Magucha disse...

CINCO DIAS?????

Meu Deus... Compreendo a tua dor! Já passei por um desgosto semelhante há uns meses, e senti na pele o quanto estava dependente dele. Então no Verão... Volta frigorífico, que estás perdoado! =)

BlueVelvet disse...

Mal comecei a ler, vi logo que era uma brincadeira, porque não te estou a ver com esse defeito, mas não imaginei que fosse o frigorífico.
Nem sei como aguentáste 5 dias.
Beijinhos refrigerados

Tá-se bem! disse...

eheheheheh e o ruimmm sou eu!??? O ruimmm sou eu??

Beijoca malandreca ;)

Fátima André disse...

De quando em vez apanho um sustos quando começo a ler alguns post... ainda bem que levei com umas pedras de gelo em cima :)
Sempre fiquei mais aliviada com esta lufada de humor.

FM disse...

Texto fantástico, para não variar.
Já regressou, o frigorífico? (risos)
Beijos com Carinho.

Gi disse...

Eu vi logo que era um electrodoméstico ou um esquentodoméstico.
1º o esquentador, agora o frigorífico ... tu tens que te(a)condicionar melhor, melheri!
O que vale é que o GPS está sempre "off" ou sera que é avariado?

Vekiki disse...

Patti, tu és demais! A sério!
Fui lendo e só pensei no cão, tal como o pduarte.
Gostei. Muito.
Tenho dois amores domésticos a entrar em colapso, mas não sei se escreveria um post tão bonito para eles...
beijos

Ka disse...

ahahahaha
Agora percebo a sequência que falavas da conversa ...looool

E eu a contar com coisas completamente diferentes...looooool


Eu já estive sem frigorífico uns dias e é como voltar à idade da pedra quase pois ter de comprar todos os dias os alimentos frescos, não poder ter um simples yogurte ou beber um copo de àgua fresca é um desespero!!!

Beijossss e que ele (o Frigo...ok o D. também) regresse rápido :P

Olá!! disse...

LOL e palmas, muitas palmas, por este e pelos últimos posts que fizeste.
Beijo grande e até breve
(PS. Para entrada terás lesminhas com molho verde...)

claudia disse...

Ah, ah...eu pensei logo no computador!!! Mas Ba, no D.????achas a tua tia capaz de contar essas intimidades num post diário???? eh, eh, eu acho é que continuavamos a ter os nossos posts todos os dias e a " procissao " iria por dentro!
VIVA A ALEGRIA E A BOA DISPOSIÇAO
Muy bien Patti!!!

bjos

Justine disse...

Hummm, disse eu, mal a conheço, mas já deu para perceber que isto de aparecer de coração branco nas mãos,mesmo de luvas,parece demais... e era!!
Foi bom começar o dia com um sorriso nos lábios:))

pedro oliveira disse...

Ó Sr. Horácio não estrague o frigorifico com mimos, fica mal habituado.
bjs, fui bem enganado!

ღ♥ @nn@ ღ♥ disse...

so tu me fazias rir hoje ;)

merci !

Sónia Pessoa disse...

este post é impróprio para cardíacos...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Confesso que me enganou até ao fim, Patti! Estranhei que de um dia para o outro mudasse de forma tão radical... embora não a conheça, os comentários que vamos trocando permitem tirar algumas ilações e não a pensava capaz de se expôr.
Senti-me enganado!(eh eh eh)
Belíssimo post que nem o gelo do frigorífico impediu de acabar de ler com um sorriso aberto.

de dentro pra fora.... disse...

Bom conseguiste por o pessoal a pensar... :))
Vi logo que não era uma intimidade tãooo intima, não és mulher de fazer esses desabafos para qualquer pessoa ouvir ou ler, confesso que pensei tratar-se do pc, que estivesses a usar o portatil(sempre tinha subestituto), agora o Sr. do Gelo...deve fazer cá uma falta,5,6 dias é mt tempo, :))

Beijinho Fresco

Fiona de Bourbon disse...

Ainda bem que antes de comentar eu tive a ideia de ler os comentários das amigas. So entao percebi que a ausência não era das mais importantes, rs. Fui lendo com um aperto no peito. Me pregastes uma bela pegadinha. Dos males o menor. Que alivio.

beijooo

f@ disse...

