sexta-feira, 4 de abril de 2008

figuras tristes, as minhas

foto da net

Assim como amo feiras, abomino centros comerciais. Só lá vou em última instância ou quando a minha filha, que claro, é a mais linda do mundo, me pede.

Nessa altura, vou directa à sanita e enfio os dedos na garganta, para depois não andar aos vómitos para cima daquelas multidões de mortos vivos, vou ao roupeiro e visto a roupa para os funerais, prendo o cabelo, para não ficar a cheirar a fritos e enfio óculos escuros, bem pretos.


Detesto aqueles parques de estacionamento labirínticos, as escadarias desmedidas, as malcriadas das empregadas adolescentes das lojas, as famílias inteiras de zombies que se arrastam nos corredores, as mães que empurrarem carrinhos de bebés chorões e cansados, as mesmas mães que obrigam as jovens filhas a comprar o que elas não gostam, os maridos frustrados, que numa espera eterna ficam encostados nas balaustradas em frente à Zara, os comboios de carrinhos de supermercado, cheios até não poder mais, enfim, não acabava já aqui, mas tenho de continuar este post. A única coisa que escapa nestes sítios horrendos são as empregadas brasileiras. Prefiro mil vezes ser atendida por uma brasileira, sempre simpática, educada e solícita que por uma monga, frustrada portuguesa.


Das pouquíssimas vezes que vou ao Colombo, meu Deus, ao Colombo! Como eu odeio o Colombo! Bom, como ia a dizer, das poucas vezes que lá fui, escapo-me num ápice, mas desta última…Já que aqui vim, deixa-me ir fazer umas compritas no Continente, logo eu que adoro a minha mercearia, como já leram aqui.

Volto pelo mesmo caminho que vim, a empurrar aquela geringonça enorme do carro das compras, quando me deparo com uns obstáculos a travarem-me o caminho para as escadas rolantes que dão acesso ao parqueamento. E agora faço o quê? Atravesso, novamente, aqueles corredores a abarrotarem de infelizes e transpirados como eu e desço por um elevador qualquer, para o piso -2. Já cá estou, mas estou onde? Bom e bonito.


Para não andar a fazer gincanas, sigo as setas de informação ao cliente, que só para chatear é no piso de cima. Lá vou eu, qual matrona, encostada aquele monstro daquele carrinho, pelas escadas rolantes e a seguir, que nem uma parva, setinhas ridículas Linda figurinha a minha, tudo a descer com as compras e eu a subir. Já estou mesmo a ver o que vai naquelas cabecinhas: olha, é mesmo mulher, nunca sabem onde estacionam o carro.

Parvalhões!


Finalmente, o posto de informação. Bom dia, olhe, perdi-me e não se pode passar com o carrinho no local onde eu estacionei, digo já quase a chorar. Mentira, não chorei nada, mas mandei umas fungadelas, para dramatizar e comover os seguranças. Pois, não é a única, desde que lá colocaram aquilo, que é o costume. E tem o carro onde?

Eu entrei do lado oposto aquela horrível estátua verde, que deita água, ali ao pé da entrada do Continente. Oh minha senhora, aquilo é o Neptuno!, diz todo ofendido.

Duh!


Venha lá comigo que eu levo-a. O “comigo” era um senhor muito simpático, já de uma certa idade, baixinho e gordo com um colete verde fluorescente, que lhe ficava até aos joelhos. É que não estão bem a ver a cena: o sr. “comigo”, e a sua fluorescência, que mais parecia um polícia disfarçado, que me apanhou a roubar e me confiscou as compras, empurrava-me o carrinho e eu atrás dele, tipo atrelado, de nariz no chão, tal e qual uma prisioneira algemada.


O barulho dos saltos das minhas botas no asfalto, o bafo calorento e claustrofóbico daquele parque, o cheiro a escape e a gasolina, o barulho de travões ao longe, o homem a falar que o Deus te livre e para cúmulo dos cúmulos, o pessoal dos carros a olhar para a minha triste figura e a pensar: olha p’ra esta, tão fina e já foi apanhada. Que vergonha! São as piores!