Patty eu vi logo que era uma partidinha engraçada ... mas aguentei-me até ao fim da leitura a ler e a dar palpites do que seria!...
Pois até imaginei e se isto fosse comigo e se fosse o meu gato?...
As máquinas por mta falta que nos façam podemos sempre comprar novas...
... mas se o mesmo se passar com os nossos entes queridos dá mto "trabalho" ao coração e aos olhos...
belo post
beijinhos das nuvens

susana catarino disse...

confesso que pensei que seria o computador... belo post:)

1/4 de Fada disse...

o que me invadiu o pensamento foi o que é que iria sair daqui e tive uma vontade infantil de saltar umas linhas e espreitar o fim, mas consegui resistir... Confesso que fiquei completamente de boca aberta e cheia de vontade de rir. Cinco dias sem frigorífico, que pavor, só me faz lembrar as memórias da minha avó a contar que ia às comparas todos os dias e guardava a sopa do almoço para o jantar dentro de um alguidar com água! Com essa maré de azar já pensaste num ferrozito a carvão, para prevenir?

carlota disse...

Patti estou contigo nesta hora de sofrimento.
5 dias sem ele é de bradar aos céus.
Realmente só damos conta da falta que nos faz quando ficamos sem eles.
Eu tambem já sofri o mesmo com uma máquina de roupa, aguentei uma semana mas depois não resisti, fui fraca e comprei uma nova com muito mais capacidade e eficiente :D.
Beijo

Rita disse...

Eu não ando aqui há muito tempo para te conhecer minimamente bem mas mesmo assim quando comecei a ler pensei logo que vinha aí alguma do género mas o frigorífico nunca me ocorreu. Agora que penso bem acho que também não conseguia viver sem o meu...
Jokas

Carlota disse...

Mas que alarmista!!!
:)

Cecília disse...

Meu Deus, que sufoco!
Ainda não me tinha saído dos poros a intensidade da "História de Vida" da Blue e pensei que vinha lá mais outra!
É certo que estranhei o desabafo de intimidades, mas nunca fiando...
Foi bom ter-me enganado....ri-me com mais vontade e, sobretudo, com muito mais alívio!!!!

D.Antónia Ferreirinha disse...

Patti, se me permites, eu apesar de achar todo este texto muito engraçado e bem escrito, interpreto-o como uma forte crítica a quem expõe a sua vida privada num blogue.
A analogia é perfeita, e se a intenção não foi essa, poderia muito bem ser. A intenção, essa, és tu que a sabes.
Eu apenas acrescento, que o facto do meu blogue não se pautar, por norma, como confissões da minha intimidade, nada me impedirá de o fazer a qualquer momento, já o fiz, e esse facto não fez não faz nem fará de mim uma pessoa mais desprezível, e de menos carácter.
Por isso, independentemente do conteúdo, visito os blogues que gosto de ler, por este ou por aquele motivo.
Espero , sinceramente, que o teu frigorifico regresse a casa rapidamente.
:-)))))))))

Patti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patti disse...

Eliminei o meu comentário, para dar intervalos entre os parágrafos para se ler melhor.

D. Antónia:
És livre de interpretar o que quiseres. Todos nós fazemos as analogias que quisermos. E tens toda a razão, quando dizes que neste caso é aplicada à falta do meu frigorífico.

Isso foi óbvio para mim desde o início deste post, não me estás a dar nenhuma novidade. Eu retratei a falta dele como se de um caso de amor se tratasse.

Tenho muita facilidade em exprimir-me oralmente e também pela escrita, já para a matemática não tenho muito jeito

Infelizmente não podes vir até minha casa para o confirmares ispsis verbis. Mas acredita no que te digo, ficar sem frigorífico no Verão é desesperante, quase tanto como quando nos cortam a água.

Até me está a dar vontade de rir, eu estar a justificar-me, mas achei-te um tanto ou quanto indignada e ainda para mais foste a única em tanta gente que me comenta diariamente, tirou tamanha ilação, com tão grande certeza.

Então aqui vai:

Quando me referi à intimidade que iria revelar no meu post, que vai contra o meu hábito, de falar aqui de coisa íntimas, que só a mim, no meu entender dizem respeito, é porque penso mesmo assim. Este é um blog pessoal, mas não é íntimo. Há coisas de que não falo.
O que pode haver de intencional aqui? Não posso ter esta opinião? Avalias-me unicamente pelo que escrevo? Já privás-te comigo? Conheces-me?

Outros falaram dos assuntos que entenderem: privados, íntimos, secretos, do dia a dia, do trabalho, da família, das férias, do vizinho da frente, do cão.
Tu própria, foste repreendida num post acerca da tua competência profissional por alguém, que pelo que entendi não te conhecia pessoalmente. Foste mal interpretada e julgada. Achei incorrecto e como a minha postura aqui é aberta e não ando a agradar a ninguém e muito menos receio represálias, fui a esse mesmo post e defendi-te. Claro que não precisas de advogados de defesa, mas compreendi o que dizias no teu post e achei incorrecta a tua crucificação.

Quanto a isto acho que estamos esclarecidas. Não tens que subentender mais nada, nem fazer subias interpretações do que aqui te escrevi. Ou acreditas ou não acreditas. Ponto final. Assunto encerrado.

A segunda parte do teu comentário é que me deixa surpreendida!

Falas, neste post do frigorífico sobre o teu blog. E que se quiseres a qualquer momento podes falar de intimidades e que isso não te torna desprezível nem com falta de carácter!
Acho óptimo que assim seja, e eu com isso? Não tens necessidade de me dar satisfações. O blog é teu.

Não te terás confundido e o que querias fazer era comentar um post bastante polémico, que provavelmente também leste, sobre o que eu penso sobre a postura, o comportamento, a atitude de mulheres da minha geração, na vida do dia a dia? Em que se valem de atributos físicos apra ascenderem social, profissional e familiarmente na sociedade?

Não conheces casos desses? Tu, que pelo que leio, me pareces uma pessoa tão lúcida?

Mas mesmo assim, o que dizes aqui está um bocado fora de contexto, porque se leres com mais atenção esse post, o do “castanho chocolate, mas amargo” verás que em nenhum momento, o facto de eu condenar comportamentos não ponho na mesma balança nem avalio caracteres, sentimentos, valores pessoais, riqueza interior e bons corações.

Agora vou revelar-te algo muito íntimo: sabias que uma das minhas maiores amigas é prostituta, ladra, alcoólica e toxicodependente? Sabias que é das mulheres mais puras e bondosas que já passou na minha vida?

Vai lá ler novamente e de certeza que já não farás uma leitura influenciada. Pensa por ti.

Quanto às visitas que fazes aos blogs que gostas de ler, eu sou igualzinha. Visito sempre os meus links e mais ainda que seleccionei no Googel Reader. Nem todos os posts são do meu agrado, confesso-te, mas estou como tu: só visito quem os que gosto.

Finalmente o meu frigorífico: está cá desde as 10.20h e a gaita do arranjo foi 100€, mas valeu a pena.

Penso estarmos esclarecidas, fizeste bem em tirar dúvidas directamente comigo, se algum post a isso te impeliu. A frontalidade é um traço de carácter que cultivo em mim, na minha família e aprecio nos outros. Já não lido bem com bocas, segundas intenções, atirar barro à parede, ameaças, enfim subterfúgios.

Qualquer dúvida que tenhas e queiras colocar, tens o meu mail no perfil do Ares. Em tendo tempo, terei o maior prazer em falar contigo lá, porque por aqui deixo o assunto por terminado, visto teres comentado e eu te ter respondido. Não aprecio o "leva e trás" e até respondo muito poucas vezes aos meus leitores por falta de tempo.

Fica bem e volta sempre que quiseres, se o teu link continua no mesmo sítio é porque gosto de ler-te. Senão retirava-o.

:))))))))P

ines disse...

Click no link para a minha visita nocturna
Ler o titulo
Ver a imagem (5 estrelas)
Ler o texto
Chegar ao fim...

Ufa... é o frigorífico!

Fatima disse...

Oh Sr Horácio!!!!!!!
À sua conta, andámos por aqui a pensar outras coisas......!!
É que esta sua cliente, tem uma forma de escrever fantástica, sabia?
E até facto de o Sr ter levado o frigorífico, serviu para criar este agradável conto!
Mas que imaginação!

O Lápis disse...

Que grande sentido de humor :))


E o Sr.Horácio é de confiança?


Dá garantia? ;)

LeniB disse...

Porra, até que enfim! Já estava cansada de te ouvir chorar por andares a beber H2O morna, manteiga rançosa, leite azedo, legumes quentes, ovos cozidos e mais cenas maradas!
Aleluia Sr Horácio! O nº que me enviaste por mail é o fixo: "amanda" o nº do tm!!!
(o senhor é o mesmo do esquentador?)

FM disse...

Ainda bem que o frigorífico voltou... Já estava a ficar preocupado. (risos)
Beijos.

imprevistoseacasos disse...

Patti

Achei verdadeiramente hilariante. Primeiro senti-me solidária, depois angustiada e, finalmente, deliciada.
É um prazer vir até aqui,

beijinhos da fernanda