Juro. Nunca mais.


P.S. Desculpem a péssima qualidade da foto, mas era o que havia e nem o meu querido blog me fez lá voltar, para tirar uma em condições. Lá para 2014 eu substituo-a.


17 comentários:

claudia disse...

A pesar de frequentar estes "espaços" enormes e fazer umas comprinhas ( nao de supermercado ) …ehehehe, tento sempre ir a uma hora com menos gente.
E, nao vou dizer que nao gosto só para estarmos de acordo!
Mas, a verdade é que o teu texto está excepcional! Acho mesmo que fui contigo nesse teu dia azarado…quase me atreveria a dizer que vi o Sr. Baixo e gordo com colete verde, e toda essa gentinha que olhava para ti.
Parabéns Patti por essa forma de escrever tao real e divertida que tens. ADOREI!

Georgia disse...

É por isso que faco as compras de finais de semana até sexta-feira no máximo. Quando nao já na quinta-feira comprei tudo. Porque detesto aglomeracao, gente fedendo, empurroes com carrinhos e filas imensas no caixa na hora de pagar.

Vim agradecer sua participacao na blogagem coletiva.

Valeu e bom fim des emana

Ev@ disse...

Tou morta de riso, a imaginar a tua cara desanimada atrás do Sr. "comigo". Quem manda ir ao Colombo? A menina não conhece o Corte Inglês?
Eu gosto de centros comerciais, adoro fazer compras e não me importo nada com os Zombies, mas claro sempre antes das 12.00h.

de dentro pra fora.... disse...

Estava aqui tão longe, mas consegui ver a cena toda...hihi..
já passei por uma coisa semelhante, não no shopping, mas no parque de estacionamento..qualquer dia conto..
pena na altura ainda não existirem os coletes flurescentes,.. para dar um certo brilho á coisa...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Quase totalmente de acordo, excepto nisto:
(Saudades do Carrefour)
http://cronicasdorochedo.blogspot.com/2008/01/saudades-do-carrefour.html
Colombos, Cascais Shopping? BRRRR!
Bem,(muito) de vez em quando lá vou ao Amoreiras para jantar no Madeirense
Bem, esta minha aversão às grandes superfícies também está explicada em mais meia dúzia de posts lá do Rochedo, mas não abuso da sua paciência, nem quero que pense que estou a tentar promover o meu blog...

Pitanga Doce disse...

Ó Patti, desculpe mas ri a valer! E obrigada pela parte que me toca às empregadas brasileiras (temos o riso frouxo mesmo, hehe).
Olha, vou contra tudo o que dizes pela simples razão que:

Aqui nos shoppings não é comum haver supermercados e se quer saber, é uma coisa que me desagrada em Portugal. Os estacionamentos estão sempre lotados e aqueles carrinhos de compras tiram o bom humor de qualquer um, sem contar os casais que fazem questão de "lavar a roupa" dentro deles.
Gosto de ir ao shopping para frequentar a livraria que possui um café e música, de ir ao cinema e tomar um chopinho com os amigos. Muitos dos meus posts foram escritos na praça de alimentação (durante a semana, é claro)
Quanto a esqueceres o lugar aonde ficou o carro o meu pai tem um truque; Ele sobe num daqueles "obstáculos" e aciona o alarme. O que disparar é o dele. Já viste a cena? hehe

beijos e quando for ao shopping vou me lembrar de ti.

PS: Se quiseres saber do vexame que passei no Forum em Viseu, vai ao meu arquivo em dezembro de 2006 "Vamos às Compras"? Parei o estacionamento todo! hehe

Mãe Galinha disse...

Também detesto o colombo!
( Desculpa, mas rí-me um bocadinho com oque escreveste... é que deu mesmo para visualizar)

Ka disse...

loooool Está exceletne este post!

Para começar tenho uma alergia enorme a centros comerciais, principalmente em horas de ponta. Vou somente se tenho de comparar alguma coisa, de preferência à hora das refeições (já alguém reparou que este país continua a parar para o "tacho"??? ) ou então quando vou ai cinema (infelizmente cá nio Porto já não há cinemas sem ser em Centros comerciasi :( ).

Quanto a compras de supermercado nem no centro comercial entro pois é um desespero andar de carrinho de compras lá dentro.

Gostei do blog e tenciono voltar, posso?

Beijinho e bom fim-de-semana

Olá!! disse...

Eu não tenho alergia, tenho fobia, sempre que lá vou faço um post sobre isso LOL
Bom fim de semana P
Beijossssssssssssss

Blue Velvet disse...

Eu adoro Centros Comerciais, mas odeio o Colombo.
Mas, não leves a mal, ri a bom rir com a tua Odisseia.
Mas já estou como no comentário ali em cima: quem te manda ir ao Colombo?
El Corte Inglés, querida.
Lá, até te levam o carrinho das compras ao carro, quando não queremos que as levem a casa.
Um luxo, digo-te eu.
Beijinhos e veludinhos e bom fim-de-semana

PDuarte disse...

Já passam das três da manhã e eu,...hã, estou a escrever um comentário ao som dos Century.
O.K~.
Já tinha desconfiado que tu tinhas o teu quê de Maria Eufémia ou até de Maria da Fonte.
Aquela teu impulso para dançar o vira no Folgosinho, é muito povo junto dentro de um corpo que, assim visto ao longe, me parece muito sadío.
Eu nunca gostei do Colombo, não porque tem parques de estacionamento labirinticos, mas porque o gaijo era tão estúpido que queria chegar à India, indo daqui sempre a direito em direcção a Guantanamo.
Ainda bem que D.JoãoII não foi na cantiga porque senão ainda hoje teriamos remorsos da merda que os gajos que o Colombo inventou fizeram no Iraque.
Portanto um beijo patti.

PDuarte disse...

Eeeee...só agora me lembrei que a senhora era Catarina.
Pronto, vou-me deitar.

Patti disse...

Ka e Mãe Galinha: Bem vindas!

PDuarte: Se os cabralistas vissem a cara do vocalista dos Century tinham logo substituído o governo e a Maria da Fonte tinha estado mais descansada, ela e as suas sublevações populares.
A Catarina do Baleizão de certeza que tb preferia o arzinho piroso do sr. dos Century à pistlola do Carrajola. Até o estou a imaginar a saltar de planície em planície, qual macho alentejano.

Memórias dos 80's, o que é que queres que eu faça? É a minha vertente assumida, sem pejo.

Volta sempre.

Aos outros comentaristas: gosto sempre, mas sempre que aqui estejam, mesmo que discordemos.

LeniB disse...

Colombo?? Onde fica? O que é?
Colombo só me recordo mesmo daquele que os reis portugueses puseram a andar daqui para fora, que os espanhóis receberam de braços abertos, tendo ficado com os louros das suas descobertas.
Centros comerciais?
Pega no carrinho e vem até à feira rural!!!

O Pinoka disse...

Tal como tu, também detesto o Colombo. Não sei se é do barulho ou do ar, cada vez que lá vou (e ando sempre a ver se me esquivo), fico cheio de dores de cabeça.
Beijinhos

Cerejinha disse...

Também não sou grande fã de grandes superfícies, ou pelo menos aquelas que salpicam as grandes cidades, como Lisboa.
E sou muito menos fã, daqueles pilares à entrada das escadas rolantes. É que não são só os carrinhos de compras que não passam. Quem tem o azar de ter umas ancas assim mais para o cheio, também tem de ir à procura do elevador! :-S

paula g disse...

só de ler o teu texto,fiquei cansada.foi bem real!detesto o colombo...e o carrinho das compras é um desastre..